PUBLICIDADE

Topo

Qual é o Remédio

Um guia dos principais medicamentos que você usa


Qual é o Remédio

Sertralina trata depressão e ajuda na ansiedade que não deixa emagrecer

iStock
Imagem: iStock

Cristina Almeida

Colaboração para VivaBem

16/03/2021 04h00

Resumo da notícia

  • Sertralina é um antidepressivo da classe dos inibidores seletivos da recaptação da serotonina
  • Geralmente é indicado para tratar depressão, TOC, pânico e estresse pós-traumático
  • Quando comparado a antidepressivos mais antigos, tem menos efeitos colaterais
  • Ela tem uso pediátrico específico e é considerada segura até para idosos

A sertralina é um medicamento utilizado no tratamento da depressão, ansiedade e problemas relacionados. Desde a sua aprovação, em 1991, ela já foi utilizada por mais de 100 milhões de pessoas, e está na lista da prestigiosa revista Science como um dos fármacos mais vendidos do mundo.

O que é sertralina?

Também conhecida como cloridato de sertralina, trata-se de um antidepressivo que pertence à classe dos inibidores seletivos da recaptação da serotonina (ISRS).

Devido às suas características, ele só pode ser comercializado sob receita médica.

Quando usar sertralina?

sertralina - iStock - iStock
Para que serve a sertralina? Ela pode ser usada em casos de depressão, de ansiedade e de fobia social
Imagem: iStock

Como esse fármaco é utilizado há mais de 30 anos, ele é considerado seguro e eficaz. Contudo, é importante que você faça o uso racional desse remédio, ou seja, utilize-o de forma apropriada, na dose certa e por tempo adequado.

A medicação pode ser prescrita para adultos, com o objetivo de tratar sintomas relacionados às seguintes condições:

  • Depressão (inclusive junto a sintomas de ansiedade, com ou sem histórico de mania)
  • Transtorno do pânico
  • Transtorno obsessivo compulsivo (TOC)
  • Transtorno do estresse pós-traumático
  • Fobia social
  • Transtorno de ansiedade social
  • Síndrome da tensão menstrual ou transtorno disfórico pré-menstrual

Na população pediátrica, a sertralina pode ser utilizada no transtorno obsessivo compulsivo, a partir dos 6 anos de idade.

Outras condições psiquiátricas também são tratadas com esse medicamento, como os transtornos alimentares, bulimia nervosa, transtorno dismórfico corporal, transtorno de ansiedade generalizado e ejaculação precoce, entre outros. Como tais indicações não constam da bula, elas são chamadas de off-label.

Como a sertralina funciona?

A sertralina possui boa farmacocinética, ou seja, ao ser administrada pela via oral, é rapidamente absorvida e distribuída pelos tecidos e metabolizada pelo fígado, até que chega a seu alvo, o SNC (Sistema Nervoso Central). Ao terminar sua tarefa, ela sai do corpo pela via renal e fecal.

Quanto ao mecanismo de ação (farmacodinâmica), o medicamento inibe uma proteína encarregada de recaptar a serotonina para que ela seja degradada. Consequentemente, essa ação aumenta a disponibilidade desse neurotransmissor no SNC, o que leva à melhora dos sintomas. A explicação é de Janaína Menezes Zavonelli, professora-pesquisadora e neurocientista do Departamento de Farmacologia da UFPR.

Como todos os medicamentos de sua classe, os seus efeitos começam a ser percebidos entre a 2ª e a 4ª semanas após o início do tratamento. "Há evidências de que, após esse período, eles têm um perfil antioxidante e anti-inflamatório", completa a especialista.

Tipos de sertralina: conheça as apresentações disponíveis

sertralina - iStock - iStock
Uma das apresentações possíveis da sertralina é em forma de comprimidos
Imagem: iStock

A marca de referência da sertralina é o Zoloft®. Mas você pode encontrar as versões genéricas. O princípio ativo não consta da Rename 2020 (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais).

As apresentações e doses disponíveis são comprimidos revestidos de 50 mg ou 100 mg.

