PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Seleção dos mais caros da América do Sul tem mais Argentina que Brasil

Gabigol, do Flamengo, é o atacante da seleção dos mais valiosos do futebol sul-americano - Thiago Ribeiro/AGIF
Gabigol, do Flamengo, é o atacante da seleção dos mais valiosos do futebol sul-americano Imagem: Thiago Ribeiro/AGIF
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

17/04/2020 04h00

Classificação e Jogos

A seleção dos jogadores mais valiosos que atuam no futebol da América do Sul na atualidade é mais argentina que brasileira.

De acordo com levantamento feito pelo "Transfermakt", site especializado na cobertura do Mercado da Bola, essa equipe ideal do continente da Libertadores vale 151,5 milhões de euros (R$ 863,5 milhões), conta com sete compatriotas de Lionel Messi e apenas cinco conterrâneos de Neymar.

Completa a relação um lateral esquerdo paraguaio, Santiago Arzamendía, que defende o Cerro Porteño.

Sim, essa seleção não tem somente 11 jogadores, mas sim 13. Isso porque houve empate em duas posições.

Na lateral esquerda, Arzamendía vale os mesmos 8 milhões de euros (R$ 45,6 milhões) do argentino Facundo Medina, do Talleres. Já no meio-campo, o flamenguista Gerson e Agustín Almendra, do Boca Juniors, têm preço estimado em 11 milhões de euros (R$ 62,7 milhões).

O setor defensivo do time dos mais caros da América do Sul em 2020 é praticamente todo o argentino. O goleiro é do Boca (Esteban Adrada). O lateral direito (Gonzalo Montiel) e um dos zagueiros (Lucas Martínez Quarta) são do River Plate. O outro beque central (Marcos Rojo) defende o Estudiantes. E há ainda o empate já citado acima do lado esquerdo.

Do meio para frente, por outro lado, os brasileiros predominam. Além de Gerson, há dois jogadores do Grêmio (Matheus Henrique e Éverton), mais um do Flamengo (Gabriel Barbosa, o Gabigol) e o palmeirense Gabriel Veron.

Os únicos intrusos são Almendra, que divide posição com Gerson, e o também argentino Matías Zaracho, do Racing, que vale 15,5 milhões de euros (R$ 88,3 milhões) e é o sul-americano mais caro na posição de camisa 10.

Curiosamente, apesar de ser minoria, o Brasil tem os quatro jogadores mais valiosos dessa seleção. Éverton é o jogador mais caro da América do Sul, com preço estimado de 28 milhões de euros (R$ 160 milhões). Matheus Henrique, Gabigol e Gabriel Veron também ficam acima dos 17 milhões de euros (R$ 97 milhões).

Outro dado que chama a atenção é que, ao contrário do que aconteceu com o time dos jogadores que ainda atuam na América do Sul, o futebol brasileiro é hegemônico na equipe dos sul-americanos mais caros que estão no exterior.

Nessa relação, apresentada pelo "Blog do Rafael Reis" na semana passada, há sete representantes do país pentacampeão mundial, dois argentinos e dois uruguaios.

A seleção dos mais caros da América do Sul

G - Esteban Andrada (ARG, Boca Juniors) - 8 milhões de euros
LD - Gonzalo Montiel (ARG, River Plate) - 8 milhões de euros
Z - Lucas Martínez Quarta (ARG, River Plate) - 10 milhões de euros
Z - Marcos Rojo (ARG, Estudiantes) - 8 milhões de euros
LE - Santiago Arzamendía (PAR, Cerro Porteño) ou Facundo Medina (ARG, Talleres) - 4,5 milhões de euros
MC - Matheus Henrique (BRA, Grêmio) - 17,5 milhões de euros
MC - Gerson (BRA, Flamengo) ou Agustín Almendra (ARG, Boca Juniors) - 11 milhões de euros
MAD - Gabriel Verón (BRA, Palmeiras) - 22,5 milhões de euros
MAC - Matías Zaracho (ARG, Racing) - 15,5 milhões de euros
MAE - Éverton (BRA, Grêmio) - 28 milhões de euros
A - Gabriel Barbosa (BRA, Flamengo) - 18,5 milhões de euros

Fonte: Transfermarkt

Rafael Reis