PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Rafael Reis


Será que o Liverpool já tem lugar entre os melhores times da história?

Roberto Firmino é um dos principais jogadores do Liverpool - Matthew Childs/Action Images via Reuters
Roberto Firmino é um dos principais jogadores do Liverpool Imagem: Matthew Childs/Action Images via Reuters
Rafael Reis

Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina e mestre em comunicação pela Fundação Cásper Líbero, foi repórter da Folha de S. Paulo por nove anos e mantém um blog sobre futebol internacional no UOL desde 2015.

14/02/2020 04h20

Classificação e Jogos

O Liverpool da temporada 2019/2020 conquistou até o momento 73 dos 75 pontos que disputou no Campeonato Inglês, a liga nacional de maior nível técnico do planeta. Além disso, não perde um jogo válido pela competição desde janeiro do ano passado. E a última derrota em Anfield foi lá em setembro de 2018.

Os dados acima atestam duas verdades quase que irrefutáveis: os Reds conquistarão pela primeira vez o título da Premier League e também são, com folga, o melhor time do planeta na atualidade.

A dúvida é outra: por que praticamente ninguém ainda está levantando a hipótese de a equipe de Jürgen Klopp merecer um lugar dentre as mais poderosas da história do futebol?

O Liverpool é o atual campeão europeu e está construindo na atual temporada uma campanha que, pelo menos nos tempos modernos, nenhum campeonato nacional minimamente relevante jamais viu.

Mesmo Juventus, Paris Saint-Germain e Bayern de Munique, que são hegemônicos em ligas que não têm se destacado nos últimos anos pelo equilíbrio, não passaram perto de campanhas desse porte.

O melhor aproveitamento que o PSG conseguiu até hoje foi de 84,2%, em 2015/2016. O Bayern chegou a 89,2% (2012/2013) e a Juve foi um pouquinho mais longe: 89,5% (2013/2014). Nada que se compare aos 97,3% atuais dos Reds.

O Barcelona da "era Guardiola", talvez o último time a entrar para o rol dos grandes da história, tampouco atingiu esse nível de domínio. Seu auge de desempenho no Espanhol foi na temporada 2009/2010, quando se sagrou campeão nacional com 86,8% dos pontos ganhos.

Assim como aquela equipe de Lionel Messi, Andrés Iniesta e Xavi, o Liverpool atual também apresenta um futebol revolucionário (em seus melhores dias, mostra um nível de intensidade que certamente vai influenciar as próximas gerações) e tem aquela mágica que agrada os olhos mais críticos.

Talento também não falta aos comandados de Klopp. Pelo menos Alisson, Trent Alexander-Arnold, Virgil van Dijk, Andrew Robertson, Jordan Henderson, Mohamed Salah, Roberto Firmino e Sadio Mané estão entre os melhores jogadores do mundo em suas posições.

Talvez seja mesmo apenas uma questão de tempo, e os Reds fiquem eternizados como um dos grandes de todos os tempos se mantiverem o ritmo atual no Inglês e conquistarem mais um título da Liga dos Campeões. Pode ser...

De qualquer forma, é urgente que a gente comece a pensar que estamos vendo a história ser escrita... E com tinta vermelha da camisa que mais tem encantado os fãs desse esporte chamado futebol.

Depois de folgar no último fim de semana (novidade do calendário da Inglaterra para esta temporada), o Liverpool visita amanhã o Norwich, que é lanterna da competição e só conquistou 18 pontos até o momento.

Na terça-feira, o melhor time do planeta tem um compromisso bem mais complicado: o Atlético de Madri, na Espanha, no confronto de ida das oitavas de final da Champions.

Rafael Reis