PUBLICIDADE
Topo

Oscar Roberto Godói

Nem sempre VAR é esclarecedor. Pelas imagens, foi falta de Mané em Rafinha

Rafinha disputa bola com Alex Oxlade-Chamberlain durante a final do Mundial de Clubes - Ibraheem Al Omari/Reuters
Rafinha disputa bola com Alex Oxlade-Chamberlain durante a final do Mundial de Clubes Imagem: Ibraheem Al Omari/Reuters
Oscar Roberto Godói

Jornalista e ex-árbitro, esteve sob a chancela da Fifa de 1993 a 2000.

23/12/2019 13h15

Tanto lá como cá, a tecnologia do VAR nem sempre mostra claramente qual a decisão correta a ser tomada. Na vitória do Liverpool sobre o Flamengo, pela decisão do Mundial de Clubes, o árbitro demorou quase cinco minutos para anular o pênalti que havia marcado inicialmente a favor do time inglês.

Pelas imagens, não foi possível ver com nitidez se o contato entre Rafinha e Mané aconteceu dentro ou fora da área, nem se o jogador do Flamengo tocou ou não a bola antes de ser chutado pelo atacante do time inglês.

Após consultar o monitor do VAR, o árbitro anulou o pênalti marcado e reiniciou o jogo com bola ao chão para o goleiro Diego Alves, do Flamengo, decisão final que deixou muita gente sem entender o que ele interpretou.

Interpretando o lance apenas pelas imagens, optaria por marcar falta de Mané em Rafinha. A ação do lateral do Flamengo foi tentar acertar a bola, e ele foi atingido com um chute do atacante do Liverpool.

Ao anular o pênalti, o árbitro entendeu que não houve falta alguma do defensor e, reiniciando o jogo com bola ao chão para o goleiro do Flamengo, interpretou que também não teve falta do atacante. Como a bola estava na área quando o jogo foi interrompido, o jogo foi reiniciado com posse para equipe defensora.

Embora a Fifa tenha escalado um árbitro sem experiencia e competência para uma final de Mundial de Clubes, selecionando um profissional do Qatar, foi montada uma equipe mais qualificada cuidando do VAR.

O que ficou bem claro no jogo é que nem sempre as imagens e a tecnologia manipulada pelo ser humano são esclarecedoras. Assim sendo, as discussões continuarão alimentando o pós-futebol. Ainda bem que o resultado final, 1 a 0 para o Liverpool, amenizou as broncas inglesas.

Então, vamos curtir o período natalino lembrando mais do que a data significa e menos nos erros dos árbitros que possam ter ajudado ou prejudicado sua equipe.

Vamos orar e pedir perdão pelos pecados que cometemos, principalmente com a mãe do árbitro.

Assista aos melhores momentos de Liverpool 1 x 0 Flamengo

UOL Esporte

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Oscar Roberto Godói