'Vivenciando o tambor': o que é congada, ritual religioso de Amor Perfeito?

Em "Amor Perfeito", Popó (Mestre Ivamar) e Celeste (Cyda Moreno) serão coroados rei e rainha durante a congada de aniversário de São Jacinto, cidade fictícia da trama das 6. A cena, que será exibida amanhã (25), vai festejar o amor na maturidade dos personagens de Ivamar e Cyda, com direito a performance de Aparecida, vivida por Isabel Fillardis.

Ativista do Movimento Negro, Mestre Ivamar emprestou dez caixas de marabaixo para as cenas da congada — o instrumento é usado na colorida e tradicional festa sincrética de Minas Gerais. O ator mantém 40 dessas "caixas guerreiras", como ele chama, em seu apartamento no Rio de Janeiro.

O ator estuda há duas décadas o "sotaque dos tambores" e mergulha na sonoridade do instrumento em quilombos Brasil afora. Além de emprestar os instrumentos, o ator e educador trocou todas as cordas usadas para afinação, substituindo o nylon pelo sisal, já que a história se passa nos anos 1940.

"Toda a equipe foi envolvida. Inclusive tive que ensinar à figuração o toque do tambor. Então, foi interessante eles terem pegado os instrumentos, foram 10 caixas de marabaixo e eles puderam contracenar com elas, vivenciando o tambor. Para mim, foi um presentão", diz Mestre Ivamar a Splash.

Desfile Congada com os atores Mestre Ivamar, Iza Moreira, Bruno Montaleone, Alan Rocha, Isabel Fillardis, João Fernandes, Levi Asaf, Ygor Marçal, Valentina Melleu, Cyda Moreno e Antônio Pitanga
Desfile Congada com os atores Mestre Ivamar, Iza Moreira, Bruno Montaleone, Alan Rocha, Isabel Fillardis, João Fernandes, Levi Asaf, Ygor Marçal, Valentina Melleu, Cyda Moreno e Antônio Pitanga Imagem: Globo/Manoella Mello

Mas o que é a congada?

Marcada pelo sincretismo entre o catolicismo e as religiões de matriz africana, a congada é uma das festas mais populares de Minas Gerais. O objetivo da festa é fazer uma homenagem a Chico Rei, figura lendária da tradição oral mineira. Chico Rei teria sido um monarca africano, do Congo, trazido escravizado para o Brasil. Dessa forma, a congada surge como uma celebração da força e resistência do povo negro. Entrou no radar dos autores Duca Rachid, Júlio Fischer e Elísio Lopes Jr. após pesquisas para a trama das 6.

"Eu sou um ativista do Movimento Negro desde os anos 70 e começo, em Campinas, a trabalhar com o falecido Mestre Lumumba, que trabalhava com as congadas e trazia essa questão do tambor. Então, eu já venho discutindo e estudando os tambores desde essa época. E quando volto de Angola, onde passei quatro anos, começo a trabalhar pelos quilombos esse 'sotaque' que vem da caixa do divino. Em Macapá também tem uma versão da congada, com toda sua história, a guerra de mouros e cristãos, um teatro a céu aberto", lembra Mestre Ivamar.

Com passagens por Angola, África do Sul e Argélia, Ivamar coordena há sete anos o Coletivo Amazonizando, que busca difundir e valorizar a tradição cultural da Amazônia. Antes de vir para o Rio, a convite do diretor artístico André Câmara para sua estreia na novela, ele vivia em Macapá, na "curva do maior rio do mundo", como fala ao lembrar do rio Amazonas.

Continua após a publicidade

A convite do diretor artístico, o coreógrafo e dançarino João Carlos Ramos foi o responsável por coreografar o elenco para a cena.

Veja mais fotos:

Mestre Ivamar emprestou instrumentos quilombolas para a novela "Amor Perfeito"
Mestre Ivamar emprestou instrumentos quilombolas para a novela "Amor Perfeito" Imagem: Divulgação
Os atores Levi Asaf, Carol Badra e Valentina Melleu nos bastidores das gravações da congada em "Amor Perfeito"
Os atores Levi Asaf, Carol Badra e Valentina Melleu nos bastidores das gravações da congada em "Amor Perfeito" Imagem: Divulgação

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes