PUBLICIDADE
Topo

Alison e Álvaro tentam evitar desastre: Brasil nunca ficou fora do pódio

Alison e Álvaro comemoram classificação nas quartas de final do vôlei de praia - ANGELA WEISS / AFP
Alison e Álvaro comemoram classificação nas quartas de final do vôlei de praia Imagem: ANGELA WEISS / AFP

Beatriz Cesarini

Do UOL, em Tóquio

03/08/2021 12h00

Com a eliminação de Ana Patrícia e Rebecca para a Suíça nas quartas de final, a única esperança por medalha brasileira no vôlei de praia das Olimpíadas de Tóquio está em Alison e Álvaro. A dupla masculina entra em quadra na noite desta terça-feira (do Brasil), contra a Letônia, para evitar a primeira Olimpíada da história sem Brasil no pódio da modalidade.

O Brasil sempre esteve representado entre os três melhores do vôlei de praia desde os Jogos de Atlanta em 96, quando a modalidade foi incluída no programa olímpico. Com as eliminações de Ana Patrícia e Rebecca e de Ágatha e Duda em Tóquio, será a primeira vez que o país não contará com uma dupla feminina medalhista desde os Jogos de Pequim, em 2008.

Ágatha e Duda —a primeira foi medalhista na Rio-2016, com Bárbara— eram a principal esperança no vôlei de praia feminino em Tóquio. Elas foram eliminadas nas oitavas de final, pelas alemãs Laura Ludwig e Margareta Kozuch.

Entre os homens, o Brasil sobe no pódio desde 2000 em Sydney, com direito a dobradinhas como a prata de Márcio e Fábio e o bronze de Ricardo e Emanuel nas Olimpíadas de Pequim, em 2008.

A missão é difícil, mas Alison e Álvaro estão bem na disputa de Tóquio. Eles venceram dois dos três jogos na fase preliminar —perderam apenas para os Estados Unidos, por 2 sets a 1, em jogo equilibrado. Nas oitavas, derrotaram a dupla mexicana formada por José Luis Rubio Camargo e José Gaston Gaxiola Leyva com tranquilidade, por 2 sets a 0.

Agora, em busca de uma vaga na semifinal, eles enfrentarão os letões Edgar Tocs e Martins Plavins, que não deram chances aos brasileiros Bruno Schmidt e Evandro e venceram as oitavas por 2 sets a 0, com parciais de 21/19 e 21/18.

Nas Olimpíadas do Rio, Alison foi campeão ao lado de Bruno Schmidt. Agora, aos 35 anos, vai em busca de mais uma medalha olímpica ao lado do parceiro Álvaro, de 30 anos.

Veja o histórico de medalhas do Brasil no vôlei de praia em Olimpíadas:

Atlanta-1996
Feminino:
Ouro (Jaqueline e Sandra) e prata (Mônica e Adriana)

Sydney-2000
Feminino:
Prata (Adriana Behar e Shelda) e bronze (Adriana e Sandra)

Masculino:
Prata (José Marcos e Ricardo)

Atenas-2004
Feminino:
Prata (Adriana Behar e Shelda)

Masculino:
Ouro (Ricardo e Emanuel)

Pequim-2008
Masculino:
Prata (Márcio e Fábio) e bronze (Ricardo e Emanuel)

Londres-2012
Feminino:
Bronze (Juliana e Larissa)

Masculino:
Prata (Alison e Emanuel)

Rio-2016
Feminino:
Prata (Ágatha e Barbara)

Masculino:
Ouro (Alison e Bruno Schmidt)