Topo

Homem raspa cabeça da mulher após encontrar cabelo em seu café da manhã

População de Bangladesh protesta após a morte da jovem Nusrat Jahan Rafi, que foi assassinada após denunciar caso de assédio sexual - Mamunur Rashid/NurPhoto/Getty Images
População de Bangladesh protesta após a morte da jovem Nusrat Jahan Rafi, que foi assassinada após denunciar caso de assédio sexual Imagem: Mamunur Rashid/NurPhoto/Getty Images

De Universa, em São Paulo

08/10/2019 16h37

Um homem de 35 anos foi detido pela polícia de Bangladesh após raspar à força o cabelo da mulher por ter encontrado um fio solto em seu café da manhã. A história foi divulgada hoje pelo jornal britânico "Daily Mail".

"Ele encontrou um cabelo humano no café da manhã que a esposa preparou para ele. Ele ficou irritado ao ver o cabelo e culpou a esposa. Então, ele pegou uma lâmina e raspou o cabelo dela à força", explicou Shahriar Khan, chefe da polícia local.

Segundo o oficial, o homem, que foi identificado como Bablu Mondal, é acusado de "causar voluntariamente ferimentos graves" e pode pegar até 14 anos de prisão pelo ato. Ele também é acusado de "ultrajar a modéstia" de sua mulher, que tem 23 anos.

O caso ocorre em meio a uma feroz discussão entre grupos de direitos humanos sobre o aumento da violência contra as mulheres no país.

Ativistas dizem que o incidente destaca a crescente repressão a mulheres em Bangladesh, apesar das leis para protegê-las de abuso e agressão sexual.

Segundo um dos grupos de direitos humanos que atua em Bangladesh, o Ain o Salish Kendra, houve uma média de três estupros por dia nos primeiros seis meses do ano no país.

A organização disse que, das 630 mulheres estupradas entre janeiro e junho, 37 foram mortas após o ataque, enquanto outras sete tiraram a própria vida. Também aconteceram 105 casos de tentativa de estupro.

Em abril, protestos ocorreram no país após a morte de uma estudante de 19 anos, que foi queimada por ordem de seu diretor depois que ela o denunciou por assediá-la sexualmente. Nusrat Jahan Rafi morreu em 10 de abril, quatro dias depois que uma multidão a molhou com querosene no telhado de sua escola na cidade de Femi, ao sul da capital Daca. Desde então, a polícia prendeu 15 pessoas, sete das quais acreditam estarem diretamente envolvidas no ataque.

Mais Violência contra a mulher