PUBLICIDADE

Topo

Beleza

Grisalha, sim: método "gray blending" acelera transição para fios brancos

A transição completa para os brancos pode demorar, mas o "gray blending" ajuda - Instagram/@burtonregina
A transição completa para os brancos pode demorar, mas o "gray blending" ajuda Imagem: Instagram/@burtonregina

Karina Hollo

Colaboração para Universa

22/05/2021 04h00

O isolamento social nos colocou em contato íntimo e pessoal com os nossos cabelos. Neste processo de autodescoberta, há quem tenha optado por abandonar a tintura e deixado os cabelos grisalhos livres. Entretanto, sabemos, nem toda transição capilar é rápida e o período de fios indefinidos desafia a autoestima. Felizmente, para quem quer acelerar o processo, já há um método eficiente. Ela se chama "gray blending" e propõe uma mescla natural até que o prateado domine.

Efeito de luz e sombra

"A técnica gray blending consiste em misturar luzes bem finas para garantir um look mais natural. Essas mechas mais claras, bem sutis, conferem movimento e dão efeito multidimensional", fala Moises Goldstein, hairstylist do salão CKamura, em São Paulo.

Os fios iluminados vão do branco ao cinza nos fios coloridos para que deem continuidade à raiz natural. "O mix depende da cor do fundo. Se você tiver ainda muitos fios escuros, dá para esfumar com tonalizante para chegar ao cinza fechado — é ele que faz essa interligação", explica Ricardo Rodrigues, cabeleireiro do Riro Salon, em São Paulo.

"Outra opção é descolorir as pontas com luzes distantes da raiz, ou, ao contrário, iluminando bem próximo do rosto. Depois, a gente também alcança o cinza", conta Moises .

Parece controverso usar tintura na migração para o natural. Entretanto, diferentemente da química que nunca tem fim, a ideia é que essa técnica seja abandonada quando o cabelo acinzentar por completo. É uma opção para quem não se sente bem com várias cores ao mesmo tempo enquanto espera crescer.

As técnicas são muito versáteis — nada escrito em pedra. Depende do desejo da cliente e da habilidade do profissional. Em tempo: mesmo na paleta gray existem vários tons e vale entender qual mais favorece você e seu tom de pele, evitando que o visual fique sóbrio ou te deixe pálida. A natureza é sábia: quanto mais parecido com o original, melhor será o resultado.

É preciso lembrar ainda que toda cor está sujeita ao desbotamento", alerta Juha Antero, hairstylist do salão MG Hair Design, em São Paulo. Ou seja: mantê-la exige alguma visita ao salão ou truque em casa. Converse com seu profissional de confiança para entender o que melhor funciona por aí.

Outras possibilidades para encarar a transição da cor

A adoção de uma franja é um bom jeito de igualar a raiz grisalha que cresce. "Um corte repicado também, porque dá volume e mistura os fios", observa Moises.

Além disso, há o big chop, como na transição do liso para o cacheado. "Nesse caso, a ideia é deixar crescer por quatro ou cinco meses e encarar um repicado bem radical, eliminando o máximo das extensões tingidas", explica Juha.

Mais de 50 tons de cinza

A liberdade de assumir a cor natural do cabelo é sempre muito bem-vinda. E, ao que tudo indica, uma tendência. Os grisalhos são tópicos de buscas na internet. Desde 2020, o Pinterest observa um aumento da busca por "gray hair", incluindo "cabelos grisalhos em mulheres negras".

Vale destacar que o fio sem pigmentação têm características bem específicas: é mais resistente, grosso e, eventualmente, opaco. "É importante hidratar e dar um banho de tonalizante prateado, mesmo em casa, de vez em quando. Por ser translúcido, o produto não imprime uma cor sólida, mas dá brilho", finaliza Moises.

Beleza