PUBLICIDADE
Topo
Destretando

Destretando

O que são combustíveis fósseis e como viveremos sem eles no futuro próximo?

14.jun.2013 - O aquecimento global é provocado pela emissão de gases como CO2 e metano. A China é a maior poluidora do mundo, principalmente pela queima de combustíveis fósseis. Ciclistas passam por ruas cobertas por fumaça emitida por indústria em Yutian, a cem quilômetros de Pequim - Peter Parks/AFP
14.jun.2013 - O aquecimento global é provocado pela emissão de gases como CO2 e metano. A China é a maior poluidora do mundo, principalmente pela queima de combustíveis fósseis. Ciclistas passam por ruas cobertas por fumaça emitida por indústria em Yutian, a cem quilômetros de Pequim Imagem: Peter Parks/AFP

Giacomo Vicenzo

Colaboração para Ecoa, de São Paulo (SP)

28/09/2021 06h00

Quando alguém vira a chave de um carro movido a gasolina ou diesel raramente pensa que o processo para aquele combustível existir começou há milhões de anos, mais precisamente nos períodos Cretáceo e Jurássico, há 135 e 65 milhões de anos, respectivamente.

Esse foi o berço do petróleo, o "bruto suco de dinossauros" e de outros organismos vivos, que extraímos hoje depois de sua decomposição, e é a matéria-prima utilizada em todo o mundo para a produção de gasolina e diesel — alguns dos combustíveis fósseis, que junto com carvão e gás natural representam cerca de 75% da demanda mundial de energia.

No entanto, se eles foram o alicerce para a industrialização e para o mundo moderno, a descarbonização hoje, também é uma pauta global e é uma meta para barrar as mudanças climáticas causadas pelo aquecimento global, ocasionado pelo uso desses combustíveis e de outras práticas que vão da indústria à criação de gado.

Mas o que são combustíveis fósseis? Por que devemos nos preocupar com seu uso nas próximas décadas? Quais são os tipos de combustíveis? Onde e como são formados?

O que são combustíveis fósseis e onde são encontrados?

Os combustíveis fósseis são basicamente a decomposição de animais e vegetais que viveram na Terra bem antes da chegada dos humanos, mas para que se transformem nessas matrizes energéticas, é preciso que tenham passado por certas condições de pressão e temperatura.

"Os principais combustíveis fósseis são o petróleo, o gás natural e o carvão mineral", aponta a bióloga Francyne Elias-Piera, mestre em oceanografia biológica (USP) e doutora em ciência ambiental (Universitat Autònoma de Barcelona).

Mas eles se formaram de maneiras diferentes ao longo do tempo. A pedido de Ecoa a bióloga explica de forma resumida.

Quais os tipos de combustíveis fósseis?

Petróleo: A principal fonte de energia do mundo, é encontrado abaixo do fundo do oceano, lagos ou em regiões que um dia foram cobertas por mares. Sua formação nasce da decomposição de organismos vegetais e animais que estão abaixo de várias camadas de sedimento por milhares de anos em alta pressão e com pouco oxigênio, assim surgem os hidrocarbonetos de petróleo.

Gás natural: Encontrado em jazidas de gás natural, que com frequência estão ligadas à presença de petróleo, e assim como o óleo, se formam pela decomposição de matéria orgânica que dá origem a esses gases.

Carvão mineral: Esse processo vem da fossilização da madeira, que perde água, metano e gás carbônico formando uma substância mais complexa de carbono cristalizado, que é o carvão mineral. Seu uso libera gases como o enxofre e ocasiona chuvas ácidas.

Quais os impactos dos combustíveis fósseis?

A queima dos combustíveis fósseis para produção de energia emite grande quantidade de CO2, um dos gases mais liberados na atmosfera em todo o mundo e responsável pela poluição do meio ambiente e aquecimento global.

Cientistas afirmaram recentemente que a eliminação dos combustíveis fósseis ajudaria a preservar o que chamam de "sinais vitais da Terra", protegendo os habitats da natureza de forma permanente.

O relatório do IPCC (Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas), da ONU, publicado recentemente alertou que o aquecimento global está aumentando mais rápido que o esperado e a culpa é justamente das atividades humanas.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, avaliou que este é o alerta vermelho para a humanidade e que devemos pôr fim aos combustíveis fósseis. Guterres defendeu que usinas a carvão deixem de ser construídas a partir de 2021.

Vale lembrar outro ponto essencial, que é a finitude desses recursos, que como já dito, demoraram milhões de anos para se formar no planeta, e que com o uso desenfreado podem chegar ao fim, ainda que o aumento da temperatura seja uma preocupação iminente.

"O problema é que fizemos toda a nossa indústria e modernidade baseados nessa fonte de energia, que ficou barata devido aos séculos de desenvolvimento e pesquisa. Estudos mostram que ainda existem combustíveis fósseis em vários lugares do mundo, porém de difícil acesso ou com risco para a natureza local em caso de extração", lembra Marcus Nakagawa, especialista em sustentabilidade e professor da ESPM.

Os combustíveis fósseis serão substituídos?

Ao que tudo indica os combustíveis fósseis vão ficar no máximo com o saudosismo. Assim defendem líderes mundiais, como Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, que afirmou que a economia europeia baseada em combustíveis fósseis "chegou ao fim". Sua fala fez parte da apresentação da proposta legislativa para que a União Europeia (UE) alcance a neutralidade até 2050.

A política alemã defendeu que o caminho para essa mudança deve estar no preço imposto para emissão do CO2, estimulando assim, que novas tecnologias menos poluentes sejam adotadas em substituição às que já existem. Entre as propostas apresentadas em Bruxelas estão os veículos elétricos, a fiscalização energética e o desenvolvimento de biocombustíveis sustentáveis. A meta é que a UE não dependa mais de combustíveis fósseis até a metade do século.

Em 2030, carros novos movidos a gasolina e a diesel terão comercialização proibida no Reino Unido. No Brasil, um projeto de lei, que ainda não tem previsão de votação, pretende proibir a circulação de automóveis movidos por motor a combustão [com exceções] em 2040.

As soluções já se fazem presentes com carros elétricos, esforços para a substituição de usinas termelétricas [que funcionam com combustíveis fósseis] e o comprometimento dos países com o Acordo de Paris para impedir o aumento do aquecimento global e adequação para menor emissão de CO2.

"A era dos combustíveis fósseis está acabando, pois está acontecendo o investimento em pesquisa e tecnologia em combustíveis de fontes renováveis como foi no passado com a introdução do petróleo. Com isso, os combustíveis não fósseis ficarão mais baratos do que os fósseis atualmente", acredita Nakagawa.

Destretando