PUBLICIDADE
Topo

Histórico

Rafael Reis

Por onde andam 7 ex-jogadores do Athletico-PR "escondidos" no exterior?

Ex-Barcelona, Adriano defendeu o Athletico durante um ano e agora está na Bélgica - Divulgação
Ex-Barcelona, Adriano defendeu o Athletico durante um ano e agora está na Bélgica Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

25/11/2020 04h20

O que aconteceu com aquele jogador que vestiu a camisa do seu time de coração, talvez até tenha conquistado algum título por lá, aceitou uma proposta para jogar no exterior e simplesmente desapareceu do radar da imprensa brasileira?

É bem provável que ele esteja "escondido" em algum cantinho do mundo que não sejam os principais campeonatos nacionais da Europa (Inglês, Espanhol, Italiano, Alemão ou Francês) e nem tenha o prazer de disputar a Liga dos Campeões.

Desde agosto e ao longo das últimas 13 semanas, o "Blog do Rafael Reis" mergulhou na caça desses atletas para apresentar a vocês, leitores, os paradeiros de alguns deles.

Neste último episódio, mostramos hoje o que andam fazendo da vida sete jogadores que passaram recentemente pelo Athletico-PR e hoje estão "perdidos no mundo"... Ou melhor, estavam, já que encontramos todos eles.

ADRIANO
Lateral esquerdo
36 anos
Eupen (BEL)

Ex-jogador de Barcelona, Sevilla e até da seleção brasileira, o lateral formado na base do maior rival athleticano (o Coritiba) passou 14 anos atuando na Europa até decidir voltar ao Paraná no meio do ano passado. Sua contratação tinha um objetivo claro: substituir Renan Lodi, negociado com o Atlético de Madri. Mas a passagem de Adriano pela Arena da Baixada não durou muito, apenas 13 meses. Em agosto, ele foi liberado para retornar ao Velho Continente. Desta vez, o destino foi o Eupen, clube belga que pertence ao governo do Qatar e que é utilizado por ele para inserir no mercado internacional os jovens formados na Aspire, sua academia de novos talentos que recruta garotos de diferentes nacionalidades na Ásia e na África. Adriano, aos 36 anos, é um dos nomes que servem como referência e para dar experiência aos meninos recém-promovidos ao futebol profissional.

MARCELO CIRINO
Atacante
28 anos
Chongqing Dangdai Lifan (CHN)

Marcelo Cirino - Gabriel Machado/AGIF - Gabriel Machado/AGIF
Imagem: Gabriel Machado/AGIF

Um dos principais atacantes do Athletico-PR neste século, Cirino não se deu bem nos outros times grandes em que atuou no Brasil (Flamengo e Internacional), mas é ídolo em Curitiba. Formado no clube, ele vestiu a camisa rubro-negra até 2014 e retornou em 2018 para uma vitoriosa segunda passagem (com títulos de Copa do Brasil e Sul-Americana). No começo deste ano, o atacante foi liberado para se mudar para a China e assinou com o Chongqing Dangdai Lifan. Dono da camisa 10, ele é companheiro de time de Alan Kardec e Fernandinho (ex-São Paulo e Grêmio) e participou de 11 gols (cinco marcados por ele e seis assistências) em sua temporada de estreia.

LÉO VIEIRA
Goleiro
30 anos
Rio Ave (POR)

Léo Vieira - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Reserva de Santos durante a maior parte dos três anos em que viveu no Paraná, o goleiro chegou a ter algumas boas atuações com a camisa athleticana, mas sabia que dificilmente seria efetivado como titular. Por isso, acabou não renovando seu contrato para o segundo semestre deste ano e assinou com o Rio Ave, da primeira divisão portuguesa. Só que sua situação do outro lado do Atlântico não é muito diferente da que ele vivia por aqui. Léo Vieira é reserva do polonês Pawel Kieszek e ainda não disputou sequer uma partida.

ANDRÉ LIMA
Atacante
35 anos
Austin Bold (EUA)

André Lima (Athletico) - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Rodado talvez seja o melhor adjetivo para definir André Lima. O centroavante jogou em vários clubes do primeiro escalão do futebol brasileiro, como Botafogo, São Paulo, Fluminense e Grêmio. No Athletico, atuou durante um ano (2016), fez alguns golzinhos, desperdiçou outras chances, conquistou um título paranaense e foi importante na classificação da equipe para a Libertadores. No começo do ano passado, mergulhou em uma aventura diferente: assinou com o Austin Bold e foi jogar na USL, uma espécie de segunda divisão do futebol nos Estados Unidos. Lá, divide ataque com Kléber Gladiador, aquele mesmo que defendeu Palmeiras, Grêmio e Cruzeiro.

FRAN MÉRIDA
Meia
30 anos
Espanyol (ESP)

Fran Mérida (Athletico) - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Uma das maiores invencionices da diretoria athleticana nesta década, o espanhol era tratado como craque nas categorias de base do Arsenal e nas seleções menores do país campeão mundial de 2010. Só que a carreira profissional de Mérida é bastante decepcionante para alguém que carregava expectativas tão altas. Ele desembarcou no Brasil em 2013, após dar errado em Real Sociedad, Atlético de Madri, Braga e Hércules, e foi embora dois anos depois, também sem se firmar com a camisa rubro-negra. Na atual temporada, tem atuado em todas as partidas do Espanyol, tradicional clube de Barcelona que lidera a segunda divisão por lá.

MORRO GARCÍA
Atacante
30 anos
Godoy Cruz (ARG)

Morro García (Athletico) - FRANKLIN DE FREITAS/AE/AE - FRANKLIN DE FREITAS/AE/AE
Imagem: FRANKLIN DE FREITAS/AE/AE

Estrangeiro mais caro da história do Athletico, o centroavante uruguaio também foi uma das grandes decepções que o torcedor do Furacão já teve. Morro García deu tão errado por aqui que acabou sendo mandado de volta ao Nacional (URU), que devolveu a maior parte do valor da negociação. Quase dez anos depois da péssima experiência no Brasil, o atacante pode falar que deu a volta por cima. Ídolo no Godoy Cruz, clube que defende desde 2016, ele é um dos artilheiros mais temidos do futebol argentino na atualidade e já marcou quase 50 gols por lá.

ANDRÉ LUÍS
Atacante
23 anos
Daejeon Hana Citizen (CDS)

Mais conhecido pelas passagens por Corinthians, Fortaleza e Ponte Preta, o atacante passou três anos na base do Athletico, profissionalizou-se por lá, mas não chegou a defender a equipe adulta do Furacão. Em 2020, está encarando um desafio um tanto quanto incomum para alguém com seu currículo: a segunda divisão da Coreia do Sul. Cedido pelo Corinthians ao Daejeon Hana Citizen, André Luís tem dado conta da missão. Com 13 gol, é o vice-artilheiro da K-League 2 e principal responsável por seu time ainda estar vivo na briga pelo acesso à elite.