PUBLICIDADE
Topo

Rafael Reis

Dia das Crianças: 7 garotos que já estão brilhando no futebol dos adultos

Eduardo Camavinga tem só 17 anos, mas já brilha no Rennes e na seleção francesa - Divulgação
Eduardo Camavinga tem só 17 anos, mas já brilha no Rennes e na seleção francesa Imagem: Divulgação
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

12/10/2020 04h00

No universo do futebol, os jovens jogadores que ainda não chegaram à maioridade disputam uma categoria chamada juvenil. Há campeonatos nacionais, internacional e até uma Copa do Mundo exclusiva para os atletas de no máximo 17 anos.

Mas, de vez em quando, surgem alguns fenômenos que rompem essa lógica de desenvolvimento natural. Mesmo ainda tendo idade para jogar no sub-17, esses talentos já deixam no chinelo atletas muito mais velhos e se destacam em equipes importantes do "futebol adulto".

Foi assim com Pelé, Diego Maradona, Ronaldo Fenômeno, Neymar, Lionel Messi, Kylian Mbappé, Ronaldinho Gaúcho, Romelu Lukaku e tantos outros.

Pelo segundo ano consecutivo, o "Blog do Rafael Reis" aproveita o Dia das Crianças para apresentar garotos, todos eles ainda menores, que estão brilhando muito cedo no futebol mundial e já merecem a atenção dos torcedores e fãs do esporte.

EDUARDO CAMAVINGA
Meia
17 anos
Francês
Rennes (FRA)

Estreou como profissional quando tinha só 16 anos e quatro meses. Em sua primeira temporada completa jogando pelo time principal, foi eleito o craque da metade inaugural do Campeonato Francês e classificou o Rennes para a fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa pela primeira vez na história. Apesar do interesse de gigantes do porte de Real Madrid e Bayern de Munique na última janela de transferências, permaneceu no clube, assumiu a camisa 10 e o colocou na liderança da Ligue 1 neste início de temporada. Para completar, já virou um jogador importante da seleção francesa e, na semana passada, marcou seu primeiro gol com a camisa dos Bleus.

ANSU FATI
Atacante
17 anos
Espanhol
Barcelona (ESP)

Ansu Fati - REUTERS/Albert Gea - REUTERS/Albert Gea
Imagem: REUTERS/Albert Gea

Nascido em Guiné-Bissau, mas naturalizado espanhol por morar no país desde os seis anos, o adolescente é o motivo pelo qual os torcedores do Barcelona estão começando a acreditar que "haverá vida" após a saída de Messi. Na atual temporada, sua segunda como profissional e provavelmente a última do craque argentino no Camp Nou, Ansu Fati tem chamado a responsabilidade e decidido jogos. Foram três gols (e uma assistência) nas primeiras três rodadas do Campeonato Espanhol. O menino também já se transformou também no jogador mais jovem a balançar as redes pela seleção do país campeão mundial de 2010, quebrando um recorde que durava 95 anos.

GIOVANNI REYNA
Meia-atacante
17 anos
Norte-americano
Borussia Dortmund (ALE)

Giovanni Reyna - Divulgação/Site oficial do Borussia Dortmund - Divulgação/Site oficial do Borussia Dortmund
Imagem: Divulgação/Site oficial do Borussia Dortmund

Filho de Claudio Reyna, meio-campista que defendeu clubes como Manchester City e Bayer Leverkusen e que disputou quatro Copas do Mundo (1994, 1998, 2002 e 2006) pela seleção norte-americana, Giovanni é a nova sensação do Borussia Dortmund. Ele teve as primeiras oportunidades na segunda metade da temporada passada e assumiu a titularidade neste início de Campeonato Alemão. Nas primeiras três rodadas da Bundesliga, o camisa 32 já marcou um gol e distribuiu quatro assistências. O garoto só não estreou ainda pela seleção principal dos Estados Unidos porque a equipe não se reúne desde fevereiro em virtude da pandemia do coronavírus (Covid-19). Mas, certamente, estará na próxima convocação.

