PUBLICIDADE

Topo

Qual é o Remédio

Um guia dos principais medicamentos que você usa


Qual é o Remédio

Clopidogrel tem como maior benefício defesa contra eventos cardiovasculares

iStock
Imagem: iStock

Cristina Almeida

Colaboração para VivaBem

02/02/2021 04h00

Resumo da notícia

  • O fármaco é um antiagregante plaquetário, ou seja, age "afinando" o sangue
  • Ele previne a formação de coágulos ou trombos, eventos que são sempre indesejáveis
  • O efeito colateral mais temido é o sangramento, mas os benefícios prevalecem para a maioria
  • Parar a terapia por conta própria pode acarretar complicações graves

O clopidogrel começou a ser desenvolvido em 1972, época na qual ainda não se conhecia detalhadamente a relação entre a agregação plaquetária, trombose e eventos cardiovasculares.

No início da década de 1990 entrou no mercado, e em 2010 foi o segundo medicamento mais vendido em todo o mundo. Isso porque ele é uma medicação que reduz a morbidade (aparecimento de doenças), além da mortalidade relacionada ao infarto do miocárdio.

O que é clopidogrel?

Trata-se de um medicamento classificado como tienopiridínico, cuja função é evitar a agregação plaquetária. Essa é a razão pela qual ele também é denominado antiagregante plaquetário.

A ação do clopidogrel é evitar a formação de trombos (coágulos) em pessoas que tenham risco aumentado para suas formações.

Devido às suas características, esta medicação só pode ser comercializada sob receita médica.

Em quais situações ele deve ser usado?

Dada a utilização e observação científica desse fármaco há décadas, ele é considerado seguro e eficaz. Contudo, é importante que você faça o uso racional desse remédio, ou seja, utilize-o de forma apropriada, na dose certa e pelo tempo determinado pelo seu médico.

O clopidogrel tem indicação para tratar e prevenir novos eventos das seguintes condições:

  • Síndrome coronária aguda (angina instável e infarto agudo do miocárdio)
  • Doença arterial periférica
  • Casos selecionados de AVC

O fabricante também prevê indicação nos casos de prevenção secundária ou não em procedimentos como Intervenção Coronária Percutânea com ou sem colocação de stent.

Entenda como ele funciona

O clopidogrel tem uma particularidade: ele é uma pro-droga (ou pro-fármaco). Esse tipo de medicamento é inativo e precisa da ação do organismo para tornar-se ativo. No caso, a ativação é promovida pelo fígado por meio de suas enzimas (CYP, incluindo as CYP2C19 e CYP3A4).

Após a administração por via oral, ele começa a agir em até 2 horas, mas pode levar de 3 a 7 dias para alcançar seu estado de equilíbrio. Ao concluir sua ação, o clopidogrel é excretado pela urina e pelas fezes.

Para entender a farmacodinâmica (mecanismo de ação) de um antiagregante plaquetário, antes é preciso saber o que são plaquetas. Elas são células do sangue que se agrupam para ajudar na coagulação sanguínea.

Assim, o clopidogrel inibe, de forma irreversível, os receptores plaquetários p2y12 e a adenosina difosfato, impedindo que as plaquetas se juntem, o que facilitaria a formação de coágulos, levando a eventos cardiovasculares como o infarto e o AVC. As explicações são de Fernanda Cristina Ostrovski Sales, farmacêutica, bioquímica e coordenadora do Curso de Farmácia da PUC-PR.

Saiba diferenciar anticoagulante e antiagregante plaquetário

A coagulação sanguínea depende de uma cadeia de reações bioquímicas que promovem a formação do coágulo. Ela é composta de duas etapas: a primeira, envolve o controle do sangramento por meio da ação das plaquetas; a segunda, depende de fatores de coagulação advindos do plasma.

Isso significa que, embora os antiagregantes e anticoagulantes tenham por objetivo evitar a formação de coágulos, eles atuam em locais diferentes. Os primeiros, como o AAS (ácido acetilsalicílico) e o clopidogrel, agem na primeira etapa da coagulação. Já os segundos, como a varfarina (e novos anticoagulantes), agem na segunda etapa, inibindo os fatores de coagulação.

Em situações específicas, esses medicamentos podem ser utilizados em conjunto para somar ações em benefício do paciente, como no caso da presença de fibrilação atrial e infarto agudo do miocárdio.

Conheça as apresentações disponíveis

A marca de referência do clopidogrel é o Plavix®, mas você pode encontrar as versões genéricas do medicamento.

A apresentação disponível é comprimidos revestidos de 75mg. A medicação consta da Rename 2020 (Relação Nacional de Medicamentos Essenciais), por isso tem distribuição gratuita em todas as UBSs (Unidades Básicas de Saúde). Para ter acesso a ela, basta apresentar a receita médica.

Por quanto tempo vou usá-lo?

O tempo de uso do clopidogrel dependerá da necessidade de cada paciente e de seu quadro clínico. Ele pode ser utilizado de 6 até 12 meses, especialmente quando combinado ao AAS. No entanto, a medicação pode ter uso estendido (30 meses), desde que as condições gerais de saúde assim o permitam.

Recomenda-se jamais descontinuar o tratamento sem acompanhamento médico. A razão para isso é que tal atitude eleva o risco de trombose de stent em pessoas que passaram por uma angioplastia.

Parar de tomar o remédio facilita a formação de um coágulo agudo no local onde foi feito o procedimento. Este evento é considerado grave, emergencial e de alta mortalidade. O seu uso correto, porém, ajuda a reduzir a chance do desenvolvimento desses eventos.

Quais são as vantagens e desvantagens desse medicamento?

Sarah Fagundes Grobe, médica especialista em cardiologia e preceptora na residência médica de cardiologia nos Hospitais Universitário Cajuru (SUS) e Marcelino Champagnat afirma que a maior vantagem desse fármaco é, claramente, a sua proteção contra novos eventos cardiovasculares.

Ela acrescenta que a literatura tem mostrado benefício em termos de morte cardiovascular, infarto agudo do miocárdio, AVC e isquemia recorrente. Quanto às desvantagens, ela cita o risco de sangramento que, em alguns cenários, pode ser maior.

"No geral, ele é muito seguro, mas é preciso estar atento, inclusive quanto às interações medicamentosas, em especial com antiacoagulantes, outros antiagregantes plaquetários e anti-inflamátorios. É importante lembrar, também, que o omeprazol pode reduzir a sua ação", conclui a especialista.

Conheça as contraindicações

O clopidogrel não pode ser usado por pessoas que sejam alérgicas (ou tenham conhecimento de que alguém da família tenha tido reação semelhante) ao seu princípio ativo ou a qualquer outro componente de sua fórmula.

Fique também atento à presença das seguintes condições e situações:

  • Úlcera estomacal (no passado ou no presente)
  • Hemorragia cerebral (no passado ou no presente)
  • Distúrbios de coagulação (hemofilia)
  • Problemas no fígado ou rins
  • Gravidez
  • Amamentação
  • Metabolização lenta da enzima CYP2C19 (de origem genética, mais rara)

Crianças e idosos podem usá-lo?

O clopidogrel tem indicação para pacientes adultos, mas não foi testado na população pediátrica. Já entre os idosos, seu uso é frequente e seguro, embora seja necessário estar atento à presença de doenças associadas, como o câncer, por exemplo, que limitam o uso do medicamento dado o risco de sangramento.

Outra situação comum nesse grupo, é a polifarmácia, isto é, o uso continuado de vários medicamentos ao mesmo tempo. Antes de iniciar o tratamento com clopidogrel, ou mesmo mantê-lo, é preciso considerar as possíveis interações medicamentosas.

Estou grávida e pretendo amamentar. Posso usar clopidogrel?

Há contraindicação desse medicamento para gestantes e lactantes, dado o risco de reações adversas.

A orientação é descontinuar o uso do fármaco tão logo se tenha notícia da gravidez. O medicamento passa para o leito materno, portanto o clopidogrel deveria ser descontinuado durante a amamentação.

Apesar disso, converse com seu médico para que ele possa avaliar alternativas para a eventual necessidade de seguir com a terapia.

Qual é a melhor forma de utilizá-lo?

Em geral, o clopidogrel é utilizado uma vez ao dia, no mesmo horário. E ele pode ser ingerido com água, acompanhado ou não de alimentos.

Existe uma melhor hora do dia para usar esse medicamento?

Não. O importante é que ele seja utilizado na forma indicada pelo médico ou o fabricante.

O que faço quando esquecer de usar o remédio?

Utilize-o assim que lembrar e reinicie o esquema de uso do medicamento. É desaconselhado usar doses em dobro de uma vez para compensar a dose esquecida.

Se você sempre se esquece de tomar seus remédios, use algum tipo de alarme para lembrar-se.

Quais são os possíveis efeitos colaterais?

Este medicamento é considerado bem tolerado, seguro e eficaz quando utilizado com supervisão e de acordo com as orientações médicas. Apesar disso, algumas pessoas poderão observar as seguintes manifestações (estes são alguns exemplos):

Comuns (1 em cada 100 pessoas)

  • Sangramento anormal (principalmente entre idosos, ou sangramento prévio recente e uso de determinados medicamentos)
  • Diarreia
  • Dor de estômago
  • Indigestão
  • Azia

Menos comuns (1 em cada 1.000 pessoas)

  • Presença de sangue nas fezes, urina, vômito e tosse
  • Pele ou parte branca do olho amarela (sinaliza problemas hepáticos)
  • Cansaço
  • Febre

Interações medicamentosas

Algumas medicações não combinam com o clopidogrel. E quando isso acontece, elas podem alterar ou reduzir seu efeito.

Avise o médico, caso esteja fazendo uso (ou tenha feito uso recentemente) das substâncias abaixo descritas, que são exemplos de interação, mas não excluem outras que, eventualmente, possam ter o mesmo efeito.

Confira:

  • Medicamentos que afinam o sangue ou previnem coágulos (aspirina, varfarina, rivaroxabana, dabigatraba, apixabana, edoxabana etc.)
  • Anti-inflamatórios Não Esteroidais (ibuprofeno)
  • Antidepressivos (inibidores da recaptação de serotonina, como o citalopram)
  • Antiácidos inibidores da bomba de prótons (omeprazol)
  • Estatinas (usadas para reduzir o colesterol, como a atorvastatina)

Entre os suplementos, evite os que possam ter ação no sangue, como a gingko biloba. Além dele, é preciso ter cuidado com ácidos graxos poli-insaturados ômega-3.

"Embora seja raro, ele pode se relacionar ao aumento de sangramento quando usado com o clopidogrel", esclarece Marcos Machado, farmacêutico, bioquímico e presidente do CRF-SP.

Quanto aos fitoterápicos, há evidências de que o Hipérico pode aumentar a concentração de clopidogrel na corrente sanguínea.

Interação com alimentos

A literatura médica indica evitar o consumo do suco de toranja, que também poderia potencializar o efeito do clopidogrel.

Existe interação com exames laboratoriais?

Eventualmente, o clopidogrel pode alterar resultados da função hepática e da creatinina sanguínea [o exame avalia as funções dos rins]. Antes de se submeter a esses testes, informe ao médico e ao pessoal do laboratório sobre o uso do medicamento.

Posso tomar vacinas?

Sim, inclusive a contra a covid-19. Mas não se esqueça de informar ao médico e à enfermagem que faz uso do clopidogrel.

Minha vida sexual pode ser afetada com o uso do clopidogrel?

Não, e nem há evidências científicas que ele possa alterar a sua fertilidade ou reduzir o efeito do anticoncepcional, mesmo os combinados.

Em casa, coloque em prática as seguintes dicas:

  • Fique atento à validade do medicamento, que é de 24 meses. Considere que, após aberto, essa validade é ainda menor;
  • Mantenha o medicamento sempre dentro da própria embalagem e nunca descarte a bula até terminar o tratamento;
  • Leia atentamente a bula ou as instruções de consumo do medicamento;
  • Utilize o medicamento na posologia indicada;
  • Ingira os comprimidos inteiros. Evite esmagá-los ou cortá-los ao meio --eles podem ferir sua boca ou garganta. A exceção é a indicação médica;
  • Escolha um local protegido da luz e da umidade para armazenamento. Cozinhas e banheiros não são a melhor opção. A temperatura ambiente deve estar entre 15°C e 30°C;
  • Guarde seus remédios em compartimentos altos ou trancados. A ideia é dificultar o acesso das crianças;
  • Procure saber quais locais próximos da sua casa aceitam o descarte de remédios. Algumas farmácias e indústrias farmacêuticas já têm projetos de coleta;
  • Evite o descarte no lixo caseiro ou no vaso sanitário. Frascos vazios de vidro e plástico, bem como caixas e cartelas vazias podem ir para a reciclagem comum.

O Ministério da Saúde mantém uma cartilha (em pdf) para o Uso Racional de Medicamentos, mas você pode complementar a leitura com a Cartilha do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos - Fiocruz) (em pdf) ou do Conselho Regional de Farmácia de São Paulo (também em pdf). Quanto mais você se educa em saúde, menos riscos você corre.

Fontes: Fernanda Cristina Ostrovski Sales, farmacêutica-bioquímica pela UFPR, mestre em tecnologia em saúde pela PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná), coordenadora do curso de farmácia da PUCPR, docente nos cursos de farmácia, medicina e odontologia da mesma instituição, atuando na disciplina de farmacologia e farmácia clínica; Sarah Fagundes Grobe, médica especialista em clínica médica e em cardiologia pela SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia), preceptora nas disciplinas de semiologia e práticas hospitalares na Escola de Medicina PUC-PR, bem como na residência médica de cardiologia no Hospital Universitário Cajuru e Hospital Marcelino Champagnat (PR). É doutoranda em cardiologia pelo InCor-FMUSP (Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo); Marcos Machado, presidente do CRF-SP (Conselho Regional de Farmácia em São Paulo), farmacêutico e bioquímico especialista em análises clínicas; Amouni Mourad, farmacêutica, professora do curso de farmácia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, doutora em ciências da saúde pela FCMSCSP (Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo) e assessora técnica do CRF-SP. Revisão técnica: Amouni Mourad e Sarah Fagundes Grobe.

Referências: Beavers CJ, Naqvi IA. Clopidogrel. [Updated 2020 Jul 10]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK470539/; Watanabe H, Domei T, Morimoto T, Natsuaki M, Shiomi H, Toyota T, Ohya M, Suwa S, Takagi K, Nanasato M, Hata Y, Yagi M, Suematsu N, Yokomatsu T, Takamisawa I, Doi M, Noda T, Okayama H, Seino Y, Tada T, Sakamoto H, Hibi K, Abe M, Kawai K, Nakao K, Ando K, Tanabe K, Ikari Y, Hanaoka KI, Morino Y, Kozuma K, Kadota K, Furukawa Y, Nakagawa Y, Kimura T; STOPDAPT-2 Investigators. Effect of 1-Month Dual Antiplatelet Therapy Followed by Clopidogrel vs 12-Month Dual Antiplatelet Therapy on Cardiovascular and Bleeding Events in Patients Receiving PCI: The STOPDAPT-2 Randomized Clinical Trial. JAMA. 2019 Jun 25;321(24):2414-2427. doi: 10.1001/jama.2019.8145. PMID: 31237644; PMCID: PMC6593641; Choi SY, Kim MH, Cho YR, Sung Park J, Min Lee K, Park TH, Yun SC. Performance of PRECISE-DAPT Score for Predicting Bleeding Complication During Dual Antiplatelet Therapy. Circ Cardiovasc Interv. 2018 Dec;11(12):e006837. doi: 10.1161/CIRCINTERVENTIONS.118.006837. PMID: 30545256.

Qual é o Remédio