PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Com Pelé e CR7, conheça os 10 maiores artilheiros da história das seleções

Pelé com coroa de rei em jogo no estádio do Morumbi em 1971, pela seleção brasileira - Folhapress
Pelé com coroa de rei em jogo no estádio do Morumbi em 1971, pela seleção brasileira Imagem: Folhapress
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

08/04/2020 04h00

Ao longo de 18 anos de carreira como profissional, Cristiano Ronaldo já conquistou quase tudo que era possível. O astro venceu cinco edições da Liga dos Campeões, ganhou os dois primeiros títulos da história de Portugal, foi eleito o melhor jogador do mundo em cinco oportunidades e se tornou o artilheiro máximo da Champions e do Real Madrid.

Mas há um recorde que o camisa 7 mais famoso da atualidade ainda não conseguiu bater e que já está bem posicionado em sua alça de mira.

Com 99 gols marcados em 164 partidas disputadas com a camisa portuguesa, o craque da Juventus está a dez tentos de se tornar o maior goleador do futebol de seleções em todos os tempos.

O atual recordista é o iraniano Ali Daei, que meteu 109 bolas nas redes entre 1993 e 2006. Ex-atacante com passagens por Bayern de Munique e Hertha Berlim, ele disputou duas Copas do Mundo (1998 e 2006) e foi eleito o craque da Ásia em 1999.

Os jogadores asiáticos, aliás, são maioria absoluta no top 10 dos artilheiros máximos da história das seleções.

Seis dos dez primeiros colocados do ranking vêm do continente oriental. Além de Ali Daei, aparecem na parte de cima da tabela o japonês Kunishige Kakamoto (quarto), o iraquiano Hussein Saeed e o malaio Zainal Abidin Hassan (que dividem a sexta colocação), o kuwaitiano Bushar Abdullah (nono) e o indiano Sunil Chhetri (décimo).

A lista tem ainda dois europeus (o húngaro Ferenc Puskás, terceiro colocado, logo atrás de CR7), um africano (Godfrey Chitalu, quinto, que defendia Zâmbia) e um sul-americano: Pelé.

O Rei do Futebol aparece na oitava colocação no ranking, com 77 gols. Há quem considere que ele marcou 95 vezes pela seleção brasileira, mas essa marca levaria em conta também jogos não-oficiais (festivos ou treinos), contra clubes e combinados de estados ou cidades.

Dos dez maiores artilheiros da história das seleções, apenas dois continuam em atividade. Um é Cristiano Ronaldo, que tem 35 anos e ainda nem fala em parar de defender Portugal. O outro é Chhetri, ídolo na Índia, que tem a mesma idade de CR7 e também evita falar em aposentadoria.

Dentre os jogadores que continuam defendendo seus países nos gramados, o argentino Lionel Messi ocupa a 15ª colocação, com 70 gols, e o polonês Robert Lewandowski divide o 23º lugar com Neymar, com 61 tentos.

Entre Pelé e Neymar, há ainda mais um brasileiro: Ronaldo, que marcou 62 vezes com a amarelinha, e ocupa o 21º lugar no ranking, junto com o sueco Zlatan Ibrahimovic, já aposentado de sua seleção.

MAIORES ARTILHEIROS DA HISTÓRIA DAS SELEÇÕES*

1 - Ali Daei (Irã, de 1993 a 2006) - 109 gols
2 - Cristiano Ronaldo (Portugal, desde 2003) - 99
3 - Ferenc Puskás (Hungria, de 1945 a 1956) - 84
4 - Kunishige Kamamoto (Japão, de 1964 a 1977) - 80
5 - Godfrey Chitalu (Zâmbia, de 1968 a 1980) - 79
6 - Hussein Saeed (Iraque, de 1976 a 1990) - 78
Zainal Abidin Hassan (Malásia, de 1984 a 1996) - 78
8 - Pelé (Brasil, de 1957 a 1971) - 77
9 - Bashar Abdullah (Kuwait, de 1996 a 2007) - 75
10 - Sunil Chhetri (Índia, desde 2005) - 72

*Apenas gols em partidas oficiais, ou seja, contra outras seleções principais. Pelé ainda marcou outras 18 vezes com a amarelinha em amistosos contra combinados estaduais ou clubes.

Rafael Reis