PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Noruega domina a Chuteira de Ouro... e a culpa nem é de Haaland

Thomas Lehne Olsen é o vice-líder da Chuteira de Ouro - Divulgação
Thomas Lehne Olsen é o vice-líder da Chuteira de Ouro Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

19/10/2021 04h20

A Noruega está dominando a edição 2021/2022 da Chuteira de Ouro. E a responsabilidade pelo feito nem é de Erling Haaland, o principal e mais conhecido jogador de futebol do país nórdico.

Os compatriotas do centroavante do Borussia Dortmund ocupam três das quatro primeiras colocações do prêmio, que é entregue anualmente ao maior artilheiro dos campeonatos nacionais da Europa na temporada.

Ohi Omoijuanfo, do Molde, último clube de Haaland na Noruega, lidera a disputa, com 33 pontos. Thomas Lehne Olsen, que defende o Lillestrom, tem 27 e ocupa a vice-liderança. Já o quarto lugar é de Veton Berisha, do Viking Stavanger, que soma 22,5.

O único intruso no domínio da nação nórdica também é escandinavo. O dinamarquês Mikke Dahl, que joga no Tórshav, tem 23 pontos, está atrás apenas de Omoijuanfo e Lehne Olsen e completa o pódio.

Os três noruegueses que brigam pela liderança da Chuteira de Ouro atuam no próprio país. E aí está a principal explicação de que por que a Noruega tem ido tão bem no prêmio nesta temporada.

O Campeonato Norueguês utiliza um calendário anual, semelhante ao do futebol brasileiro. Ou seja: enquanto a maioria das ligas nacionais da Europa ainda está começando, ele já entrou na metade final - faltam oito rodadas para o encerramento.

Com o tempo, a tendência é que os atletas dos clubes mais poderosos do Velho Continente subam na classificação e tomem o espaço desses artilheiros menos conhecidos. Por isso, é bem mais provável que Haaland (nono colocado, com 18 pontos) fature a taça no lugar de algum dos seus compatriotas que estão neste momento mais bem posicionados.

Algumas outras ligas menores também utilizam o calendário anual. Mas, na maioria delas, cada gol vale apenas um ponto na Chuteira de Ouro. Na Noruega, o artilheiro recebe 1,5 ponto por cada bola na rede.

É por isso que Dahl, que joga no modestíssimo futebol das Ilhas Faröe, ocupa apenas a terceira colocação no ranking de goleadores da temporada, mesmo já tendo marcado 23 vezes, mais até do que o líder Omoijuanfo, autor de 22 gols.

O maior vencedor da história da Chuteira de Ouro é Lionel Messi. Enquanto defendia o Barcelona, o hoje astro do Paris Saint-Germain foi o goleador da temporada em seis oportunidades: 2009/2010, 2011/2012, 2012/2013, 2016/2017, 2017/2018 e 2018/2019.

O atual detentor da taça é o polonês Robert Lewandowski. Na edição passada do Campeonato Alemão, o centroavante do Bayern de Munique meteu 41 bolas nas redes e somou 82 pontos, maior pontuação de um artilheiro da Europa em seis anos.

Sem grandes goleadores consagrados no cenário internacional na atualidade, o Brasil está prestes a completar 20 anos de jejum. A última vez que o país do futebol faturou o prêmio foi em 2001/2002, com Jardel, na época jogador do Sporting.

O ex-centroavante do Grêmio também levantou o troféu em 1998/1999. Além dele, apenas Ronaldo (1996/1997) já havia colocado a terra tupiniquim no lugar mais alto do pódio.

O "Blog do Rafael Reis" publica semanalmente, sempre às terças-feiras, uma nova parcial da corrida pelo posto de artilheiro máximo do Velho Continente.

Confira a classificação da Chuteira de Ouro

1 - Ohi Omoijuanfo (NOR, Molde) - 33 pontos (22 gols)
2 - Thomas Lehne Olsen (NOR, Lillestrom) - 27 pontos (18 gols)
3 - Mikke Dahl (DIN, Tórshavn) - 23 pontos (23 gols)
4 - Veton Berisha (NOR, Viking Stavanger) - 22,5 pontos (15 gols)
5 - Ricardo Gomes (CBV, Partizan Belgrado) - 21 pontos (14 gols)
6 - Henri Anier (EST, Paide Linnameeskond) - 20 pontos (20 gols)
7 - Georgie Kelly (IRL, Bohemian) - 19 pontos (19 gols)
Zakaria Beglarishvilli (GEO, Levadia) - 19 pontos (19 gols)
9 - Dembo Darboe (GAM, Shakhtjor Soligorsk) - 18 pontos (18 gols)
Erik Botheim (NOR, Bodo/Glimt) - 18 pontos (12 gols)
Erling Haaland (NOR, Borussia Dortmund) - 18 pontos (9 gols)
Karim Benzema (FRA, Real Madrid) - 18 pontos (9 gols)
Páll Klettskard (FAR, Klaksvík) - 18 pontos (18 gols)
Rauno Sappinen (EST, Flora Tallinn) - 18 pontos (18 gols)
Robert Lewandowski (POL, Bayern de Munique) - 18 pontos (9 gols)
Michael Frey (SUI, Royal Antuérpia) - 18 pontos (12 gols)