PUBLICIDADE

Topo

Menina de 10 anos tem alta de hospital no Recife após aborto legal

Ato realizado ontem em frente ao CISAM-UPE, no Recife (PE), onde foi realizado o aborto legalizado na menina de 10 anos que engravidou após ser estuprada pelo tio; ela já teve alta - Carlos Ezequiel Vannoni/Estadão Conteúdo
Ato realizado ontem em frente ao CISAM-UPE, no Recife (PE), onde foi realizado o aborto legalizado na menina de 10 anos que engravidou após ser estuprada pelo tio; ela já teve alta Imagem: Carlos Ezequiel Vannoni/Estadão Conteúdo

Carlos Madeiro

Colaboração para Universa, em Maceió

19/08/2020 08h52Atualizada em 19/08/2020 09h32

A menina de 10 anos que engravidou após ser estuprada recebeu alta do hospital e deixou o Cisam/UPE (Centro Integrado Amaury de Medeiros da Universidade de Pernambuco) na madrugada de hoje. A informação foi confirmada por Universa. Suspeito de cometer o crime, um tio da garota está preso desde ontem.

Segundo o hospital, ela recebeu alta por volta das 5h. A operação foi mantida em sigilo pela equipe médica para evitar novos tumultos e protestos como os registrados no último domingo, quando grupos radicais e religiosos foram ao local para contestar o aborto, que foi autorizado pela Justiça.

Em virtude do sigilo, não houve registro de tumulto na madrugada de hoje quando a garota recebeu alta. A coordenadora da enfermagem do Cisam, Benita Spinelli, diz que o destino dela será mantido em sigilo.

No mesmo esquema de segurança que ela chegou, ela saiu. A maternidade não participou. Como a maternidade é 24h, o chefe do plantão liberou, um carro veio e a levou
Benita Spinelli, coordenadora de enfermagem do Cisam

Ela afirma ainda que o estado clínico da criança é bom e que o foco agora é que ela cure os traumas da violência sexual sofrida nos últimos quatro anos.

"O estado de saúde é ótimo. Com todas as restrições que a situação pode causar, mas clinicamente ela está bem para seguir a vida", explica.

De acordo com a PC-ES (Polícia Civil do Espírito Santo), que investiga o caso, a criança era vítima de estupros havia quatro anos e o caso chegou ao conhecimento da polícia no dia 8 de agosto, quando ela deu entrada num hospital público da cidade com suspeita de gravidez. Segundo exames, a garota estava grávida de 22 semanas e quatro dias. Um tio da garota foi preso ontem suspeito de cometer o crime.

Os familiares da menina violentada recorreram à Justiça, que a autorizou o aborto. No entanto, a unidade de saúde indicada para fazer o procedimento, o Hucam (Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes), em Vitória, recusou-se a fazer o aborto alegando que a menina não se encaixava nos critérios do Ministério da Saúde. Ela foi então encaminhada ao Cisam para realizar o procedimento aprovado pela Justiça.

O local foi palco de protestos de grupos contrários e favoráveis ao aborto após a militante de extrema direita Sara Giromini - conhecida como Sara Winter - expor que a menina estava lá.

No domingo, manifestantes tentaram invadir o hospital derrubando a porta principal e foi preciso a intervenção da segurança do local. No mesmo dia, grupos em defesa do direito da legalização do aborto foram ao hospital para demonstrar apoio à garota.

O aborto foi feito na noite de domingo (16) e ontem ela passou por uma curetagem para retirada de restos placentários do útero.

Tio suspeito de estupro está preso

Suspeito de estuprar a garota, o tio da vítima foi preso ontem na casa de parentes em Betim (MG). O homem de 33 anos teria confessado o crime à polícia por medo de morrer.

Segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública, ele fugiu de ônibus por três estados mas, com a repercussão do caso, percebeu que não teria como retornar à cidade de São Mateus (ES). "Temendo pela integridade física, resolveu se entregar".

"Ele estava na casa de parentes. Fugiu de São Mateus. A informação [que tínhamos] é de que ele foi para Nanuque e de lá para a região de Belo Horizonte, onde foi encontrado", explicou Ícaro Ruginsk, Superintendente de Polícia Regional do Norte do Espírito Santo. "Ele percebeu que não tinha condição de voltar e temendo pela integridade física, resolveu se entregar".

A Secretaria de Estadual de Segurança disse a Universa que o suspeito será encaminhado à Penitenciária Estadual de Vila Velha 5, no complexo de Xuri. A unidade destinada, especificamente, a custódia de autores de crimes sexuais.

A pasta, no entanto, não respondeu sobre medidas que seriam tomadas para garantir a segurança do suspeito e informou apenas que "os procedimentos adotados na unidade seguem o previsto na Lei de Execuções Penais".

O suspeito já esteve preso entre maio de 2011 e março de 2018 por tráfico de drogas, na Penitenciária Regional de Linhares, mas estava desde 2017 em regime semiaberto.