PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Por onde andam os últimos vencedores do prêmio de craque da Copa do Mundo?

Oliver Kahn é ídolo do Bayern de Munique e foi eleito o craque da Copa-2002 - Jan Pitman/AP
Oliver Kahn é ídolo do Bayern de Munique e foi eleito o craque da Copa-2002 Imagem: Jan Pitman/AP
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

30/03/2020 04h00

Ser eleito o melhor jogador de uma Copa do Mundo, a competição mais importante do calendário quadrienal do futebol, é um feito enorme para a carreira de um atleta e algo que vários dos maiores nomes da história da modalidade jamais conseguiram.

Mas será que você se lembra de todo mundo que venceu a Bola de Ouro nos cinco Mundiais disputados neste século? E, melhor ainda, o que será que cada um deles anda fazendo da vida atualmente?

O "Blog do Rafael Reis" mostra abaixo os paradeiros dos craques dessas últimas cinco edições da Copa do Mundo. Curiosamente, nenhum deles saiu da competição em que foi eleito também com o troféu de campeão mundial.

OLIVER KAHN
Ex-goleiro
50 anos
Alemão
Melhor da Copa-2002

O ex-goleiro se beneficiou do fato de a eleição de melhor jogador da Copa-2002 ter acontecido antes da decisão, já que falhou feio na final contra o Brasil e viu a Alemanha ficar com o vice-campeonato. Kahn é tão ídolo no Bayern de Munique, onde atuou durante 14 anos, que assumirá a presidência do conselho diretivo do clube em janeiro de 2022. Enquanto isso não acontece, ele vem passando por uma espécie estágio na diretoria da equipe bávara e sendo treinado por Karl-Heinz Rummenigge, também ex-jogador de sucesso do Bayern, para sucedê-lo no cargo.

ZINÉDINE ZIDANE
Ex-meia
47 anos
Francês
Melhor da Copa-2006

Apesar de ter se despedido do Mundial (e da carreira de jogador profissional) com uma cabeçada no peito de Marco Materazzi, um cartão vermelho e a derrota nos pênaltis para a Itália na decisão, o meia francês acabou eleito o craque da competição. Quase 15 anos depois do episódio mais marcante da sua trajetória nos gramados, Zidane está hoje sentado no banco de reservas do clube onde viveu seus melhores dias, o Real Madrid. O francês está em sua segunda passagem como treinador da equipe merengue. Na primeira, de 2016 a 2018, faturou o tricampeonato da Liga dos Campeões. Já na atual, só faturou uma Supercopa da Espanha até o momento.

DIEGO FORLÁN
Ex-atacante
40 anos
Uruguaio
Melhor da Copa-2010

Joern Pollex/Getty Images
Imagem: Joern Pollex/Getty Images

Único jogador que foi eleito craque de uma Copa do Mundo neste século sem ter sido ao menos finalista dela, Forlán marcou cinco gols em 2010 e ajudou o Uruguai a terminar a competição na quarta colocação, um feito histórico para uma seleção que andava em baixa no cenário internacional. Depois de uma carreira que incluiu passagem até pelo Brasil, onde defendeu o Inter, Forlán está estreando como técnico nesta temporada. Ele dirige o Peñarol, um dos gigantes do futebol uruguaio.

LIONEL MESSI
Meia-atacante
32 anos
Argentino
Melhor da Copa-2014

Uma das maiores frustrações da carreira do camisa 10 é não ter conseguido acabar com o jejum de 27 anos sem títulos da seleção argentina principal. Em 2014, porém, a seca ficou perto de acabar. Messi levou a equipe sul-americana ao vice-campeonato mundial e acabou recompensado com a Bola de Ouro da competição, ainda que o próprio presidente da Fifa na época, o suíço Joseph Blatter, tenha questionado a decisão. Agora aos 32 anos, o astro segue em atividade no Barcelona e possivelmente terá no Qatar-2022 sua última oportunidade de lutar por uma Copa do Mundo.

LUKA MODRIC
Meia
34 anos
Croata
Melhor da Copa-2018

O último craque de uma Copa conseguiu o posto depois de colocar a Croácia pela primeira vez na decisão de um Mundial (acabou derrotada por 4 a 2 pela França). Menos de dois anos depois da Rússia-2018, Modric está longe de ter um papel de protagonista no Real Madrid. Apesar de ainda vestir a camisa 10 do clube merengue, o croata já não é mais titular em todos os jogos importantes e vive aparecendo em rumores de que estaria em busca de um novo clube para dar sequência à carreira.

Rafael Reis