PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Por que inglês vale 60% mais que Haaland e deve brilhar na próxima janela?

Jadon Sancho, do Borussia Dortmund, promete ser um dos astros da próxima janela de transferências - Joachim Bywaletz/Xinhua
Jadon Sancho, do Borussia Dortmund, promete ser um dos astros da próxima janela de transferências Imagem: Joachim Bywaletz/Xinhua
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

31/03/2020 04h00

Classificação e Jogos

Erling Haaland é uma das sensações do futebol europeu nesta temporada. Aos 19 anos, marcou dez vezes em sua edição de estreia na Liga dos Campeões e é o vice-artilheiro do torneio interclubes mais importante do planeta.

Só que há, dento do elenco do próprio Borussia Dortmund, um outro garoto que vale ainda mais que o centroavante norueguês e que promete ser a estrela da próxima janela de transferências no Velho Continente.

Apenas nas últimas semanas, Jadon Sancho apareceu na imprensa europeia como possível reforço de Real Madrid, Barcelona, Liverpool, Manchester United e Chelsea. Bayern de Munique e Manchester City também já foram apontados, em outros momentos, como candidatos a contratá-lo.

Mas por que será que esse garoto inglês de apenas 20 anos e nem três temporadas completas atuando no meio dos adultos está na lista de compras de praticamente todos os clubes do primeiro escalão do futebol mundial?

A resposta é simples: Sancho é uma máquina de abrir defesas adversárias e, principalmente, de criar gols.

Da temporada passada para a atual, o camisa 7 participou diretamente de nada menos que 68 jogadas que terminaram com a bola dentro das redes. Foram 30 gols anotados por ele menos e mais 38 assistências. Tudo isso em apenas 78 partidas e com idade de quem ainda está começando na carreira.

Para se ter uma ideia, no mesmo período, Cristiano Ronaldo produziu 67 gols, e Neymar 64. Sim, são só os jogadores desse nível que servem como comparação para Sancho.

Na atual temporada, o inglês tem até mais assistências que Lionel Messi, o tradicional "garçom" número um da Europa: 19, contra 16. Nesse quesito, apenas o belga Kevin de Bruyne (Manchester City), consegue deixá-lo para trás em 2019/2020, com 20 passes perfeitos.

É por isso que, mesmo um cenário de crise econômica provocado pelo novo coronavírus (covid-19) e pelo isolamento social necessário para combatê-lo, o Dortmund espera faturar algo em torno de 130 milhões de euros (R$ 740 milhões) pelo meia-atacante.

De acordo com estimativa do "Transfermarkt", site especializado na cobertura do Mercado da Bola, é esse o valor do jovem astro inglês, 62,5% mais que a avaliação de 80 milhões de euros (R$ 455,2 milhões) de Haaland, seu também badalado companheiro no time alemão.

"Originalmente, antes do início dessa pandemia que estamos enfrentando, nossa vontade era que Sancho permanecesse no clube. Mas, no fim das contas, temos que aceitar a preferência do jogador", afirmou o CEO do clube, Hans-Joachim Watzke, em entrevista ao jornal "Bild".

Antes da parada da temporada 2019/2020 em virtude da pandemia do coronavírus, o Dortmund ocupava a vice-liderança do Campeonato Alemão, com 51 pontos, quatro a menos que o Bayern de Munique.

Na Champions, a equipe aurinegra foi eliminada nas oitavas de final pelo Paris Saint-Germain: venceu por 2 a 1 em casa, mas acabou derrotada por 2 a 0 no jogo de volta, na capital francesa.

Rafael Reis