PUBLICIDADE
Topo

Na prática

Como ajudar as vítimas das enchentes, covid-19 e dengue no Acre?

Alana Manchineri, comunicadora da Coiab Amazônia - Arquivo Pessoal
Alana Manchineri, comunicadora da Coiab Amazônia Imagem: Arquivo Pessoal

Maria Meirelles

Colaboraçao para Ecoa, de Rio Branco (AC)

23/02/2021 10h41

Situado ao norte do país, o estado do Acre enfrenta uma crise sem precedentes. Além de ter que lidar com a lotação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI) destinadas aos pacientes com covid-19, o estado sofre com a enchente e com o transbordamento dos principais rios - fenômeno que já desabriga milhares de famílias.

Na segunda-feira (22), o governo decretou estado de calamidade pública em dez cidades afetadas por enchentes. O volume e a força das águas surpreenderam até mesmo quem passa com frequência por uma "alagação". A população mais pobre, que vive nas áreas de risco, próxima às margens dos rios, foi a mais afetada. Muitos perderam tudo, inclusive, suas casas. Segundo o estado, 130 mil pessoas foram atingidas.

Diante do caos, que se soma ao surto de dengue (80% dos atendimentos nas unidades de pronto atendimento de Rio Branco são motivados pela doença transmitida pelo mosquito aedes aegypti), aumento dos casos e mortes pelo novo coronavírus e crise migratória, muitas instituições e organizações da sociedade civil deram início a campanhas de arrecadação, a fim de minimizar os sofridos pelas vítimas da enchente.

SOS Acre

CUT - Foto: Arquivo Pessoal - Foto: Arquivo Pessoal
Edmar Batistela, presidente da CUT Acre
Imagem: Foto: Arquivo Pessoal

A iniciativa SOS Acre, promovida pelo Ministério Público do Estado (MPE/AC), em parceria com o Tribunal de Justiça (TJ/AC), ganhou força no último fim de semana com o apoio da acreana, atriz e ex-BBB, Gleici Damasceno, e do coordenador do Voz das Comunidades (RJ), Rene Silva.

"É muito triste tudo o que está acontecendo no Brasil, e o Acre enfrenta não só a pandemia, como todos esses outros problemas, que tornam a situação no estado ainda pior. Eu e Rene mobilizamos os artistas no sentido de fazer ecoar esse pedido de ajuda para o estado", ressalta Gleici.

Segundo o secretário-geral do MP e membro da Comissão da Campanha SOS Acre, Rodrigo Curti, o recurso arrecadado será revertido na compra de cestas básicas, produtos de higiene pessoal e limpeza. "Vamos entregar os produtos às famílias com a ajuda da Cruz Vermelha, Exército Brasileiro e das Defesas Civis dos Municípios e Estado", explica o promotor de Justiça.
A campanha também vai assegurar produtos de uso específico aos recém-nascidos e crianças, água potável, colchões e medicamentos às famílias afetadas pela enchente em todo o estado.
Em outra ponta e com o mesmo propósito, atua a Central Única de Trabalhadores do Acre, em parceria com a organização Coração Amigo. Além de donativos, a campanha SOS Acre da CUT também arrecada recursos para a compra de alimentos, produtos de limpeza, higiene pessoal e água potável.

A ação solidária leva alento às vítimas de quatro municípios alagados no Acre: Rio Branco, Tarauacá, Sena Madureira e Cruzeiro do Sul - regiões atingidas com mais intensidade pela fúria das águas. O movimento abastece duas cozinhas comunitárias, que entregam comida de maneira gratuita aos desabrigados.

Para doar, basta enviar a quantia desejada por meio do PIX 020.888.102-69. "Estamos enviando cestas básicas, roupas e materiais de limpeza nesta terça-feira (23) para essas cidades", disse o presidente da CUT/AC, Edmar Batistela.

SOS Povos indígenas

Além das populações urbanas, a enchente dos rios também gerou muitos prejuízos aos povos indígenas. Para minimizar os danos, a Organização dos Professores Indígenas do Acre (Opiac) e a MATPHA (Organização Manchineri Tsihi Pukte Hajene), em parceria com a Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab Amazônia), iniciaram uma ação solidária.
A campanha SOS Povos Indígenas do Acre e Sul do Amazonas arrecada recursos para a compra de cestas básicas e água potável, destinadas aos parentes afetados pela força das águas amazônicas. A doação para o restante do Brasil é realizada por meio do PIX (68) 99612-9696.

"Estamos fazendo um levantamento das famílias indígenas afetadas. No Acre, mais de cinco povos estão sofrendo drasticamente com a enchente. Nossa preocupação é a aglomeração de famílias nos abrigos públicos, em plena pandemia", observa a comunicadora indígena da Coiab e uma das organizadoras da campanha, Alana Manchineri.

Como doar:

SOS Acre
As doações para o SOS Acre podem ser feitas em dinheiro, por transferência ou depósito bancário:
Agência: 2359-0
Conta Corrente: 14.300-6
PIX: 63.589.899/0001-40

SOS Acre - CUT
Para doar, basta enviar a quantia desejada por meio de PIX
PIX 020.888.102-69.

SOS Povos Indígenas do Acre e Sul do Amazonas
PIX PIX (68) 99612-9696.

Na prática