PUBLICIDADE
Topo

Quem são as moedas de troca que o Santos ainda oferece no mercado da bola

Sabino, jogador do Coritiba, comemora seu gol durante partida contra o Botafogo-SP pelo campeonato Brasileiro B - Gabriel Machado/AGIF
Sabino, jogador do Coritiba, comemora seu gol durante partida contra o Botafogo-SP pelo campeonato Brasileiro B Imagem: Gabriel Machado/AGIF

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

19/12/2019 04h00

O Santos já anunciou dois reforços no mercado da bola para a temporada de 2020, ambos a base de trocas simples: Raniel, que chegou do São Paulo por Vitor Bueno, e Madson, trocado com o Grêmio por Victor Ferraz. Em situação financeira complicada, o Peixe usa a criatividade e a ordem é seguir buscando trocas no "vai e vem" para fortalecer o time sem gastar.

Além dos dois, o Santos tem muitos outros jogadores que já começou a oferecer. Alguns deles, como Uribe, Cueva, Matheus Ribeiro e Allan Cardoso estavam encostados na equipe, enquanto outros retornam de empréstimo. O UOL Esporte explica quem são eles e como estão as negociações que envolvem os atletas.

Uribe

O centroavante colombiano chegou do Flamengo por cerca de R$ 5 milhões e tem o maior salário do elenco santista. Ele teve poucas oportunidades com Sampaoli, que insistiu por sua contratação, e acabou encostado. Fora dos planos, o camisa 9 tem mercado fora do Brasil, principalmente na Colômbia e no México. O Querétaro já chegou a conversar com ele e saiu na frente pelo acerto, mas o Santos prioriza vender o jogador

Cueva

Contratado junto ao Krasnodar (RUS) por R$ 26 milhões, o peruano foi outro que fracassou na temporada. O presidente José Carlos Peres segue acreditando que o camisa 8 do Peixe precisa de mais oportunidades e merece uma segunda chance, mas seu comportamento fora de campo não ajuda e sua reintegração dependerá do novo técnico. O Rosário Central já admitiu interesse em contar com o meia.

Matheus Ribeiro e Allan Cardoso

Os dois laterais estão encostados e treinando separado. Matheus Ribeiro é lateral-direito e tem contrato somente até o final do ano. Ele tem ofertas para deixar o clube, mas o Peixe prefere uma negociação em definitivo, já que um empréstimo permitiria ao atleta sair de graça. Já Allan Cardoso, que chegou do Vasco neste ano, tem vínculo até fevereiro de 2021 e menos mercado, já que nunca jogou pelo profissional do Peixe, que topa emprestá-lo.

Frederico Tadeu/Avaí F.C.
Imagem: Frederico Tadeu/Avaí F.C.

Vladimir

O goleiro que fez uma boa temporada no Avaí retorna ao Santos em alta. Ele recebeu sondagens de clubes da Série A para compor elenco, mas tinha preferência em seguir no time de Santa Catarina, mesmo com o rebaixamento. O Peixe, no entanto, rejeitou um novo empréstimo por entender que Vladimir seria desvalorizado atuando na segunda divisão. Um clube do México chegou a sondar o estafe do jogador, mas não há nada concreto ainda.

Sabino e Rodrigão

O zagueiro Sabino foi eleito um dos melhores da Série B na campanha que deu o acesso ao Coritiba. No entanto, mesmo diante da perda de Gustavo Henrique, o Santos não pensa em mantê-lo e estuda propostas. O Coritiba tem interesse na permanência por empréstimo, mas a prioridade é envolvê-lo em uma troca ou negociá-lo em definitivo. Já Rodrigão começou o ano bem e chegou a estar entre os artilheiros da Série B, mas acabou a temporada afastado do clube por problemas pessoais. Outro fora dos planos.

Cléber Reis

O zagueiro, que ficou grande parte de 2019 parado, foi emprestado ao Oeste no segundo semestre e teve boas atuações na Série B. Foram 21 jogos e três gols marcados. No Santos, o alto salário, cerca de R$ 250 mil, joga contra sua permanência e o clube vai tentar negociá-lo, mas é justamente montante mensal que afasta os interessados.

Thiago Ribeiro/AGIF
Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF

Yuri

O volante que chegou a jogar com Sampaoli foi emprestado ao Fluminense e se tornou uma peça importante no elenco carioca, atuando em 25 jogos no Brasileirão. O Tricolor carioca já manifestou interesse e entregou uma oferta oficial ao Santos. O Peixe não irá dificultar o negócio.

Rafael Longuine

Longuine passou a temporada na Ponte Preta por empréstimo, mas enfrentou problemas com lesões que atrapalharam seu ano. Foram apenas nove jogos. A tendência é que ele seja novamente emprestado.

Arthur Gomes

O Menino da Vila de apenas 21 anos teve uma boa temporada na Chapecoense, onde esteve emprestado. Ele atuou em 30 rodadas do Brasileirão e marcou quatro gols. Com a carência de profundidade de elenco na posição de extremo, Arthur pode ser reintegrado no próximo ano, mas a decisão será tomada em conjunto com o novo treinador.

Romário

Nos últimos dois anos o lateral-esquerdo passou por nada mais que seis clubes. Contratado pelo Santos, ele jamais se firmou e foi emprestado ao Ceará, que o repassou ao Guarani ainda no ano passado. Em 2019, iniciou o ano no Red Bull Brasil, mas passou ao Bragantino quando a empresa comprou a equipe. Sem ser utilizado, foi novamente repassado ao Vila Nova, onde fez 19 jogos. Seu contrato vai até o fim de 2022 e ele não deve seguir no clube mesmo com a carência na posição.

Daniel Guedes

Visto com muito potencial dentro do clube, Daniel Guedes acabou dispensado por Sampaoli já na pré-temporada. Emprestado ao Goiás, Guedes vinha sendo titular da lateral direita, mas acabou pego em um exame antidopping por uma substância que ajuda no metabolismo. O estafe está confiante na absolvição, mas a troca realizada pelo Peixe para ter Madson tirou o espaço do jogador no elenco.

Felippe Cardoso

Ele chegou indicado por Cuca e como possível solução para o problema da camisa 9 do Santos, mas não foi nada do que se esperava. Felippe Cardoso até atuou pelo Peixe nesta temporada, mas perdeu espaço e depois ainda se recusou a jogar pelo time sub-23. Acabou emprestado ao Ceará, onde atuou em 18 jogos e anotou somente dois gols. Os cearenses não têm interesse na permanência e a tendência é que o centroavante seja novamente emprestado.

Santos