Sertralina pode causar dependência?

Conforme a gravidade do quadro, a sertralina poderá ser usada por menor ou maior tempo, e até por toda a vida. Em todas essas situações, ela é considerada segura, mas o paciente deve ser constantemente monitorado.

De acordo com o psiquiatra Henrique Moura Leite Bottura, diretor clínico e fundador do Instituto de Psiquiatria Paulista, ao contrário do que se pensa, não causam dependência. E mesmo quando considerados seus eventuais efeitos colaterais, eles podem ser menos danosos do que não ser tratado.

Bottura fala que é difícil para as pessoas entenderem o que é depressão ou ansiedade. Assim, elas conectam ao aumento dos sintomas decorrentes da suspensão do medicamento como dependência.

"Mas para falarmos em dependência precisamos ter um padrão de perda de controle, o que não acontece com esse tipo de fármaco. O que ocorre, na maioria das vezes, é a piora da disfunção de humor porque ela deixou de ser tratada. Mas isso não pode ser considerado dependência", conclui o médico.

De todo modo, os especialistas sugerem que o tratamento jamais seja descontinuado sem orientação médica. A razão para isso é prevenir mal-estares como tontura, náusea, dor de cabeça, sintomas leves e fugazes.

Quais são as vantagens da sertralina? E as desvantagens?

De acordo com os especialistas consultados, o maior benefício da sertralina é que ela é segura e eficaz, tem menor interação com outros fármacos e ainda possui rápida eliminação, o que permite melhor manejo de efeitos colaterais.

A desvantagem é que, para algumas pessoas, ela pode induzir à diarreia.

Saiba quais são as contraindicações da sertralina

Ela não pode ser usada por pessoas que sejam alérgicas (ou tenham conhecimento de que alguém da família tenha tido reação semelhante) ao seu princípio ativo ou a qualquer outro componente de sua fórmula.

Fique também atento na presença das seguintes condições:

  • Idade inferior a 6 anos
  • Gravidez
  • Doenças do coração
  • Uso anterior de outros tipos de antidepressivos
  • Amamentação
  • Glaucoma
  • Epilepsia (ou uso de medicamentos para tratá-la)
  • Diabetes

Crianças e idosos podem usá-la?

Marcelo Daudt von der Heyde, psiquiatra e professor da Escola de Medicina da PUC-PR, explica que a segurança do uso desse medicamento na população pediátrica (a partir dos 6 anos) e na adolescência (até os 17 anos) já está estabelecida, mas a indicação deve ser criteriosa e os pacientes devem ser acompanhados de perto. Isso porque, como todos os antidepressivos, a sertralina pode aumentar o risco de ideação suicida, principalmente no início do tratamento.

"O medicamento também pode ser usado por idosos. Como uma das preocupações é a polifarmácia, ou seja, o uso contínuo de outras medicações, a sertralina tem a vantagem de causar menos interações que a fluoxetina, por exemplo", esclarece o médico.

Para os maiores de 65 anos, a recomendação é estar atento à retenção de líquidos, que poderia levar à síndrome de secreção inapropriada de hormônio antidiurético e baixos níveis de sódio (hiponatremia).

Estou grávida? Posso usar esse medicamento?

sertralina - iStock - iStock
Contraindicações da sertralina: mulheres grávidas devem evitar o medicamento
Imagem: iStock

A sertralina é contraindicada para gestantes. O uso do fármaco, no primeiro trimestre da gravidez, está relacionado ao aumento do risco malformações cardiovasculares.

Sertralina e amamentação

Pequenas quantidades desse medicamento podem passar pelo leite materno. No entanto, a sertralina é um dos fármacos mais indicados nesse período, porque ela é considerada uma das mais seguras para lactantes.

Apesar disso, cabe ao médico avaliar a relação de custo/benefício da continuidade do tratamento.

Qual é a melhor forma de consumir a sertralina?

Ele pode ser usado junto a alimentos ou não. É aconselhado usar água para ingeri-lo.

Existe uma melhor hora do dia para usar esse medicamento?