JUDE BELLINGHAM
Meia
17 anos
Inglês
Borussia Dortmund (ALE)

Bellingham - Divulgação/Borussia Dortmund - Divulgação/Borussia Dortmund
Imagem: Divulgação/Borussia Dortmund

Reyna não é o único adolescente que tem sido titular do Dortmund neste início de temporada. Um pouco mais atrás do norte-americano, logo à frente da linha de defesa, joga o inglês Jude Bellingham. Destaque do Birmingham em 2019/20, o meio-campista chegou a ter um forte namoro com o Manchester United, mas acabou optando por construir sua carreira na Alemanha. Para ter Bellingham, o Borussia Dortmund precisou gastar 23 milhões de euros (R$ 150,4 milhões), o que fez do camisa 22 o menor mais caro da história do futebol mundial (outros, como Vinícius Júnior, já protagonizaram transferências maiores, mas elas só foram oficialmente completadas depois do 18º aniversário do atleta).

PEDRI
Meia-atacante
17 anos
Espanhol
Barcelona (ESP)

Pedri - Josep LAGO / AFP - Josep LAGO / AFP
Imagem: Josep LAGO / AFP

Assim como o Dortmund, o Barcelona é outro clube da prateleira de cima do futebol europeu que tem botado a molecada para jogar nesta temporada. Pedri é até mais novo que Ansu Fati e só vai completar 18 anos no final de novembro. Ao contrário do habilidoso ponta, ele não é cria de La Masia, mas sim foi contratado do Las Palmas na última janela de transferências. Baixinho (tem só 1,74 m), o espanhol vem entrando no segundo tempo de todas as partidas do Barcelona e normalmente tem feito exatamente a mesma função de Philippe Coutinho, a de terceiro homem de meio-campo.

RAYAN CHERKI
Meia-atacante
17 anos
Francês
Lyon (FRA)

Cherki - Christian Hartmann/REUTERS - Christian Hartmann/REUTERS
Imagem: Christian Hartmann/REUTERS

Fruto de uma das categorias de base mais produtivas da Europa, a do Lyon, o meia-atacante de origem argelina vem acumulando um recorde atrás dos outros nesses primeiros meses de carreira como profissional. Em outubro de 2019, ele se tornou o primeiro jogador nascido em 2003 a disputar um jogo da elite do Campeonato Francês. Em agosto, dois dias depois do seu 17º aniversário, participou da partida contra o Bayern de Munique e virou o jogador mais jovem da história a jogar uma semifinal de Liga dos Campeões. Cherki ainda não é titular do Lyon, mas é uma mera questão de tempo para que ele assuma um lugar entre os 11 e até mesmo o protagonismo do time.

FLORIAN WIRTZ
Meia-atacante
17 anos
Alemão
Bayer Leverkusen (ALE)

Florian Wirtz (Bayer Leverkusen) - Divulgação/Bundesliga - Divulgação/Bundesliga
Imagem: Divulgação/Bundesliga

Tratado pelo Leverkusen como o substituto perfeito para Kai Havertz, que foi negociado com o Chelsea na última janela de transferências, o garoto já quebrou o recorde de precocidade do hoje astro da seleção alemã e é o jogador mais jovem da história do clube a disputar uma partida do Campeonato Alemão (17 anos e 126 dias). Em toda a história da Bundesliga, aliás, apenas dois atletas eram mais novos do que ele quando tiveram a oportunidade de estrear na competição. Curiosamente, Wirtz tem pouco tempo de Leverkusen. Até o fim do ano passado, ele atuava nas categorias de base do Colônia. Em janeiro, foi contratado pela nova equipe. Quatro meses depois, já estreou como profissional. E, desde o começo desta temporada, foi fixado como titular.