PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Brasil deve assumir vice-liderança do ranking da Fifa; Itália volta a top 5

Neymar é o principal jogador da seleção brasileira - Thiago Ribeiro/Thiago Ribeiro/AGIF
Neymar é o principal jogador da seleção brasileira Imagem: Thiago Ribeiro/Thiago Ribeiro/AGIF
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

12/07/2021 04h00

A seleção brasileira não conquistou o título da Copa América. Mas o vice-campeonato do torneio da Conmebol deve ser suficiente para que ela assuma a vice-liderança do ranking da Fifa.

De acordo com simulações feitas a partir da plataforma do site "Football Ranking", a equipe dirigida por Tite deve aparecer atrás apenas da Bélgica na próxima edição da lista da entidade que gerencia o futebol mundial, que será divulgada no dia 12 de agosto.

Mesmo derrotado em casa pela Argentina na decisão continental, o Brasil somou mais 55 pontos no ranking na recém-encerrada temporada de seleções. Com isso, tende a chegar a 1.797,7 pontos e deixar a França para trás.

Os atuais campeões mundiais foram eliminados precocemente na Eurocopa (oitavas de final). O resultado do fiasco é que provavelmente cairão uma posição no pódio do ranking da Fifa e aparecerão com 1.761,8 pontos.

Apesar de ter caído nas quartas do torneio do Velho Continente, a Bélgica continuará sem sofrer ameaças no topo da lista. A equipe de Kevin de Bruyne e Romelu Lukaku ocupa o topo da classificação das melhores seleções do planeta desde outubro de 2018 e deve ser o único país com mais de 1.800 pontos na próxima relação.

As duas finalistas da Eurocopa completam o próximo top 5 do ranking da Fifa.

A Itália, que derrotou a Inglaterra nos pênaltis depois de um empate por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação em Wembley, deve saltar da sétima para a quinta colocação e aparecer justamente abaixo do English Team, que já era o quarto na mais recente edição da lista, divulgada em maio.

Outra seleção que se deu bem nos torneios do último mês, a Argentina, algoz do Brasil na decisão da Copa América, deve ganhar duas posições e surgir no sétimo lugar no próximo ranking.

Segundo a projeção, o top 10 da classificação de agosto deve ter nove seleções que já apareciam nesse grupo elitista em maio. A novidade é a Holanda, que deve subir da 16ª para o décima posição e roubar a vaga que pertencia ao Uruguai, antigo nono colocado.

Além dos uruguaios, os portugueses também se deram mal na temporada das seleções. Campeões da Eurocopa em 2016, eles não repetiram o sucesso de cinco anos atrás e devem cair da quinta para a oitava posição.

O ranking existe desde 1992 e é usado, entre outras coisas, para definir os cabeças de chave dos grupos da Copa do Mundo. Ele passou por sua última transformação drástica em 2018, quando passou a usar um sistema de pontuação semelhante ao adotado nas classificações de xadrez.

O Brasil é o país que passou mais tempo no topo da lista. A seleção pentacampeã mundial foi eleita 12 vezes a equipe do ano pela Fifa e já esteve na primeira colocação do ranking em 154 oportunidades.

Só que o time canarinho já está há quatros anos distante de ser o "número um" do planeta. Sua última liderança foi em agosto de 2017. Desde então, vem se revezando entre a segunda e a quarta posições.

Ranking da Fifa (projeção para agosto)

1 - Bélgica - 1.822,4 pontos
2 - Brasil - 1.797,7 pontos
3 - França - 1.761,8 pontos
4 - Inglaterra - 1.752,8 pontos
5 - Itália - 1.744,7 pontos
6 - Argentina - 1.714,4 pontos
7 - Espanha - 1.680,5 pontos
8 - Portugal - 1.662,4 pontos
9 - Dinamarca - 1.642,3 pontos
10 - Holanda - 1.637,5 pontos