PUBLICIDADE
Topo

Cansou do arroz branco de todo dia? Prove receitas para variar o cardápio

Claudia Dias

Colaboração para Nossa

25/06/2020 04h00

Apesar da rica e variada produção agrícola nacional, há um alimento que não sai da mesa do brasileiro: o arroz. Praticamente onipresente, costuma ser servido e consumido cozido, em sua forma mais básica - branquinho e soltinho -, ao lado do inseparável feijão.

Só que não precisa ser sempre assim. Por se tratar de um ingrediente para lá de versátil, adapta-se bem a diferentes tipos de preparo e ingredientes. A lista de alternativas é longa. Pode se transformar em um arroz temperado, ou virar salada, bolinho ou mesmo risoto. Ainda é possível ser feito no forno, na panela de pressão e até no micro-ondas.

O consumo do arroz é tão enraizado que há pratos clássicos que têm os grãos como base - o Biro-Biro, o arroz de braga e o de carreteiro são alguns deles.

Na mesa do mundo inteiro

Sua versatilidade se comprova na presença em quase todas as cozinhas do mundo. "Está tanto na refeição de todo dia no Japão, com o gohan, servido branco, só cozido com água, na maior simplicidade, como também na paella espanhola, que é uma mistura de várias carnes e caldos, cheia de sabores", ilustra o chef Gabriel Broide, do Botanique Hotel & Spa.

Paella de frutos do mar - Pedro Henrique Cardoso/Divulgação - Pedro Henrique Cardoso/Divulgação
Paella, um dos pratos mais queridos da culinária espanhola e que leva arroz
Imagem: Pedro Henrique Cardoso/Divulgação
O especialista nas panelas salienta que o arroz é um ingrediente que oferece mil e uma possibilidades. "Como matéria-prima, pode funcionar muito bem como veículo, absorvendo os sabores do que é preparado junto dele", pontua o chef Gabriel Broide, do Botanique Hotel & Spa.

Para a chef Tássia Magalhães, dos riso.e.ria, Fabbrica Ristorante, UNNO e TM Eventos, a cultura do arroz como guarnição já não existe mais. "É ótimo unir a ele ingredientes que se sobressaiam. O arroz tem que estar junto dos ingredientes principais", defende.

Exemplo dado pela chef é o Arroz de pato: "Se você fizer o pato de uma maneira e o arroz, de outra, ele vai ser sempre olhado como acompanhamento. Agora, se fizer o pato, desfiá-lo, juntá-lo e fazer o cozimento do arroz no próprio pato, aí ele será o astro! Não ofusca o ingrediente escolhido para ser estrela e, também, tem seu lugar de destaque no prato principal".

Tássia revela que um de seus tipos preferidos para preparo de pratos é o arroz bomba. Mas ela também aprecia o cateto, o carnaroli, o arbóreo, o negro, o vermelho... "Hoje temos uma variedade absurda de arrozes, encontrados em qualquer mercado", comenta.

Diferentes tipos de arroz

Nem só de arroz branco vive sua cozinha! Conheça mais variedades - Getty Images - Getty Images
Nem só de arroz branco vive sua cozinha! Conheça mais variedades
Imagem: Getty Images

O arroz nosso de todo santo dia é o agulhinha, o mais consumido no país, que também é chamado de arroz branco. Além dele, há vários outros, entre os quais:

  • integral, que também é o agulhinha, mas preservando-se a película que o cobre;
  • parboilizado, que passa por processo de pré-cozimento industrial;
  • cateto, igualmente conhecido como arroz japonês, é menor e arredondado;
  • arbóreo, que é curto e arredondado e matéria-prima para risotos;
  • carnaroli, com características similares ao arbóreo;
  • negro, cujos grãos são escuros, curtos e roliços e pedem panela de pressão;
  • vermelho, que traz sabor característico acastanhado;
  • basmati, originário da Ásia, com grãos longos e mais finos;
  • jasmim, também vindo do outro lado do mundo, com perfil aromático;
  • bomba, que é arredondado e muito usado em paellas.

17 receitas para variar o cardápio

Se você cansou do arroz basiquinho, experimente uma das várias sugestões que apresentamos abaixo. Os pratos combinam diferentes ingredientes e formas de preparo e inovam, inclusive, na apresentação. As dicas vão bem tanto no dia a dia quanto nas refeições especiais de fins de semana. Delicie-se!