Geralmente ele é indicado para tomar na parte da manhã, principalmente no início do tratamento, porque a insônia é um dos seus efeitos colaterais comuns. Mas você deve respeitar o esquema de doses que o seu médico indicar.

O que faço quando esquecer de tomar o remédio?

Tome-o assim que lembrar e reinicie o esquema de uso do medicamento. É desaconselhado tomar doses em dobro de uma vez para compensar a dose que foi esquecida. Se você sempre se esquece de tomar seus remédios, use algum tipo de alarme para lembrar-se.

Quais são os possíveis efeitos colaterais?

Este medicamento é considerado bem tolerado, seguro e eficaz quando utilizado de acordo com as orientações médicas. Apesar disso, os efeitos colaterais mais comuns aparecem no início do tratamento e tendem a desaparecer tão logo ele se estabeleça.

Algumas pessoas poderão observar as seguintes manifestações:

Comuns

  • Dor de cabeça
  • Náusea
  • Dificuldade para dormir
  • Diarreia
  • Boca seca
  • Tontura
  • Sentir-se cansado ou fraco

Raras - procure o médico imediatamente caso observe os seguintes sintomas e sinais:

  • Dor ou pressão no peito
  • Tontura com sensação de desmaio
  • Ereções dolorosas que duram mais de 4 horas
  • Sangramentos

Interações medicamentosas

Algumas medicações não combinam com a sertralina. E quando isso acontece, elas podem alterar ou reduzir seu efeito. Avise o médico, caso esteja fazendo uso (ou tenha feito uso recentemente) das substâncias abaixo descritas, que são exemplos de interação, mas não excluem outras que, eventualmente, possam ter o mesmo efeito.

Por isso, sempre informe ao profissional quais medicamentos você tem utilizado no momento da prescrição da sertralina. Confira:

  • Outros antidepressivos (como a selegilina, um inibidor da enzima monoaminoxidase, antipsicóticos, antagonistas da dopamina, clozapina, risperidona)
  • Anticonvulsivantes (como lamotrigina)
  • Opioides (fentanil, tramadol, metadona)
  • Antitussivo (dextrometorfano)
  • Analgésicos (petidina, pentazocina)
  • AINES (Anti-inflamatórios Não Esteroidais, como aspirina e ibuprofeno)
  • Antiagregantes plaquetários (como o clopidogrel)

Até o momento, há pouca informação sobre a interação com fitoterápicos, mas avise seu médico caso esteja fazendo uso de Hipérico, que poderia potencializar os efeitos colaterais da sertralina.

Entre os suplementos, o fármaco interage com o triptofano. Amouni Mourad, professora do curso de farmácia do Mackenzie e assessora técnica do CRF-SP, explica que essa combinação pode aumentar o risco para a chamada síndrome da serotonina.

"Rara, ela se manifesta com sintomas de confusão, alucinação, convulsão, mudanças na pressão, aumento da frequência cardíaca, febre, sudorese excessiva, tremores, visão turva, espasmo ou rigidez muscular, falta de coordenação, cólicas estomacais, náuseas, vômitos e até diarreia".

Sertralina emagrece?

No início do tratamento, a sertralina pode inibir ou aumentar o apetite. Por isso pode haver perda ou ganho de peso. Boa parte das pessoas apresenta ganho de peso. Caso observe que houve aumento rápido de mais de 2 kg, converse com seu médico para que ele possa orientá-lo.

Esse medicamento não possui indicação para tratar o emagrecimento. Mas ele pode ser útil nos casos de transtorno da compulsão alimentar periódica e também nos quadros de ansiedade relacionada ao maior consumo de alimentos.

Minha vida sexual pode ser afetada?

O objetivo do tratamento é melhorar o humor, o que potencialmente tem efeito positivo para a vida sexual. Contudo, medicamentos como a sertralina, em alguns pacientes, podem ter como efeito colateral a redução do desejo, problemas com a ejaculação e disfunções sexuais.

