Infomoto

Infomoto

Siga nas redes
ReportagemCarros

X-ADV: scooter diferentão da Honda encara viagem até por estradas de terra

A Honda X-ADV tem a inovadora proposta de unir a praticidade das scooters com a versatilidade das motos aventureiras. Com um design "diferentão", a X-ADV chegou ao Brasil em 2018, mas já está em sua segunda geração por aqui. O modelo 2024, avaliado, ganhou motor mais potente, além de novas tecnologia e até painel com conectividade para smartphones.

Para conferir se a nova X-ADV cumpre a promessa de ser uma scooter aventureira, rodamos cerca de 700 quilômetros na cidade, em rodovias e até estradas de terra.

Além da "cara" de scooter, com plataforma de apoio para os pés, parabrisa e compartimento de 22 litros sob o assento, a X-ADV tem câmbio automático. Mas não o simples CVT da maioria das scooter.

O modelo usa o câmbio de dupla embreagem (DCT) exclusivo da Honda. Derivado de carros superesportivos, tem a mesma mecânica dos câmbios convencionais, mas conta com a eletrônica para fazer trocas automatizadas entre as seis marchas.

X-ADV tem motor de moto

Na hora de dar partida no motor, uma prática Smart Key (chave inteligente) facilita a tarefa. Basta apertar um botão para despertar o bicilíndrico de 745 cm³ com arrefecimento líquido.

X-ADV tem "cara" de scooter, mas usa o mesmo motor da aventureira Honda NC 750X
X-ADV tem "cara" de scooter, mas usa o mesmo motor da aventureira Honda NC 750X Imagem: Divulgação

Semelhante ao propulsor da Honda NC 750X, ele produz 58,6 cv de potência máxima a 6.750 rpm e 7,03 mkgf de torque já a 4.750 giros. Desempenho de sobra para rodar na cidade e suficiente para manter 120 km/h com folga nas rodovias.

Tudo isso com a facilidade do câmbio automatizado, mas que também oferece a possibilidade de trocar as marchas manualmente por meio de botões no punho. No caso de uma redução, por exemplo, bastava apertar o botão para ir de sexta à quinta marcha e fazer uma ultrapassagem com tranquilidade.

Continua após a publicidade
Motor de 58 cv mantém boas velocidades na estrada e tem torque para ultrapassagens
Motor de 58 cv mantém boas velocidades na estrada e tem torque para ultrapassagens Imagem: Divulgação

A nova geração também ganhou acelerador eletrônico que permitiu a adoção de quatro modos de pilotagem pré-definidos e um personalizável. No mais esportivo, o Sport, a resposta ao acelerador fica mais instantânea e as trocas do câmbio DCT são feitas em giros mais altos, "esticando" as marchas. Ideal para acelerar na estrada. Os modos também alteram o nível de intervenção do controle de tração.

Modo aventura

Depois de quase 300 quilômetros de asfalto, era hora de encarar estradas de terra para conhecer a região da Chapada dos Veadeiros em Goiás. Selecionei o modo "Gravel" (cascalho), o indicado nessas situações. Com menos controle de tração e respostas mais suaves no acelerador, a X-ADV se sente à vontade em vias não pavimentadas também.

Novos modos de pilotagem, como o Gravel, e alguns acessórios deixam a X-ADV ainda mais preparada para rodar na terra
Novos modos de pilotagem, como o Gravel, e alguns acessórios deixam a X-ADV ainda mais preparada para rodar na terra Imagem: Divulgação

Afinal, o modelo usa rodas raiadas, com pneus de uso misto sem câmara, para garantir aderência. Aliadas ao conjunto de suspensão com bom curso que tem garfo telescópico invertido, na dianteira, e monoamortecedor, na traseira, a X-ADV encara com valentia uma estradinha de chão batido. Mas não espere enfrentar uma trilha pesada...

Continua após a publicidade

O piloto senta-se confortavelmente, com os pés na plataforma, como em uma scooter, mas tem um largo guidão para desviar de obstáculos a sua frente. Vale ressaltar que, para pilotar em pé, como nas motos aventureiras, é preciso instalar pedaleiras adicionais, vendidas como acessório. Nessa avaliação, mostraram que valem o investimento se a sua intenção é se aventurar por "maus caminhos".

Scooter polivalente, porém cara

Importada do Japão, a X-ADV cobra o preço pela sua inventividade. O modelo 2024, avaliado, chegou às lojas em julho por R$ 91.780 - um valor mais alto até do que a bigtrail Africa Twin 1100.

Com bom desempenho e conforto para pegar a estrada, X-ADV é opção cara para rodar no dia a dia e também viajar
Com bom desempenho e conforto para pegar a estrada, X-ADV é opção cara para rodar no dia a dia e também viajar Imagem: Divulgação

Entretanto, a X-ADV é mais aventureira do que aparenta e se comporta quase como uma bigtrail, mas com o conforto e praticidade de uma scooter.

Apesar do preço salgado, pode ser uma boa opção para quem quer ter apenas uma moto na garagem. Ao invés de uma scooter para a cidade e uma moto para viajar, a polivalente X-ADV cumpre bem as duas funções.

Reportagem

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes