PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Haaland já foi recusado pelo Barça, mas hoje tem tantos gols quanto o clube

Haaland comemora um dos seus gols na vitória do Dortmund sobre o PSG - DeFodi Images/Colaborador
Haaland comemora um dos seus gols na vitória do Dortmund sobre o PSG Imagem: DeFodi Images/Colaborador
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

11/03/2020 04h00

Classificação e Jogos

Lionel Messi, Luis Suárez, Antoine Griezmann, Arturo Vidal e Ousmane Dembélé. Na Liga dos Campeões 2019/2020, Erling Haaland é igual à soma desses (e de todos os outros) astros do elenco do Barcelona.

Principal atração do Borussia Dortmund, que visita o Paris Saint-Germain hoje (11), no jogo de volta das oitavas de final da Champions, o centroavante norueguês tem, sozinho, o mesmo número de gols do badalado clube catalão na competição.

O garoto de 19 anos é vice-artilheiro do torneio continental, com dez gols em nove partidas, exatamente a mesma marca que o Barça alcançou nos seus compromissos da fase de grupo e na abertura dos playoffs decisivos.

Haaland, que só está atrás de Robert Lewandowski, do Bayern de Munique, na briga pelo posto de goleador da temporada, marcou oito vezes pelo Red Bull Salzburg na etapa anterior da disputa e fez os dois gols da vitória por 2 a 1 do Dortmund sobre o PSG, na abertura das oitavas.

Já o Barcelona balançou as redes quatro vezes contra a Inter de Milão, três ante o próprio Borussia, duas nos encontros com o Sparta Praga e uma no primeiro jogo dos mata-matas, em que enfrentou o Napoli.

O curioso é que o fenômeno teen, que hoje tem tantos gols quanto o Barça na Champions, poderia tranquilamente estar disputando a competição ao lado de Messi e aumentando o poderio ofensivo dos catalães.

No segundo semestre de 2018, quando ainda atuava na Noruega, Haaland foi oferecido ao clube espanhol, que precisava de um novo atacante para ficar na reserva de Suárez.

De acordo com os jornais "As" e "Sport", o negócio não saiu devido a dois entraves. O primeiro era financeiro. O segundo é que a diretoria do Barcelona não acreditava que o artilheiro tinha o perfil necessário para atuar na equipe.

Em um português mais claro: os comandantes culés acharam Haaland "grosso demais" para o estilo de jogo empregado por Messi e companhia e queriam um centroavante com menos jeito de centroavante para completar o elenco.

O escolhido para ficar com a vaga foi o ganês Kevin-Prince Boateng, originalmente um homem de meio-campo, que ficou só seis meses na Catalunha, disputou míseras quatro partidas, não fez sequer um golzinho e hoje defende o Besiktas, da Turquia.

"Desde pequeno, eu sabia que seria capaz de atuar nesse nível. Eu sempre soube que poderia fazer a diferença e também sei que serei capaz de fazer ainda mais no futuro. Tento trabalhar o máximo possível para me tornar o melhor jogador de futebol do mundo", disse Haaland, que vive um raro jejum de duas partidas sem marcar, em entrevista à revista "France Football".

Após vencer o encontro de três semanas atrás, o Dortmund só precisa de um empate para alcançar as quartas de final da Champions. Se perder por um gol de diferença, desde que marque ao menos duas vezes, o clube também leva a vaga para a Alemanha.

A partida de hoje, no Parc des Princes, não contará com a presença de torcedores. Devido ao aumento no número de casos da epidemia do novo coronavírus na França, a prefeitura de Paris decidiu que o jogo será disputado com portões fechados.

Nesta temporada, a decisão do torneio interclubes mais badalado do planeta está marcada para o dia 30 de maio e será disputada no estádio Olímpico Atatürk, em Istambul, na Turquia.

Rafael Reis