PUBLICIDADE
Topo

Ex-gerente da seleção feminina põe Brasil pela 1ª vez no conselho de rúgbi

Marjorie Enya, brasileira no Conselho da World Rugby - Divulgação
Marjorie Enya, brasileira no Conselho da World Rugby Imagem: Divulgação
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

28/09/2020 14h05

O Brasil pela primeira vez terá voz no Conselho da World Rugby, espécie de órgão legislativo do rúgbi mundial. E a primeira pessoa brasileira a alcançar tal posto é uma mulher: a ex-gerente da seleção brasileira feminina Marjorie Enya.

"É uma responsabilidade imensa ser a primeira brasileira a ter um assento no Conselho da World Rugby, sobretudo por minha indicação ter se dado de forma unânime tanto pelo Conselho de Administração da CBRu quanto pelo Conselho Diretivo da Sudamérica Rugby. É um reconhecimento não só à governança da CBRu, da qual eu faço parte desde 2018, mas sobretudo ao caminho brilhante trilhado pelas mulheres do rúgbi feminino no Brasil desde muito antes de eu conhecer o esporte", disse ela ao blog.

O Conselho da World Rugby tem 52 cadeiras, distribuídas aos países com mais tradição no esporte (Inglaterra, França, Austrália e África do Sul, por exemplo, têm três cadeiras), a nações de nível intermediário (EUA e Uruguai agora têm um lugar cada, por exemplo) e às federações continentais.

Todos os membros com duas ou mais cadeiras precisam indicar ao menos uma mulher e foi o que fez a assembleia da Sudamerica Rugby (a federação sul-americana) no sábado (26), quando escolheu Marjorie para o posto. A reunião também reelegeu o uruguaio Sebastian Piñeyrua como presidente do órgão sul-americano.

Marjorie formou-se em História pela USP, mas tem carreira ligada ao esporte. Ela coordenou a seleção feminina na Confederação Brasileira de Rúgbi (CBRu) e foi gerente de serviços na instalação do rúgbi na Olimpíada do Rio e na Copa do Mundo de Seves nos EUA em 2018. Ao fim da Olimpíada, pediu em casamento a jogadora Izzy Cerullo, gerando um dos momentos históricos da Rio-2016. Ela fez MBA em gestão de projetos na FGV e, em 2018, foi selecionada para o programa de desenvolvimento de lideranças femininas financiado pela World Rugby.. Atualmente cursa mestrado na Academia Olímpica Internacional, na Grécia.

+ Acompanhe o que mais importante acontece no esporte olímpico pelos perfis do Olhar Olímpico no Twitter e no Instagram. Segue lá! +