PUBLICIDADE
Topo

Liga dos Campeões - 2020/2021

PSG x Istanbul: Times deixam campo após 4º árbitro ser acusado de racismo

João Henrique Marques

Colaboração para o UOL, em Paris

08/12/2020 17h33Atualizada em 08/12/2020 23h31

Os jogadores de PSG e Istanbul Basaksehir protagonizaram um momento histórico na tarde de hoje pela última rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões ao saírem de campo após o quarto árbitro, o romeno Sebastien Coltescu, ser acusado de ser racista contra um membro da comissão técnica do time turco. A ação foi comandada por Demba Ba, jogador senegalês nascido na França do Istambul.

O jogo no Parque dos Príncipes, em Paris, foi interrompido pouco antes dos 15 minutos do primeiro tempo. A Uefa suspendeu a partida por tempo indeterminado. O placar ainda estava em 0 a 0.

A ofensa teria sido feita ao ex-jogador camaronês Pierre Webo, membro da comissão técnica do Basaksehir. Demba Ba, que estava no banco de reservas, foi flagrado pela transmissão interpelando o quarto árbitro.

"Você nunca diz: 'este cara branco', você diz 'este cara'. Então me ouça, por que quando você menciona um cara negro você diz 'este cara negro?", questionou Demba Ba.

Imediatamente, os atletas dos dois times foram conversar com o árbitro. Leonardo, diretor de futebol do PSG, também entrou em campo. Em imagens veiculadas pelo Esporte Interativo, Neymar e Mbappé disseram ao juiz da partida que não jogariam se o quarto árbitro estivesse em campo. Após cerca de 15 minutos de indefinição, os atletas dos dois times saíram de campo.

Brasileiro diz que técnico escutou ofensa

O lateral brasileiro Rafael, do Istanbul, afirmou que não escutou a ofensa racista por parte do quarto árbitro da partida contra o PSG pela Liga dos Campeões na tarde de hoje, mas que o técnico presenciou. O romeno Sebastien Coltescu foi acusado de racismo contra um membro do time turco.

"O que aconteceu é que o quarto árbitro chegou para um assistente, não sei porque ele expulsou, porque ele é racista. Ele falou negro, sai daí, vai embora. O treinador escutou, eu não escutei. Eu vi que todo mundo começou a ir para cima, com certeza ele falou, saímos de campo. Dois ou três não queriam sair", disse o brasileiro Rafael em entrevista ao Esporte Interativo.

Uefa divulga nota e diz que vai investigar o caso

"Na sequência de um incidente no jogo desta noite da UEFA Champions League entre o Paris Saint-Germain FC e o Istanbul Basaksehir FK, a UEFA decidiu - após discussão com os dois clubes - de forma excepcional que os minutos restantes do jogo sejam disputados amanhã com uma nova equipe de arbitragem. A partida será iniciada às 18h55 do horário local. Uma investigação completa sobre o incidente ocorrido será aberta imediatamente", diz a nota oficial da Uefa.

"A UEFA está ciente de um incidente ocorrido durante o jogo desta noite da Liga dos Campeões entre o Paris Saint-Germain e o Istanbul Basaksehir e vai conduzir uma investigação aprofundada", escreveu a entidade em sua conta oficial no Twitter. "O racismo e a discriminação em todas as suas formas não têm lugar no futebol", completou.

A partida foi suspensa e será retomada amanhã com uma outra equipe de arbitragem, às 18h55, no horário local, 14h55 de Brasília.

Paris Saint-Germain e Istanbul Basaksehir faziam confronto decisivo no Grupo H da Liga dos Campeões. O time francês precisava somente de um empate para assegurar classificação às oitavas de final da competição. O jogo estava 0 a 0 no momento da paralisação.