PUBLICIDADE

Topo

Frutas ajudam a reduzir vontade por doces; veja boas opções

Bárbara Therrie

Colaboração para o VivaBem

17/08/2021 04h00

Com a missão de parar de comer doces, uma das dicas que a publicitária Mariana Elias, 36, recebeu no "Desafio Aceito", do Canal UOL, apresentado por Thelminha, médica e ex-BBB, foi aumentar o consumo de frutas. Sabia que elas são uma ótima opção na substituição do açúcar refinado?

A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda que o consumo de açúcar não deve ultrapassar de 50 g por dia. As frutas. apesar de serem alimentos de sabor doce, não entram nessa conta. Além disso, o açúcar refinado contém "calorias vazias", enquanto as frutas fornecem vitaminas, fibras, minerais, antioxidantes e compostos bioativos para o nosso organismo.

Sem poder comer doces a partir da segunda semana do desafio, Mariana trocou os bolos, biscoitos e carolinas por frutas, como opção de sobremesa após o almoço e no café da tarde. "Tive um dia corrido e estressante, quase perdi a linha algumas vezes, acabei substituindo a vontade de comer doce, principalmente na sobremesa do almoço, por duas frutas, uma porção de melancia e outra de manga", contou.

De acordo com Muriely Verdin, nutricionista especializada em nutrição esportiva pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (Universidade de São Paulo), as melhores frutas para ajudar na substituição do açúcar refinado são as mais adocicadas, mais maduras e frutas secas, como banana, manga, caqui, maçã, lichia, mamão, pêssego, uva, melão, melancia, abacaxi, kiwi, tâmara, uva passa, damasco desidratado. Basicamente todas as frutas que são mais maduras ou que são desidratadas tendem a ser mais doces, podendo agradar ao paladar de quem busca por esse sabor.

Pitaya 2 Desafio Aceito - Reprodução - Reprodução
A pitaya agradou o paladar de Mariana, que comparou a textura da fruta à gelatina
Imagem: Reprodução

A nutricionista comenta que algumas combinações também podem ser feitas para ajudar na vontade de comer doce, mas de forma nutritiva, como combinar frutas com canela e aquecê-las no forno ou micro-ondas, ou acompanhadas de mel e chocolate amargo. Ao misturar alguma fruta com esses produtos a tendência é que a pessoa coma uma menor quantidade do doce que comeria, caso fosse consumir apenas o chocolate isoladamente, por exemplo. Mas ela alerta: "É claro que o bom senso é necessário para que a pessoa não acostume a comer a fruta apenas com esses acompanhamentos e que não exagere na quantidade".

Aproveite para experimentar novas frutas

A publicitária aproveitou essa fase de mudanças de hábitos para conhecer e experimentar novas frutas. Algumas ela aprovou: "A pitaya é boa, doce, gostei da textura, parece uma gelatina, achei uma delícia". Outras nem tanto: "Tâmara é muito ruim. Na minha opinião, foi pior coisa que provei no desafio todo".

Tamara Desafio Aceito - Reprodução - Reprodução
Mariana não gostou de tâmara e até comparou a uma barata
Imagem: Reprodução

Segundo Verdin, é importante experimentar e variar os diferentes tipos de frutas, para garantir a ingestão de todos os nutrientes que o nosso corpo precisa. E também para trabalhar o paladar para outros sabores. O azedo e amargo, por exemplo, contribuem para a redução do consumo de açúcar de adição, auxiliando no controle de peso e permitindo que o indivíduo tenha um paladar mais adaptado a alimentos mais naturais e menos ultraprocessados.

A base de uma alimentação saudável consiste no consumo de alimentos da categoria in natura ou minimamente processados, são menos doces, mais azedos e mais amargos que vêm diretamente da natureza e não se comparam ao sabor mais artificial dos ultraprocessados, que devem aparecer em menor frequência e quantidade nos pratos.