PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Ataque do Bayern já superou Santos de Pelé e busca recorde mundial do River

Lewandowski é o homem-gol do Bayern de Munique - CHRISTOF STACHE / AFP
Lewandowski é o homem-gol do Bayern de Munique Imagem: CHRISTOF STACHE / AFP
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

26/10/2021 04h00

No dia 9 de fevereiro de 2020, o Bayern de Munique empatou por 0 a 0 contra o RB Leipzig, em casa, pela 21ª rodada do Campeonato Alemão. O "mini tropeço" parecia apenas mais um resultado banal para a equipe que havia acabado de assumir a liderança da Bundesliga e caminhava para mais um título.

Mas que nada: o placar zerado contra o clube da Red Bull já ganhou uma dimensão histórica.

Afinal, desde aquele jogo, disputado há mais de um ano e oito meses, quando a pandemia de covid-19 nem havia sem tornado ainda uma preocupação global, o clube bávaro nunca mais encerrou uma partida de futebol sem balançar as redes.

A sequência de jogos marcando pelo menos um gol já dura 85 partidas oficiais, mais do que a maior série que o Santos de Pelé conseguiu construir na década de 1960 (74) ou que qualquer outra equipe europeia atingiu em mais de um século e meio de futebol.

Agora, o artilheiro Robert Lewandowski e seus fiéis escudeiros Thomas Müller, Serge Gnabry, Leroy Sané e cia. estão de olho no recorde mundial de jogos consecutivos com bola na rede, estabelecido há quase 100 anos, pelo River Plate.

Entre 1936 e 1939, o time argentino passou inacreditáveis 96 partidas seguidas comemorando pelo menos um gol. Nesse período, os Millonarios conquistaram quatro títulos (dois nacionais) e marcaram 316 vezes (média de 3,30 a cada 90 minutos).

O curioso é que o River tinha totais condições de estender um pouco mais essa sequência. Afinal, no seu primeiro jogo sem gol em mais de três anos, um clássico contra o Boca Junios, o craque Adolfo Pedernera teve um pênalti defendido pelo goleiro Juan Estrada.

Se mantiver o seu longo tabu de nunca sair de campo sem ter marcado pelo menos um golzinho, o Bayern conseguirá igualar o recorde dos argentinos daqui a um mês e meio, em 15 de dezembro, contra o Stuttgart, e irá superá-lo três dias depois, ante o Wolfsburg, na sua última apresentação de 2021.

Porém, os alemães dificilmente conseguirão atingir o mesmo nível de produtividade do ataque do River, já que sua média desde o início da sequência está na casa de 3,17 gols por partida. No total, eles têm 70 vitórias, nove empates e apenas seis derrotas desde que pararam de "passar em branco".

O artilheiro do período é Lewandowski, o último vencedor do prêmio de melhor jogador do mundo, que marcou 87 vezes nos últimos 85 compromissos do seu clube. Gnabry fez 29 gols no mesmo período. E Müller, 26.

Com tanta facilidade para balançar as redes adversárias, o Bayern evidentemente lidera mais uma vez o Alemão. O atual eneacampeão nacional tem 22 pontos somados em nove rodadas, um a mais que o Borussia Dortmund, segundo colocado.

O próximo compromisso do time dirigido por Julian Nagelsmann na Bundesliga está marcado para sábado, contra o Union Berlim, na capital germânica. Antes, enfrenta amanhã o Borussia Mönchengladbach, pela Copa da Alemanha.

Já na Liga dos Campeões da Europa, competição em que ainda tem 100% de aproveitamento, os bávaros podem carimbar a classificação para as oitavas de final já na próxima rodada, em casa, contra o Benfica, na próxima terça-feira.