PUBLICIDADE
Topo

Jogador de vôlei do Cruzeiro pega 6 meses por doping após bronze no Pan

Rodriguinho, bronze no Pan com o vôlei - Reprodução/Instagram
Rodriguinho, bronze no Pan com o vôlei Imagem: Reprodução/Instagram
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

25/03/2020 14h10

Medalhista de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima no vôlei, o jogador Rodriguinho recebeu seis meses de suspensão em julgamento realizado pelo painel antidoping da Federação Internacional de Vôlei (FIVB). Como ele entrou em suspensão provisória em setembro, o gancho já foi cumprido e ele pode voltar a defender o Sada/Cruzeiro e a seleção brasileira quando as competições retornarem.

Rodriguinho testou positivo para a oxilofrina, um estimulante proibido no Código Mundial Antidoping. Ele entrou em suspensão assim que o resultado do teste feito no Pan foi divulgado, na primeira semana de setembro. Assim, não disputou nenhum torneio pelo Sada/Cruzeiro na temporada, o que inclui a Superliga Masculina e o Mundial Interclubes. Ele foi defendido pelo advogado Marcelo Franklin, que conseguiu provar que a substância proibida estava em suplemento contaminado.

Pela coincidência de datas com o Pré-Olímpico Mundial, o Brasil enviou um time B ao Pan no vôlei masculino, com jovens promessas como Rodriguinho, de 23 anos. A equipe teve campanha medíocre e se contentou com uma medalha de bronze, obtida após vitória por 3 sets a 0 sobre o Chile.

Em Lima, o Brasil bateu seu recorde histórico de casos de doping nos Jogos Pan-Americanos, mais do que todas as outras edições somadas. Foram suspensos o ciclista Kacio Freitas, bronze na velocidade por equipes, a judoca Rafaela Silva, ouro, suspensa por dois anos, e a medalhista de prata do lançamento de disco Andressa de Morais.

Olhar Olímpico