Entre as mulheres, pode haver alteração da libido, além de dificuldade para alcançar o orgasmo. Além disso, há evidências de que o medicamento pode reduzir a fertilidade em homens, o que pode ser revertido com a substituição ou cessação do uso desse fármaco.

A sertralina corta o efeito do anticoncepcional?

O medicamento não afeta a ação de nenhum tipo de contraceptivo.

Existe interação com exames laboratoriais?

O próprio fabricante adverte a possibilidade de variações de glicose no sangue. Luciana Canetto, diretora e secretária-geral do CRF-SP, adverte que podem ocorrer resultados falso-positivos por imunoensaio —teste que mede a concentração de benzodiazepínicos—, o que ocorre devido à falta de especificidade dos exames.

"Esses resultados podem ser esperados por vários dias, mesmo após a descontinuação do remédio", acrescenta.

Informe seu médico ou o pessoal do laboratório sobre o uso da sertralina, caso tenha de se submeter a algum desses testes.

Há alguma interação alimentar?

Não há relatos de interações com qualquer tipo de alimento, exceto o suco de toranja, que não é muito comum entre nós. A razão para isso é que a bebida potencializa a ação da sertralina, elevando o risco de efeitos colaterais.

Posso beber álcool enquanto uso a sertralina?

sertralina - Getty Images - Getty Images
Não é recomendado ingerir bebidas alcoólicas enquanto se está fazendo uso da sertralina
Imagem: Getty Images

E desaconselhado o consumo do álcool que, se ingerido junto à sertralina, leva à sonolência.

Em casa, coloque em prática as seguintes dicas:

  • Fique atento à validade do medicamento, que é de 24 meses. Considere que, após aberto, essa validade é ainda menor;
  • Mantenha o medicamento sempre dentro da própria embalagem e nunca descarte a bula até terminar o tratamento;
  • Leia atentamente a bula ou as instruções de consumo do medicamento;
  • Utilize o medicamento na posologia indicada;
  • Ingira os comprimidos inteiros. Evite esmagá-los ou cortá-los ao meio --eles podem ferir sua boca ou garganta. A exceção é a indicação médica;
  • Escolha um local protegido da luz e da umidade para armazenamento. Cozinhas e banheiros não são a melhor opção. A temperatura ambiente deve estar entre 15°C e 30°C;
  • Guarde seus remédios em compartimentos altos ou trancados. A ideia é dificultar o acesso das crianças;
  • Procure saber quais locais próximos da sua casa aceitam o descarte de remédios. Algumas farmácias e indústrias farmacêuticas já têm projetos de coleta;
  • Evite o descarte no lixo caseiro ou no vaso sanitário. Frascos vazios de vidro e plástico, bem como caixas e cartelas vazias podem ir para a reciclagem comum.

O Ministério da Saúde mantém uma cartilha (em pdf) para o Uso Racional de Medicamentos, mas você pode complementar a leitura com a Cartilha do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos - Fiocruz) (em pdf) ou do Conselho Regional de Farmácia de São Paulo (também em pdf). Quanto mais você se educa em saúde, menos riscos você corre.

Fontes: Henrique Moura Leite Bottura, psiquiatra diretor clínico e fundador do Instituto de Psiquiatria Paulista e membro voluntário do Ambulatório Integrado dos Transtornos do Impulso do IPq HC-FMUSP (Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo); Luciana Canetto, diretora e secretária-geral do CRF-SP (Conselho Regional de Farmácia em São Paulo), farmacêutica do Departamento de Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde de Piracicaba (SP); Amouni Mourad, farmacêutica, professora do curso de farmácia da Universidade Presbiteriana Mackenzie e assessora técnica do CRF-SP; Janaína Menezes Zavonelli, professora-pesquisadora e neurocientista do Departamento de Farmacologia da UFPR (Universidade Federal do Paraná); Marcelo Daudt von der Heyde, psiquiatra e professor da Escola de Medicina da PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná). Revisão técnica: Amouni Mourad.

Referências: Singh HK, Saadabadi A. Sertraline. [Updated 2020 Nov 22]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2021 Jan-. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK547689/.

Qual é o Remédio