PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

Na Espanha, Deyverson vê mais cartões que gols e finaliza tanto quanto bate

Deyverson participa de treino do Alavés, clube que vai defender até junho - Divulgação
Deyverson participa de treino do Alavés, clube que vai defender até junho Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

22/01/2021 04h00

Deyverson tenta roubar a bola do zagueiro adversário e comete falta. Em outro momento, recebe um leve toque do marcador e mergulha no gramado na tentativa de descolar um pênalti. O juiz se irrita com sua simulação e mostra um cartão amarelo.

As cenas que o torcedor do Palmeiras tanto viu (e também com as quais se irritou, ironizou nas redes sociais e até produziu memes) agora fazem parte do cotidiano do Alavés. Afinal, o atacante não mudou nadinha desde que foi para a Espanha.

Emprestado à equipe basca até junho, Deyverson tem mais cartões do que gols na atual temporada e tem finalizado contra a meta adversária com a mesma frequência com que derruba jogadores rivais.

Apesar de normalmente ser reserva, o camisa 14 até que tem sido bastante aproveitado no Alavés. Ele participou de 15 dos 19 jogos da equipe no Campeonato Espanhol (nos outros, ficou no banco) e disputou dois dos três compromissos válidos pela Copa do Rei.

Mesmo assim, só conseguiu marcar um golzinho até o momento: na vitória por 2 a 1 sobre o Eibar, no dia 23 de dezembro, última vez em que ficou em campo durante os 90 minutos da partida.

Em compensação, o brasileiro já recebeu três cartões amarelos, dois por faltas cometidas (contra Barcelona e Cádiz) e um por simulação, ante o Osasuna, quando tentou (e não conseguiu) cavar um pênalti.

De acordo com o "WhoScored?", site que contabiliza as estatísticas dos principais campeonatos de futebol do planeta, Deyverson tem sido um atacante que finaliza tanto quanto comete faltas.

Sua média de chutes a gol e de infrações é exatamente a mesma: 0,8 por partida. Só como comparação, o titular mais frequente de sua posição, Joselu, costuma finalizar 2,6 vezes e cometer 1,2 falta por jogo.

Só que o Alavés nem pode dizer que não conhecia Deyverson direito quando o contratou, já que essa é a segunda passagem do atacante pelo clube. Na temporada 2016/17, ele ajudou sua equipe a ser vice-campeã da Copa do Rei e balançou as redes de Barcelona e Real Madrid.

Na Espanha, o atacante também passou por Levante e Getafe, clube que defendeu na metade inicial de 2020, quando foi emprestado pela primeira vez pelo Palmeiras.

O jogador tem contrato com a equipe brasileira até junho de 2022. Ou seja, no segundo semestre, pode ser reintegrado ao elenco caso esse seja o desejo da diretoria e da comissão técnica alviverde.

O atacante foi contratado em 2017 e permaneceu no clube até o fim de 2019. Xodó do técnico Luiz Felipe Scolari, ele colecionou polêmicas durante a passagem por São Paulo e foi o autor do gol que definiu a conquista do título brasileiro de 2018.

Os gols que Deyverson não costuma fazer têm feito falta ao Alavés. Em sua quinta temporada consecutiva na primeira divisão espanhola, a equipe está seriamente ameaçada de rebaixamento.

Com 18 pontos conquistados em 19 rodadas, o time dirigido por Pablo Machín ocupa a 17ª colocação no campeonato, a primeira fora do descenso, e tem só um ponto de vantagem para o grupo da degola.

Amanhã, Deyverson e seus companheiros têm um dos compromissos mais pesados do ano, a partida contra o Real Madrid, em casa. A boa notícia para eles é que o poderoso clube da capital está em crise depois de ter sido eliminado no meio da semana da Copa do Rei pelo Alcoyano, da terceirona local.