PUBLICIDADE

Topo

Klara Castanho: Conselho vai investigar enfermeira que divulgou informações

Klara Castanho, atriz de 21 anos - Reprodução/Instagram
Klara Castanho, atriz de 21 anos Imagem: Reprodução/Instagram

Mariana Gonzalez

De Universa, em São Paulo

26/06/2022 15h32Atualizada em 26/06/2022 18h48

O Conselho Regional de Enfermagem do Estado de São Paulo (Coren-SP) afirmou neste domingo (26), em nota, que vai investigar a enfermeira suspeita de ter divulgado informações a respeito do parto da atriz Klara Castanho, de 21 anos.

Klara engravidou em decorrência de um estupro e decidiu entregar a criança para a adoção depois do parto —de forma voluntária e responsável, prevista em lei. O caso veio à tona depois que a apresentadora Antonia Fontenelle e o colunista Leo Dias, do portal "Metrópoles", revelaram detalhes sobre o nascimento sem o consentimento da atriz —segundo ela, em carta aberta divulgada nas redes sociais, os dados teriam sido vazados por uma enfermeira da maternidade.

"Ainda anestesiada no pós-parto, fui abordada por uma enfermeira que estava na sala de cirurgia. Ela fez perguntas e ameaçou: 'Imagina se tal colunista descobre essa história. Quando cheguei no quarto, já havia mensagens do colunista, com todas as informações", disse Klara Castanho, na carta.

Ainda segundo a atriz, isso "mostra que os profissionais que deveriam ter me protegido em um momento de dor e vulnerabilidade, que têm obrigação legal de respeitar o sigilo da entrega [da criança para adoção], não foram éticos".

Em nota, o Coren-SP afirmou que "adotará os procedimentos necessários para a devida investigação" para que sejam tomadas medidas cabíveis. O órgão ressaltou, ainda, que o caso exige cautela e prestou solidariedade a Klara.

"Compete ao Coren-SP apurar as situações em que haja infração ética praticada por profissional de enfermagem e adotar as medidas previstas no Código de Processo Ético", diz o órgão. "O Conselho manifesta sua solidariedade à atriz e reafirma seu compromisso com a ética profissional da enfermagem e com a segurança da assistência prestada pela categoria".

A identidade da enfermeira é desconhecida.

De acordo com informações publicadas por Leo Dias no "Metrópoles" —e apagadas horas mais tarde—, Klara teria feito o parto da criança em uma maternidade administrada pela Rede D'Or.

Em nota enviada a Universa, a Rede D'Or afirmou que "tem como princípio preservar a privacidade de seus pacientes bem como o sigilo das informações do prontuário médico". E acrescentou: "O hospital se solidariza com a paciente e familiares e informa que abriu uma sindicância interna para a apuração desse fato".

Leia a carta publicada pela atriz, na íntegra: