PUBLICIDADE
Topo
Destretando

Destretando

O que é greenwashing?

Greenwashing - Getty Images/iStockphoto
Greenwashing Imagem: Getty Images/iStockphoto

Giacomo Vicenzo

Colaboração para Ecoa, de São Paulo

04/12/2021 06h00

Lavagem verde — essa é a tradução literal do termo em inglês greenwashing, que se refere a ações que parecem amigáveis ao meio ambiente, mas na verdade apenas vestem essa roupagem de sustentáveis.

A prática pode ser encontrada das prateleiras dos supermercados e campanhas de montadoras de veículos até a própria COP26, que tem sido criticada por não trazer ações realmente concretas para barrar o aquecimento global. A conferência tinha como principal objetivo reduzir a emissão de carbono e uso de combustíveis fósseis, mas contou com mais de 503 lobistas ligados à defesa dessa matriz energética. O número, inclusive, é maior que o dos representantes dos países que faziam parte do evento, como apontou Mara Gama em sua coluna.

Mas o que é realmente greenwashing? Como não ser enganado por esse tipo de prática enquanto consumidor e como empresas e países podem ser monitorados para que comprovem que suas ações são verdadeiramente eficientes? Ecoa reuniu informações e conversou com um especialista em sustentabilidade sobre o tema. Confira a seguir.

O que é greenwashing na prática?

"Greenwashing é quando uma empresa diz que é ambientalmente correta ou ecologicamente responsável por meio de um produto ou projeto, mas é mentira. Ou ainda não existem provas ou auditorias para tal afirmação", explica Marcus Nakagawa, professor da ESPM e especialista em sustentabilidade.

Analisar o próprio "core business" (ou o negócio principal) de uma empresa é uma saída para descobrir o quanto ela está realmente preocupada com o meio ambiente.

Além disso, calculadoras de carbono podem ser um bom início para saber se uma ação de redução de gases de efeito estufa feita por uma organização é eficaz ou irrisória frente à sua emissão. Nessas ferramentas, é possível calcular emissões pessoais e compensar os impactos, além de dar margem para estimar e mensurar os impactos de algumas atividades empresariais.

Se essa conta não estiver fechando ou o negócio for extremamente poluente e a empresa estiver adotando como prática apenas retirar itens de plástico ou plantar algumas árvores que não são suficientes para compensar suas emissões em um único mês de atividade, é provável que esse possa ser um caso de greenwashing na prática.

Como identificar que uma empresa está fazendo greenwashing?

Você se deparou como uma ação interessante, mas ainda assim ficou a desconfiança de que possa ser apenas mais um greenwashing? Nakagawa alerta que a melhor forma de identificar a prática nesses casos é pesquisar nas plataformas oficiais das empresas, do produto e do serviço.

"Verifique se existe alguma certificação ou selo de uma empresa terceira para validar aquela informação. Quando existe uma auditoria, uma universidade ou alguma organização de credibilidade sempre é mais confiável do que apenas a 'propaganda' ou o argumento utilizado. Geralmente as empresas tendem a falar mais do que realmente fazerem", diz o especialista para Ecoa.

Transparência para evitar greenwashing em políticas ambientais e empresas

A manobra que recebeu o apelido de "pedalada ambiental" e modificou as bases de cálculos das emissões de carbono no Brasil, permitindo ao país emitir ainda mais gases de efeito estufa do que o estabelecido no Acordo de Paris, pode ser considerado um dos exemplos mais recentes de greenwashing em políticas ambientais.

Nakagawa lembra que, assim como acontece com empresas, é fundamental que haja transparência na esfera pública. "Os planos, metas e atividades precisam ser comprovados, auditados e monitorados por organizações e sociedade civil. Os governos são representações da sociedade e têm um poder muito grande de decidir o futuro dos países e do planeta e o quanto interferimos nos ecossistemas e nos seus fluxos", explica.

Para empresas, a tendência sobre sustentabilidade se mostra promissora. Uma pesquisa feita pela Aberje (Associação Brasileira de Comunicação Empresarial) com grandes empresas do Estado de São Paulo revelou que em 95% das agendas das organizações ouvidas o tema ESG [Governança ambiental, social e corporativa] é uma prioridade.

Mas Nakagawa alerta que é preciso cuidado ao se deparar com esse tipo de informação e programa. "Enquanto consumidores temos que entender o que é o greenwashing, mas não podemos sair achando que toda ação ambiental é isso e ir cancelando a marca ou o produto — assim como não podemos acreditar de prontidão que todas as organizações agora são sustentáveis e amigas do meio ambiente", acredita.

Para o especialista, não há mais como fugir do tema da sustentabilidade. "O debate com base em ciência faz parte da nossa jornada civilizatória. E a busca pela melhor qualidade de vida para todos os seres é urgente, sem deixar ninguém para trás", diz.

Destretando