PUBLICIDADE
Topo

Emanuel é demitido cinco dias após Leila criticar Weintraub

Leila e Emanuel na diplomação dela - Reprodução/Instagram
Leila e Emanuel na diplomação dela Imagem: Reprodução/Instagram
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

15/06/2020 20h56

Acabou hoje (15) a passagem de Emanuel Rego pela Secretaria Especial do Esporte. O campeão olímpico foi exonerado do cargo de Secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento cinco dias depois de a esposa, a senadora Leila do Vôlei (PSB-DF), de oposição, criticar o ministro da Educação Abraham Weintraub.

"A MP que autoriza Weintraub escolher reitores temporários para as federais durante a pandemia é um ataque à autonomia universitária. No que depender de mim, não aproveitarão a Covid-19 para tentar, mais uma vez, intervir nas universidades. Chega de retrocesso", escreveu ela.

Emanuel cuidava dos esportes olímpicos do Fluminense quando foi convidado para assumir a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) no início do governo Jair Bolsonaro (sem partido), apesar de ser marido de uma senadora de oposição. Ele ficou poucos dias no posto, uma secretaria nacional, e depois foi transferido para o alto rendimento.

Sem recursos para gerir, não deixou nenhum legado em mais de um ano no cargo. Bolsonaro nunca gostou de tê-lo no governo, mas os generais que tocavam a Secretaria Especial do Esporte faziam questão de mantê-lo. O presidente criticava o fato de Emanuel ser do governo e a esposa dele votar contra os interesses do Executivo. O Olhar Olímpico chegou a mostrar que, na secretaria, ele tomava medidas que iam de encontro às pautas defendidas por ela.

Na segunda-feira da semana passada, sem razão aparente, o Diário Oficial da União (DOU) republicou a nomeação de Emanuel para o cargo que ocupava. Parece ter sido um recado para bolsonaristas. No mesmo dia o perfil de Oswaldo Eustáquio, um influenciador bolsonarista, escreveu no Twitter que: "O Ministro Onyx Lorenzoni nomeou hoje o marido da senadora socialista, opositora ao governo Leila do Vôlei (PSB-DF) para o cargo de Secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento. Emanuel Rego recebeu Bolsa Atleta na gestão Aldo Rebelo em 2013. Ele está no governo desde 2019."

Não existe qualquer relação entre a Bolsa Atleta de Emanuel e o ex-ministro do Esporte. Luiz Lima (PSL-RJ), deputado bolsonarista, por exemplo, recebeu R$ 36 mil em Bolsa Atleta no governo Lula. Fabíola Molina, secretária da ABCD, R$ 74,4 mil (valores não corrigidos).

Mas, desde a postagem de Eustáquio, outros perfis de direita passaram a tratar como incompatível a presença de Emanuel no governo. Dois dias depois, quando Leila escreveu criticando o ministro da Educação, a militância se exaltou ainda mais, cobrando a cabeça do campeão olímpico, que acabou exonerado hoje (15).

Também na semana passada o governo federal havia nomeado aquele que seria o número 2 de sua secretaria nacional, o agora diretor de Esporte de Alto Rendimento Bebéo Duarte, fundador de uma das principais equipes de MMA do país e ex-treinador de Rodrigo Minotauro. A tendência é que Bebéo seja promovido.