PUBLICIDADE
Topo

#BoasNotícias30/3: Cidade imune, toneladas de feijão, 101 anos e curado

Feijão e arroz - iStock
Feijão e arroz Imagem: iStock

Carina Martins

De Ecoa, em São Paulo

30/03/2020 19h18

O discurso sobre a preocupação entre as pessoas terem como se sustentar durante o isolamento social ganhou uma chance prática: o senado acaba de provar a Renda Básica Emergencial, já aprovada pela Câmara dos Deputados na semana passada. A medida, que garante até R$ 1.200 mensais por família (veja aqui as regras) poderia ter sido implementada antes mesmo da votação. Agora é regra, e passa a valer imediatamente após a sanção presidencial. O tempo desse processo dará uma pista do compromisso do discurso.

Diariamente, Ecoa selecionará boas notícias para nos ajudar a enfrentar a nova rotina e nos manter orientados sobre a Covid-19.

Merendas sem escola

Além da Renda Básica, o Senado também aprovou hoje (30) um projeto que autoriza o envio direto das merendas escolares a pais de alunos matriculados em escolas públicas de educação básica.

Empresas se mexem

Um levantamento feito site Poder 360 mostra que, entre 17 e 28 de março, os anúncios de doações de recursos para combater o coronavírus feitos por empresas privadas chega a R$ 386,6 milhões. São máscaras, respiradores, cestas básicas e dinheiro empenhados por mais de 60 empresas. E o número continua crescendo. A Kicaldo, por exemplo, empresa que empacota e beneficia grãos, acaba de divulgar a doação de 30 toneladas de feijão, que serão distribuídas esta semana por ONGs em comunidades de Barueri (SP), Rio de Janeiro, Salvador e Feira de Santana (BA).

Cientista brasileiro

O baiano Gustavo Cabral, imunologista que coordena as pesquisas brasileiras de uma vacina contra a Covid-19, foi o primeiro de sua família a ter curso superior e só estudou em instituições públicas. A história dele você pode conhecer em VivaBem.

Cidade imune

Uma pequena cidade de pouco mais de mil habitantes, no meio da região mais afetada da Itália, vem chamando a atenção por estar aparentemente "imune" contra a Covid-19: mesmo no epicentro da doença, não há casos na pequena comuna de Ferrera Erbognone. Isso chamou a atenção de cientistas, que pretendem coletar amostras de sangue dos habitantes que se voluntariarem em busca de alguma pista imunológica.

O prefeito de Ferrera, Giovanni Fassina, no entanto, acredita numa resposta bem mais simples. "Acredito que isso não se deva à genética. Nós somos como todo mundo", disse, em entrevista ao jornal "Il Giorno". "É apenas porque, aparentemente, a população tem sido firme em respeitar as precauções recomendadas pelas autoridades". Nossa população tem uma idade média alta. Há uma alta sensibilidade ".

Um dia, mas não hoje

Um italiano de 101 anos, nascido durante a epidemia de gripe espanhola, voltou para casa depois de semanas internado com coronavírus. Agora curado, o cidadão de Rimini, identificado apenas como P., teve sua história contada pela vice-prefeita da cidade, Gloria Lisi. "O senhor P. conseguiu. A família o levou para casa ontem à noite e isso nos ensina que, nem com 101 anos, alguém já tem o futuro escrito", afirmou ela.

Mais #BoasNotíciasEcoa: