PUBLICIDADE

Topo

Qual é o Remédio

Um guia dos principais medicamentos que você usa


Qual é o Remédio

Tramadol: tem efeito analgésico e sem monitoramento leva à dependência

iStock
Imagem: iStock

Cristina Almeida

Colaboração para VivaBem

22/12/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Tramadol é um analgésico utilizado para dores moderadas a graves
  • Pode ser indicado quando outros analgésicos já não têm o efeito desejado
  • Sua ação se resume em bloquear os sinais da dor desde os nervos até o cérebro
  • Usado de forma correta e sob vigilância médica, o risco de dependência é baixo

Criado na década de 1960 por uma empresa alemã especializada no tratamento da dor, o tramadol entrou no mercado em 1977. Até hoje ele é usado como analgésico, especialmente após algum trauma ou cirurgia.

O que é tramadol?

Trata-se de um analgésico da classe dos opioides, cuja estrutura é semelhante à morfina. Outros mecanismos que contribuem para o efeito analgésico de tramadol são a inibição da recaptação neuronal de noradrenalina e o aumento da liberação de serotonina.

Devido às suas características, ele só pode ser comercializado sob receita médica.

Em quais situações ele deve ser usado?

Dada a utilização desse fármaco há mais de 40 anos, ele é considerado seguro e eficaz. Contudo, é importante que você faça o uso racional desse remédio, ou seja, utilize-o de forma apropriada, na dose certa e por tempo adequado.

A medicação pode ser prescrita com o objetivo de aliviar a dor moderada a grave, e deve ter seu uso limitado aos casos refratários, isto é, aqueles nos quais a utilização de outros tipos de analgésicos como os AINES (Anti-inflamatórios Não Esteroidais) não apresentam mais o efeito desejado.

Veja os exemplos de situações nos quais esse fármaco pode ser indicado:

A literatura médica sobre esse medicamento ainda registra a sua indicação no tratamento da ejaculação precoce e da síndrome das pernas inquietas. Como esses usos não constam da bula do fabricante, eles são chamados de off label. Os dados foram publicados nas revistas científicas BMC Urology e Journal of Clinical Psychiatry.

Entenda como ele funciona

O tramadol possui boa farmacocinética, ou seja, ao ser administrado pela via oral ou injetável, é metabolizado no fígado, alcançando o SNC (Sistema Nervoso Central) por meio da corrente sanguínea para efetuar sua ação. Ao finalizar a tarefa, ele sai do corpo pelas vias renal (majoritariamente) e fecal.

O tramadol combina efeitos opioide fraco e antidepressivo. Por isso, ele é conhecido como analgésico dual ou misto de ação central, cujo mecanismo de ação (farmacodinâmica) começa pela ligação e ativação de receptores opioides (neurotransmissores encarregados da regulação e sensação da dor, como a endorfina).

A explicação é de Juliana Geremias Chichorro, professora associada do Departamento de Farmacologia da UFPR, que acrescenta que esses receptores são os mesmos ativados pela morfina.

"Apesar disso, a potência analgésica do tramadol é considerada 10 vezes inferior à produzida pela morfina, o que faz dele mais seguro", diz. "Outro mecanismo que contribui para o seu efeito analgésico é inibição da recaptação neuronal de noradrenalina e o aumento da liberação de serotonina. Este último efeito é semelhante ao produzido por alguns antidepressivos", completa a especialista.

Após a administração oral, ele começa a fazer efeito rapidamente: cerca de 1 hora depois da sua ingestão, com proveito máximo após 2 a 3 horas.

Conheça as apresentações disponíveis

A marca de referência do tramadol é o Tramal®, mas você pode encontrar as versões genéricas. Confira as apresentações e doses disponíveis:

  • Comprimido - 50 mg; 100 mg
  • Solução oral - 100 mg
  • Solução injetável - 50 mg

Há risco de abuso ou dependência desse medicamento?

Rafael Mendonça Rey dos Santos, médico de família e professor da Escola de Medicina da PUCPR, afirma que não se deve temer o uso do tramadol porque ele é um medicamento seguro, desde que seja usado com indicações precisas e sem abusos.

O médico garante que, quando utilizado dessa forma, o fármaco não apresenta risco de dependência e ainda contribui fortemente para o bem-estar do paciente.

"O tramadol é um opioide fraco. No entanto, pessoas que costumam fazer abuso de medicamentos desse tipo, por suas propriedades narcóticas, mesmo que suaves, acabam buscando por esse medicamento para uso recreativo ou para finalidades aditivas", comenta.

Aliás, o próprio fabricante adverte para o risco de dependência física e psicológica. Contudo, a literatura científica sobre o medicamento revela que o risco potencial de abuso dele é baixo, quando comparado a outros opioides, mas sugere que o ideal seria fazer uma avaliação do paciente para verificar suas condições de saúde mental antes da indicação do medicamento. Além disso, aconselha o monitoramento, que deve ser constante nos casos de uso prolongado.

Quais são as vantagens e desvantagens desse medicamento?

Amouni Mourad, professora do curso de farmácia da Universidade Presbiteriana Mackenzie e assessora técnica do CRF-SP, afirma que o tramadol é um medicamento eficaz contra a dor e ainda apresenta menor probabilidade de efeitos colaterais que outros analgésicos narcóticos.

Além disso, há menor risco de prejuízo para os rins e para o fígado, especialmente quando comparado com os analgésicos e anti-inflamatórios, bem como reduzidos efeitos adversos em relação ao sistema circulatório.

Entre as desvantagens, Mourad destaca efeitos colaterais associados ao seu uso prolongado. Ansiedade, euforia, insônia, depressão, agitação, apatia, dependência e síndrome de retirada, bem como problemas respiratórios graves, especialmente os relacionados ao sono.

Saiba quais são as contraindicações do tramadol

Ele não pode ser usado por pessoas que sejam alérgicas (ou tenham conhecimento de que alguém da família tenham tido reação semelhante) ao seu princípio ativo ou a qualquer outro componente de sua fórmula.

Fique também atento na presença das seguintes condições:

  • Adicção (álcool, analgésicos ou drogas recreacionais)
  • Depressão respiratória
  • Doença renal ou hepática
  • Uso de medicamentos como MAO (um tipo de antidepressivo)
  • Gravidez
  • Idade inferior a 12 anos
  • Idade inferior a 18 (que tenham feito cirurgia de adenoide e amígdalas)
  • Uso de benzodiazepínico (como o diazepam)
  • Uso de álcool

Crianças e idosos podem usá-lo?

O remédio é contraindicado para crianças com idade inferior a 12 anos. A literatura médica sobre o tramadol, igualmente, adverte que seu uso deve ser evitado entre pessoas com idade inferior a 18 anos que tenham feito cirurgia para retirada das amígdalas e cirurgia de adenoide. Os dados são National Center for Biotechnology Information.

Entre os idosos, a administração do fármaco deve ser posterior ao conhecimento do estado geral de saúde do paciente, além dos medicamentos de uso contínuo que possam estar usando. Eventual interação poderia sobrecarregar fígado e rins em pacientes específicos. A depender das condições da pessoa, as doses devem ter intervalos maiores.

Estou grávida? Posso usar tramadol?

O uso do medicamento no início ou mesmo no final da gravidez é contraindicado porque não há estudos de segurança para a gestante e seu bebê. A farmacêutica Luciana Canetto, diretora e secretária-geral do CRF-SP (Conselho Regional de Farmácia em São Paulo) fala que, apesar disso, por vezes, o uso do medicamento pode ser necessário porque ele é considerado a melhor opção de tratamento no caso.

"Mesmo assim, o tramadol somente deverá ser utilizado na gestação quando a indicação for essencial e não houver outra opção para a paciente. Quem deve avaliar a relação de custo benefício é o médico, que também deverá estar atento à dose utilizada", adverte a especialista.

Tramadol e amamentação

O medicamento passa pelo leite materno em pequena quantidade. Assim, não é recomendado o seu uso durante o aleitamento. Somente o seu médico pode avaliar se os benefícios do fármaco devem ser mantidos, se as doses devem ser reduzidas, e se há algum outro fármaco que possa substituir o tramadol, dado o seu perfil de segurança.

Qual é a melhor forma de consumi-lo?

A orientação é que ele seja ingerido com água, com o estômago vazio ou durante as refeições. Os comprimidos devem ser engolidos inteiros. Evite dividi-los ou mastigá-los.

Existe uma melhor hora do dia para usar esse medicamento?

Não. O importante é que o tramadol seja usado na forma indicada pelo médico ou o fabricante e sempre no mesmo horário.

O que faço quando esquecer de tomar o remédio?

Tome-o assim que lembrar e reinicie o esquema de uso do medicamento. É desaconselhado tomar doses em dobro de uma vez para compensar a dose que foi esquecida. Se você sempre se esquece de tomar seus remédios, use algum tipo de alarme para lembrar-se.

Quais são os possíveis efeitos colaterais?

Este medicamento é considerado bem tolerado, seguro e eficaz quando utilizado de acordo com as orientações médicas. Apesar disso, os efeitos colaterais mais comuns são enjoo e tontura.

Algumas pessoas poderão observar as seguintes manifestações:

Comuns:

Raras - procure o médico imediatamente caso observe os seguintes sintomas e sinais:

  • Respiração curta ou dificuldade para respirar
  • Sinais de pressão baixa (tontura, fadiga e baixa energia)
  • Alucinação
  • Confusão
  • Sonolência
  • Dificuldade para urinar
  • Convulsão

Interações medicamentosas

Algumas medicações não combinam com o tramadol. E quando isso acontece, elas podem alterar ou reduzir seu efeito.

Avise o médico, caso esteja fazendo uso (ou tenha feito uso recentemente) das substâncias abaixo descritas, que são exemplos de interação, mas não excluem outras que, eventualmente, possam ter o mesmo efeito. Por isso, sempre informe ao profissional quais medicamentos você tem utilizado no momento da prescrição do tramadol. Confira:

  • Sertralina (antidepressivo)
  • Alprazolam (trata a ansiedade)
  • Buprenorfina (opiácio)
  • Paracetamol (analgésico)
  • Hidrocodona (opiácio)
  • Pregabalina, gabapentina (anticonvulsivo, antiepilético)
  • Ciclobenzaprina (relaxante muscular)
  • Zolpidem (sedativo usado para insônia)
  • Carbamazepina (antiepilético, também utilizado no tratamento da dor neuropática)
  • Ondansetrona (controla náuseas e vômitos durante a quimioterapia)
  • Rifampicina (antibiótico)

Até o momento há pouca informação sobre a interação com fitoterápicos, mas avise seu médico caso esteja fazendo uso desse tipo de medicação.

Minha vida sexual pode ser afetada?

Até o momento não há evidências científicas de que este medicamento possa afetar a fertilidade em humanos.

Apesar disso, há estudos científicos que relacionam o uso de analgésicos opioides com disfunção sexual e fertilidade.

O tramadol corta o efeito do anticoncepcional?

O medicamento não afeta a ação de nenhum tipo de contraceptivo.

Existe interação com exames laboratoriais?

Há relatos de que testes de creatinina, função hepática e ácido úrico podem ter seus níveis elevados. Já exames de urina para medição do ácido 5-hidroxiindolacético pode apresentar resultado falso positivo.

Lembre sempre de informar ao seu médico e ao pessoal encarregado da coleta de exames sobre o uso dessa medicação antes da realização desses testes.

Há alguma interação alimentar?

Não são conhecidas interações alimentares.

Posso beber álcool enquanto uso tramadol?

Os especialistas são unânimes quanto a essa indicação: evite bebidas alcoólicas durante o tratamento com esse medicamento. Tanto este, como o álcool são depressores do SNC (Sistema Nervoso Central). Assim, usá-los em conjunto pode ter como efeito a supressão do centro de controle da respiração, potencializando a depressão respiratória.

Em casa, coloque em prática as seguintes dicas:

  • Fique atento à validade do medicamento, que é de 24 meses. Considere que, após aberto, essa validade é ainda menor;
  • Mantenha o medicamento sempre dentro da própria embalagem e nunca descarte a bula até terminar o tratamento;
  • Leia atentamente a bula ou as instruções de consumo do medicamento;
  • Utilize o medicamento na posologia indicada;
  • Ingira os comprimidos inteiros. Evite esmagá-los ou cortá-los ao meio --eles podem ferir sua boca ou garganta. A exceção é a indicação médica;
  • Escolha um local protegido da luz e da umidade para armazenamento. Cozinhas e banheiros não são a melhor opção. A temperatura ambiente deve estar entre 15°C e 30°C;
  • Guarde seus remédios em compartimentos altos ou trancados. A ideia é dificultar o acesso das crianças;
  • Procure saber quais locais próximos da sua casa aceitam o descarte de remédios. Algumas farmácias e indústrias farmacêuticas já têm projetos de coleta;
  • Evite o descarte no lixo caseiro ou no vaso sanitário. Frascos vazios de vidro e plástico, bem como caixas e cartelas vazias podem ir para a reciclagem comum.

O Ministério da Saúde mantém uma cartilha (em pdf) para o Uso Racional de Medicamentos, mas você pode complementar a leitura com a Cartilha do Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos - Fiocruz) (em pdf) ou do Conselho Regional de Farmácia de São Paulo (também em pdf). Quanto mais você se educa em saúde, menos riscos você corre.

Fontes: Juliana Geremias Chichorro, pós-doutora em farmacologia médica e professora associada do Departamento de Farmacologia da UFPR (Universidade Federal do Paraná); Luciana Canetto, diretora e secretária-geral do CRF-SP (Conselho Regional de Farmácia em São Paulo), farmacêutica do Departamento de Assistência Farmacêutica da Secretaria Municipal de Saúde de Piracicaba (SP), especialista em saúde pública pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e em gestão pública pela Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba); Amouni Mourad, farmacêutica, professora do curso de farmácia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, doutora em ciências da saúde pela FCMSCSP (Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo) e assessora técnica do CRF-SP; e Rafael Mendonça Rey dos Santos, médico de família e professor da Escola de Medicina da PUC-PR (Pontifícia Universidade Católica do Paraná). Revisão técnica: Amouni Mourad.

Referências: Dhesi M, Maldonado KA, Maani CV. Tramadol. [Atualizado em 2020 Aug 16]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan-. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK537060/; Dunn KE, Bergeria CL, Huhn AS, Strain EC. A Systematic Review of Laboratory Evidence for the Abuse Potential of Tramadol in Humans. Front Psychiatry. 2019;10:704. Published 2019 Sep 26. doi:10.3389/fpsyt.2019.00704.

Qual é o Remédio