PUBLICIDADE
Topo

Botafogo

Eliminação e Carioca fora do G4 pressionam Botafogo em início de temporada

Marcelo Chamusca, técnico do Botafogo, sob olhares do presidente Durcesio Mello e do diretor de futebol Eduardo Freeland - Vitor Silva/Botafogo
Marcelo Chamusca, técnico do Botafogo, sob olhares do presidente Durcesio Mello e do diretor de futebol Eduardo Freeland Imagem: Vitor Silva/Botafogo

Alexandre Araújo e Bernardo Gentile

Do UOL, no Rio de Janeiro (RJ)

15/04/2021 04h00

A eliminação precoce na Copa do Brasil e o fato de não figurar no G4 do Campeonato Carioca pressionam diretoria e comissão técnica do Botafogo neste início de temporada. Ainda na noite de ontem (14), pouco depois da derrota para o ABC nos pênaltis, a torcida alvinegra foi às redes sociais com contestações em relação ao trabalho do diretor de futebol Eduardo Freeland e pedindo, inclusive, a demissão do técnico Marcelo Chamusca.

O adeus à competição nacional, por sinal, tem peso maior que apenas o esportivo. Com premiação polpuda, avançar no torneio se mostrava uma alternativa ao clube que atravessa grave crise financeira e viu o orçamento sofrer grande baque com o rebaixamento à Série B no Brasileiro. Caso tivesse chegado à terceira fase, por exemplo, o Botafogo embolsaria R$ 1,7 milhão. Se repetisse a campanha da última edição, quando alcançou as oitavas, seriam mais R$ 2,7 milhões.

Após começo que se desenhou promissor, o Glorioso caiu de rendimento e chegou ao quarto jogo consecutivo sem vitória, sendo três pelo Estadual — contra times de menor investimento — e o de ontem pela Copa do Brasil. Ainda no começo do ano, Chamusca ressaltou que o trabalho teria obstáculos e afirmou que estava "trocando o pneu com o carro andando".

Apesar dos pedidos da torcida, segundo o UOL Esporte apurou, o treinador ainda é avaliado positivamente e tem a confiança da cúpula para levar o planejamento à frente.

"Tenho tentado, no pouco tempo que a gente teve, dar um padrão, firmar uma ideia de jogo. Mas temos pouco tempo de treinamento, pouco tempo de preparação. No último jogo, apesar do resultado, apresentamos uma evolução. Mas precisamos ter mais consistência defensiva, controlar mais as fases do jogo. Hoje [ontem, contra o ABC], esperava que a gente controlasse melhor e fizesse um bom jogo, mas o goleiro deles trabalhou muito pouco. São situações que acontecem em um início de trabalho", afirmou após o duelo em Natal.

Após uma temporada com números para lá de negativos e rebaixamento antecipado à Série B, o Alvinegro passa por reformulação que tem reflexos no departamento de futebol e, consequentemente, no elenco, que ainda se encontra em montagem. Escolhido para conduzir o time em 2021, Chamusca chegou com a missão de conseguir o retorno à elite do Brasileirão.

Botafogo