PUBLICIDADE

Topo

Sem Frescura: ficar muito tempo sem sexo faz mal à saúde?

Mais Sem Frescura
1 | 25
Siga o VivaBem no

Gabriela Ingrid

Do VivaBem, em São Paulo

06/07/2020 04h00

Com a pandemia e o isolamento social, o que resta para muita gente é se acostumar a ter como cenário as paredes de casa. Isso significa ficar sem contato físico, ou seja, nada de "contatinhos". Até mesmo quem tem um "crush" fixo tem boas chances de estar na seca. Mas será que passar esse tempo todo sem transar pode nos causar problemas?

De maneira geral, a resposta é sim, mas a parte física do corpo é a que menos sofre consequências. A ausência de sexo não causa qualquer alteração nos órgãos sexuais em si.

O que pode ocorrer é um certo desajuste em termos de excitação por causa da "falta de costume". Isso varia de pessoa para pessoa, mas poderia afetar a sensibilidade dos órgãos genitais e questões como lubrificação nas primeiras transas após tudo voltar ao normal.

Com a quarentena também passamos muito tempo sentados, especialmente agora que ficamos a maior parte dos dias em casa. Isso pode enfraquecer a musculatura da região genital, que serve de sustentação para os órgãos e também atua no controle da urina e das fezes. O sexo inclusive seria um dos meios de fortalecer essa região.

Mas se o físico não é tão afetado, o mesmo não se pode dizer da parte psicológica, especialmente em pessoas que estão em idade reprodutiva. Aqui, a tendência é que alguns sintomas causados pela pandemia, como estresse e a ansiedade, sejam intensificados.

Nesse ponto, o sexo tem uma função relaxante e antidepressiva, já que hormônios e neurotransmissores liberados durante o ato em si e o orgasmo ajudam a controlar esses e outros sintomas ligados à depressão.

O mesmo vale para a agressividade, já que muitas pessoas usam o ato sexual para descarregar a sua energia agressiva. Sem isso, as pessoas podem ficar agressivas em suas relações interpessoais ou adotar atitudes destrutivas.

A falta de sexo também afeta o nosso comportamento. A pessoa não se sente desejada e, já que ela fica com a autoestima abalada e com a falta de perspectiva de dividir a intimidade com outra pessoa, ela pode até mesmo se descuidar de questões como a higiene.

E não é só a vida pessoal que é afetada quando você passa um período de seca. Sem sexo, é bem provável que você renda menos no trabalho. Isso porque transar estimula a formação de neurônios e também ajuda a regular o sono.

A solução aqui acaba sendo buscar formas de obter os benefícios do sexo mesmo quando ele não está presente nas nossas vidas. Nesse sentido, a sugestão vai desde fazer exercícios físicos em casa até atividades como a meditação e também a masturbação, o que ajuda a produzir neurotransmissores que causam bem-estar.

Roteiro: Rodrigo Lara. Fontes: Thaís Oliveira, psicóloga da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo; Eduardo Perin, psiquiatra pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e especialista em sexualidade pelo InPaSex (Instituto Paulista de Sexualidade) e Alexandre Pupo, ginecologista e obstetra do Hospital Sírio-Libanês e Hospital Albert Einstein; Glennia Goulart, fisioterapeuta, psicóloga especializada em sexualidade e colunista da plataforma Sexo sem Dúvida; Márcia de Oliveira, fisioterapeuta especialista em saúde da mulher, doutora em Ciências da Saúde, colaboradora da plataforma Sexo sem Dúvida e CEO do Espaço Íntimo Fisioterapia.