Topo

Rio de Janeiro


Fernando Fernandes ficou escondido 1 hora e meia dentro de cobra da Portela

O atleta paralímpico da canoagem Fernando Fernandes desfilou pela escola campeã do Rio de Janeiro, a Portela, dentro da boca de uma cobra em um dos carros alegóricos - Bruna Prado/UOL
O atleta paralímpico da canoagem Fernando Fernandes desfilou pela escola campeã do Rio de Janeiro, a Portela, dentro da boca de uma cobra em um dos carros alegóricos
Imagem: Bruna Prado/UOL

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

01/03/2017 21h30

Estreante na Portela, Fernando Fernandes literalmente suou pela escola campeã do Carnaval do Rio de Janeiro. Para não estragar a grande surpresa da noite, o atleta paralímpico ficou dentro da boca de uma mitológica cobra amazônica por 1 hora e meia antes de entrar na avenida do samba. 

"Essa surpresa obviamente contribuiu para o resultado final", acredita Fernando, que vibrou junto com o público quando a cobra da Portela abriu a boca e ele surgiu dentro de uma canoa na língua do bicho, a cerca de 10 metros de altura.

"Toda vez que a língua saía o público gritava muito. Era uma surpresa para eles. A hora que apareci a galera aplaudiu, vibrou junto. Foi uma das coisas mais emocionantes que fiz na vida, não tinha noção da grandeza", conta o atleta.

Mas não foi só o público que ficou surpreso com a alegoria móvel pensada por Paulo Barros. Fernando só viu a cobra pessoalmente um dia antes do desfile, no domingo.

Ele estava na Noruega gravando para o Esporte Espetacular, da Globo, e para o canal Off, onde estreia um programa ainda este mês. "Eu não tinha noção da grandiosidade, da dimensão que ia ser o carro e o papel que eu estaria na avenida. Foi um desafio."

Significado

Com o tema da Portela "Foi um rio que passou em minha vida", não foi difícil convencer Fernando. O atleta conta que Paulo Barros disse ter feito o carro pensando justamente nele. "A água, a canoa, representam minhas pernas. Era muito maior do que simplesmente estar desfilando. Para mim foi muito especial", conta ele, que perdeu o movimento das pernas depois de um acidente de carro em 2005.

O carro foi todo preparado para recebê-lo. A canoa era acolchoada por dentro e um cinto prendeu a cintura e as pernas de Fernando à alegoria. O atleta subiu com um guindaste e destacou que o tempo todo a equipe estava preocupada com a sua segurança, E Fernando não teve nem como temer depois dos acidentes com as escolas que desfilaram antes da Portela, já que foi o primeiro a entrar no carro e permaneceu lá por horas antes de entrar na avenida.

Fernando Fernandes é atleta paralímpico - Eduardo Knapp/Folhapress
Fernando Fernandes é atleta paralímpico
Imagem: Eduardo Knapp/Folhapress

Fernando Fernandes ainda não sabe se volta para a avenida com a Portela no ano que vem, mas afirma que seu coração já é azul e branco. "Sempre fui admirador da Portela, gosto muito de samba. Estou orgulhoso por ser um personagem depois de 33 anos que a escola não ganhava."

Se ele volta para o desfile das campeãs, no sábado? Com certeza, e no mesmo lugar. Ele só vai fazer um pedido especial: "Vou pedir para não guardarem a língua da cobra, dessa vez quero ver o desfile todo."