PUBLICIDADE
Topo

Apple realiza hoje evento anual e aqui está tudo o que precisa saber

Tim Cook durante apresentação dos novos Mac da Apple em evento realizado em 2020 - Reprodução
Tim Cook durante apresentação dos novos Mac da Apple em evento realizado em 2020 Imagem: Reprodução

Bruna Souza Cruz

De Tilt*, em São Paulo

14/09/2021 04h00

A Apple realiza na tarde desta terça-feira (14) o seu tradicional evento de setembro. Provavelmente, a empresa irá anunciar a nova geração de iPhone. O nome oficial ainda não foi confirmado, mas as apostas giram em iPhone 13 (vamos chamá-lo assim ao longo do texto).

A empresa fará a transmissão ao vivo pela internet do seu evento, que começa 14h (horário de Brasília).Tilt fará a tradicional cobertura em tempo real com o registro das novidades, comentários da nossa equipe e um resumo dos produtos lançados na sequência. Será que a Apple também vai lançar um novo relógio Apple Watch? Um novo iPad?

O que esperar e como assistir:

O convite divulgado pela Apple exibe as palavras "California Streaming". Logo, não seria nada difícil se a empresa usasse parte do seu evento para anunciar novidades dentro das plataformas Apple TV+ (de vídeo) e Apple Music (de música).

A apresentação do Apple Watch Series 7 e de novos fones AirPods não estão descartadas.

A transmissão oficial da Apple poderá ser acompanhada de diversas formas:

Como o iPhone 13 deve ser?

O mês de setembro é tradicionalmente escolhido pela Apple para a chegada do iPhone. Com exceção do ano passado, que o iPhone 12 ganhou vida em outubro, a companhia deve manter o ritmo de lançamentos dos últimos anos.

Entre as apostas para o iPhone 13 estão: novo processador A15 Bionic, que deve ser mais rápido e contar com ainda mais recursos de inteligência artificial, melhorias nas câmeras (talvez, até um novo design), entalhe menor e telas com tecnologia de transição mais rápida de imagens.

Junto com os celulares, a nova versão do iOS 15, sistema operacional do iPhone, também deve ganhar data oficial de lançamento no evento de hoje.

Quantos celulares?

São esperados quatro modelos: iPhone 13 mini, iPhone 13, iPhone 13 Pro e iPhone 13 Pro Max — os nomes ainda não são oficiais.

Design

Não circularam muitos rumores sobre mudanças drásticas no design em comparação ao iPhone 12. Contudo, espera-se que a Apple tenha diminuído o tamanho do entalhe (recorte na tela conhecido como notch) e mudado a estrutura da câmera traseira.

Alguns rumores apontam que os novos aparelhos terão um arranjo de lentes na diagonal nas duas versões mais baratas (13 mini e 13). Hoje, uma lente fica embaixo da outra na versão com conjunto duplo de câmeras.

Câmeras

Por falar em câmera, acredita-se que a Apple tenha feito melhorias no software de gravação de vídeo, como permitir filmagens com o fundo desfocado. A linha Pro pode ter ainda ter recebido avanços nas lentes ultra-wide e telefoto.

Alguns vazamentos sugerem que o scanner LiDAR (que melhora o mapeamento de profundidade do sensor da câmera por conseguir entender a distância entre objetos) pode estar presente em todos os quatro modelos. Atualmente, ele só funciona no iPhone 12 Pro e Pro Max.

Essa possibilidade circulou faz um tempo. Vazamentos mais recentes não mencionaram isso, então é melhor não se animar ainda com essa informação.

Telas: rápidas e sempre ligadas

Os tamanhos de tela podem ter a mesma configuração da geração de 2020: 6,1 polegadas (em dois deles), 6,7 polegadas (no maior) e 5,4 polegadas (no menor).

É possível que a Apple finalmente adote a taxa de atualização de 120 Hz (que deixa as imagens mais fluidas) no iPhone 13 Pro e no iPhone 13 Pro Max. Basicamente, quanto maior essa taxa de atualização, melhor a qualidade das cenas na tela. É um recurso já adotado por várias concorrentes. A Apple chegaria atrasada nessa novidade.

Outra mudança nas telas é que elas devem receber a tecnologia always-on (sempre ligado). Na prática, significa que o display vai funcionar sempre ativo, como o do Apple Watch, exibindo algumas informações, como o o horário do relógio do celular, o tempo todo — sem que seja preciso desbloquear o aparelho.

Bateria

Uma informação que circulou bastante nos últimos meses é que a bateria do iPhone vai aumentar. Vazamentos deste ano apontam que a empresa pode finalmente resolver uma reclamação constante de seus consumidores: a bateria que não dura tanto como deveria pelo preço pago pelo aparelho.

O iPhone 13 Pro Max pode ser lançado com uma bateria de 4.352 mAh. Atualmente, o iPhone 12 Pro Max tem 3.687 mAh.

As versões 13 e 13 Pro podem contar com 3.095 mAh (os celulares do ano passado funcionam com 2.815 mAh). Se a Apple lançar mesmo a versão mini de seu iPhone, é possível que ela tenha 2.406 mAh, no lugar de 2.227 mAh do iPhone 12 mini.

Essa mudança toda pode ser "culpa" da nova tela com taxa atualização de 120 Hz, que exige bem mais energia (em comparação com os atuais 60 Hz). Logo, o display consome mais bateria durante o uso.

Armazenamento

A oferta de modelos de iPhone com 1 TB de espaço de armazenamento chegou a ser cogitada. Hoje, o celular da Apple com maior memória interna é 512 GB. Tem gente que diz que esse espaço todo sairá do papel e que a versão de 256 GB não vai mais existir nos modelos Pro. Será preciso esperar até amanhã para descobrir.

Novas cores: rosa e laranja?

Segundo o site Techradar, a Apple deve lançar novos tons de cores no iPhone 13, sendo uma versão na cor laranja e uma outra rosa. Isso não quer dizer que a fabricante vai abandonar cores já utilizadas, como os tons preto, branco e roxo.

O site KTC (de uma loja ucraniana na web) aposta que o iPhone 13 e o iPhone 13 mini estarão disponíveis em vermelho, roxo, azul, rosa, preto ou branco. O iPhone 13 Pro e o iPhone 13 Pro Max, por sua vez, seriam comercializados em ouro, prata, bronze ou preto.

Botão com impressão digital

A Apple popularizou no passado o seu Touch ID, sistema que reconhece a impressão digital para desbloqueio da tela. Com o lançamento do iPhone X, de 2017, e sua tela infinita, a empresa foi aposentando a tecnologia em seus celulares (com exceção da segunda geração do iPhone SE, lançada em 2020).

O reconhecimento facial entrou no lugar; mas não está descartado uma alternativa que fique aí no meio-termo. O iPad Air (2020) chegou usando o botão de liga/desliga também como um sistema de biometria. Logo, não seria tão inusitado se a tecnologia aparecesse no iPhone.

Ligação por satélite

A nova linha iPhone 13 poder ter a capacidade de fazer ligações telefônicas por satélite, sem necessitar das tradicionais redes 2G, 3G, 4G e 5G para isso. As chamadas seriam feitas por meio de uma rede de satélites de baixa órbita terrestre chamados de LEO, na sigla em inglês.

Quanto deve custar?

Dizem por aí que o preço de lançamento dos novos iPhones 13 será ainda mais caro do que o iPhone 12 (que chegou ao Brasil por R$ 6.999 no ano passado).

Uma empresa fornecedora dos chips de iPhone, por exemplo, a multinacional taiwanesa TSMC, vai aumentar em 20% o custo de produção dos itens a partir de janeiro de 2022. Segundo o portal Digitimes, esse aumento vai entrar na conta do consumidor já no preço final do iPhone 13 em dólar.

Os preços de lançamento da família de 2020 foram:

  • iPhone 12 Mini (5,4 polegadas): US$ 699 (64 GB); e US$ 729 desbloqueado e sem plano de operadora
  • iPhone 12 (6,1 polegadas): US$ 799 (64 GB); e US$ 829 desbloqueado e sem plano de operadora
  • iPhone 12 Pro (6,1 polegadas): US$ 999 (128 GB)
  • iPhone 12 Pro Max (6,7 polegadas): US$ 1.099 (128 GB)

Depois de lançados no exterior, os iPhones levam, tradicionalmente, de dois a três meses para serem vendidos oficialmente no Brasil. Por aqui, a linha de 2020 chegou pelos preços abaixo:

iPhone 12 mini (5,4 polegadas)

  • 64 GB: R$ 6.999 (R$ 6.299,10 à vista)
  • 128 GB: R$ 7.499 (R$ 6.749,10 à vista)
  • 256 GB: R$ 8.499 (R$ 7.649,10 à vista)

iPhone 12 (6,1 polegadas)

  • 64 GB: R$ 7.999 (R$ 7.199,10 à vista)
  • 128 GB: R$ 8.499 (R$ 7.649,10 à vista)
  • 256 GB: R$ 9.499 (R$ 8.549,10 à vista)

iPhone 12 Pro (6,1 polegadas)

  • 128 GB: R$ 9.999 (R$ 8.999,10 à vista)
  • 256 GB: R$ 10.999 (R$ 9.899,10 à vista)
  • 512 GB: R$ 12.999 (R$ 11.699,10 à vista)

iPhone 12 Pro Max (6,7 polegadas)

  • 128 GB: R$ 10.999 (R$ 9.899,10 à vista)
  • 256 GB: R$ 11.999 (R$ 10.799,10 às vista)
  • 512 GB: R$ 13.999 (R$ 12.599,10 à vista)

Apple Watch, AirPods, iPad e MacBooks

Apple Watch Series 7: as expectativas estão altas para a nova geração do relógio inteligente da empresa. As opções de tamanho do visor devem aumentar, saindo dos 40 mm e 44 mm usados até a geração atual e saltando para 41 mm e 45 mm.

AirPods: odesign dos novos fones de ouvido sem fio deve se inspirar no do AirPod Pro. Acredita-se que eles terão cancelamento de ruído ativo. Ou seja, isolam o barulho externo do ambiente.

iPad mini 6: o sucessor do iPad mini 5, lançado em 2019, pode estar perto de virar realidade. Há quem acredite que ele será lançado junto com o iPhone 13. O modelo pode abandonar o botão home e vir com uma tela que ocupa quase toda a frente do tablet.

MacBooks: a linha MacBook Pro pode adotar os processadores M1, criados pela própria Apple. Além do novo chip, que promete mais velocidade e menos consumo de energia, os computadores devem vir com conexões para cabo HDMI e cartão de memória (SD).

*Com informações de Felipe Oliveira e Lucas Carvalho