PUBLICIDADE

Topo

Beleza

9 ideias de penteados para você enfrentar a transição capilar com estilo

O antes e depois da transição capilar da atriz Giovana Cordeiro - Reprodução/Instagram@cordeirogi
O antes e depois da transição capilar da atriz Giovana Cordeiro Imagem: Reprodução/Instagram@cordeirogi

Renata Telles

Colaboração para Universa

18/03/2020 04h00

Passar pela transição capilar é desafiador. Além de ser um processo longo, não é nada fácil se olhar no espelho e dar de cara com duas texturas de cabelo, uma lisa e outra crespa. Abandonar o processo químico requer paciência e criatividade.

A youtuber e atriz Kéfera Buchmann sabe bem disso. "Passei muitos anos negando meu cabelo e decidi abandonar a progressiva quando comecei a rodar o filme Eu Sou Mais Eu (2017) porque a personagem tinha fios enrolados. Fui deixando o cabelo crescer e ele virou uma 'coisa' porque não sabia como cuidar e nem como secar... Aos poucos, fui conhecendo produtos e usando técnicas para ajudar no processo", explicou ela, em vídeo do YouTube.

Kéfera apostava em faixas, deixava os fios semipresos e fazia fitagem (técnica de texturização que ajuda a definir os cachos).

Ludmilla, que alisava o cabelo desde os 7 anos, também deixou a química de lado e encontrou uma maneira "menos dolorosa" de enfrentar a transação. A cantora cortou os fios e investiu em laces e extensões. "Não sei se conseguiria suportar sem elas", confessou.

Além de Kéfera e Ludmilla, Tais Araújo, Sheron Menezzes, Camila Pitanga, Maisa, Yara Charry, Giovana Cordeiro, entre outras famosas, enfrentaram (e enfrentam!) a transição capilar. "Minha cabeça ardia com química. Eu não aguentava mais fazer [a progressiva] de três em três meses!", explicou Maisa em seu Twitter.

Assim como a dona do hit "Din, Din, Din", Maísa enfrentou um big chop (corte para eliminar o máximo de química nos fios). "Ele era abaixo da cintura e cortei no ombro", disse.

Mas, calma! Se você não quer passar por nenhum corte radical e nem usar perucas, existem, sim, alternativas para atenuar a fase e deixá-la menos traumática. Tranças, rabos, coques, turbantes e texturizações são ideias que ajudam a disfarçar a transição. Confira a lista com 9 sugestões de penteados:

1 - Turbantes

O turbante é um grande aliado no bad hair day. Além de amenizar a o cabelo em transição, ele proporciona um visual cool e descolado, sobretudo se você se sentir confortável com a referência cultural. Vale apostar em várias cores e estampas.

2 - Semipreso

Quer uma maneira rápida de controlar os fios que estão nascendo? Faça um penteado semipreso, como o half bun, por exemplo, e aposte na texturização da parte lisa para disfarçar a diferença entre os dois.

3 - Faixas

Lenços e tiaras são formas práticas de deixar o seu look superestiloso. Você esconde a raiz alta do cabelo e, de quebra, ganha uma nova aparência. Use com os fios soltos ou presos.

4 - Coque duplo

Além de divertido, o coque duplo ajuda a prender a parte com química. Valorize o volume da raiz e deixe algumas pontas soltas.

5 - Tranças

Outra ideia que ajuda bastante a passar pela transição são as tranças. Versáteis, elas mesclam o seu fio natural com cabelo sintético. Existem diversos tamanhos, estilos e cores diferentes.

6 - Trança boxeadora ou boxer braids

Cheio de personalidade, o look, que nasceu nos ringues, transformou-se em uma ótima opção pra quem deseja disfarçar as texturas. A trança pode ser usada toda embutida, invertida, com as pontas soltas, como preferir.

7 - Coque alto

Fácil de fazer, o coque alto é um dos penteados mais despojados que existe hoje. Você pode usá-lo mais arrumadinho ou no mood messy, bem bagunçado.

8 - Presilhas

Presilhas e grampos são acessórios perfeitos para quem deseja prender os fios quebrados e diminuir a texturização. De quebra, elas ainda estão super em alta.

9 - Rabo de cavalo

Alto, baixo, bagunçado, alinhado com gel, trançado, bubble ponytail (com vários elásticos)... Existem diversas formas de usar o penteado queridinho do momento.

Escolha seus aliados para enfrentar a transição

Escolher os produtos certos no momento da transição capilar é importante para ajudar ao longo da jornada. Fique atenta aos rótulos antes de comprar o seu kit.

"Use a técnica low poo, ou seja, fuja de substâncias nocivas à saúde capilar. Evite produtos com sulfato porque são detergentes usados em xampus. Além de comprimir demais, tira toda a parte lipídica do fio, o que torna ele mais ressecado", explica Paulo Seabra, cabeleireiro especializado em transição capilar do Retrô Hair, em São Paulo.

Segundo o profissional, a forma do cabelo cacheado já tende a absorver menos óleo. "O silicone e derivados de petrolato, por exemplo, formam uma película em volta dos fios que os impede de acumular nutrientes. Ficar longe dessas substâncias vai manter seu cabelo hidratado."

Pranchas e babyliss também precisam ser evitados. "Siga uma rotina saudável. O uso de chapinhas não é recomendado durante a transição e nem no fio natural. O cabelo é uma fibra muito sensível e o calor danifica a cutícula, podendo ocasionar até o scab hair (mechas extremamente ressecadas, que não definem e não dão volume, e já nascem quebradiças e opacas)", aconselha Luciana Brandão, cabeleireira e visagista especializada em cachos.

Além de apostar em produtos que não agridam os fios, o cabelo precisa de estímulos para enrolar novamente. "Se você tem um fio mais grosso, opte por máscaras ou creme pra pentear que promova uma reposição hídrica. Use ainda um gel ou mousse natural nas pontas. Se o fio for fininho, escolha produtos mais aquosos ou dilua eles com um pouquinho de água", Luciana.

Ela ressalta ainda a importância de secar o cabelo de forma correta. "Use camiseta velha de algodão, toalha de microfibra e fraldinha de pano."

Beleza