PUBLICIDADE

Topo

Universa

Buscas de brasileiros por 'aborto legal' subiram 240% no Google essa semana

Nesta semana, assunto ganhou repercussão com caso de menina de 11 anos em Santa Catarina - Pedro Ladeira/Folhapress
Nesta semana, assunto ganhou repercussão com caso de menina de 11 anos em Santa Catarina Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress

Rute Pina

De Universa, de São Paulo

24/06/2022 16h12

As buscas pelo termo "aborto legal" triplicaram no Google nesta semana, em comparação com a semana anterior. As pesquisas no buscador foram impulsionadas com a divulgação, na segunda-feira (20), do caso de uma menina de 11 anos, que foi impedida de fazer aborto em Santa Catarina após estupro. Com a repercussão, ela conseguiu realizar o procedimento na quarta-feira (22), após uma recomendação do MPF (Ministério Público Federal).

As consultas pelo termo subiram 240%. Mesmo com a alta, a expressão não entrou para a lista de consultas mais feitas no Google da semana. As informações foram divulgadas pela equipe de Relações Públicas do Google.

O estado que mais buscou pelo termo nos últimos sete dias foi o Distrito Federal, seguido por Santa Catarina, onde ocorreu o caso.

A expressão relacionada ao termo com mais buscas foi "lei do aborto legal", que teve um crescimento de 1.640% nos últimos sete dias. Já o interesse por "art 128 cp", que se refere ao artigo 128 do Código Penal, cresceu 540%.

A dúvida "como é feito o aborto legal", com alta de 2.040%, ficou entre as 10 mais pesquisadas sobre a legislação do aborto no Brasil nos últimos sete dias no Brasil.

Perguntas mais buscadas no Brasil sobre aborto

  1. O que é o aborto?
  2. O que diz a lei de aborto no Brasil?
  3. Quando o aborto é legal no Brasil?
  4. Até quantas semanas pode fazer o aborto legal?
  5. Quando foi feito o primeiro aborto no mundo?
  6. Por que não apoiar a legalização do aborto?
  7. Quais são os casos de aborto legal por lei?
  8. O que mudaria com a lei do aborto?
  9. O aborto é legal em outros países?
  10. Como é feito o aborto legal?

O termo deve continuar em alta já que nesta sexta-feira (24) voltou ao debate público com a decisão da Suprema Corte, nos EUA, de derrubar o direito constitucional ao aborto legal, em vigor no país desde 1973.

A decisão vai resultar na proibição do serviço de interrupção da gravidez em quase metade dos estados americanos. O tribunal confirmou uma lei do Mississippi que proíbe todos os abortos após 15 semanas, com pouquíssimas exceções médicas.

Universa