Topo

Coluna

Oscar Roberto Godói


Técnicos tiveram de engolir críticas a árbitros na reta final do Brasileiro

Rogério Ceni observa partida entre Corinthians e Fortaleza - Bruno Ulivieri/AGIF
Rogério Ceni observa partida entre Corinthians e Fortaleza Imagem: Bruno Ulivieri/AGIF
Oscar Roberto Godói

Jornalista e ex-árbitro, esteve sob a chancela da Fifa de 1993 a 2000.

02/12/2019 13h11

A reta final do Brasileirão está servindo para que alguns treinadores engulam o que andaram externando pós resultados negativos. Rogério Ceni já garantiu o Fortaleza na Sul-americana e ainda tem chances de chegar na Libertadores.

Ao se livrar do rebaixamento e ainda conseguir uma vaga para o clube nordestino em competição internacional pela primeira vez, será que Ceni continua pensando que há discriminação da CBF e dos árbitros contra os clubes "pequenos" e com pouca força nos bastidores do futebol?

Aliás, no jogo do meio da semana entre Fortaleza x Santos, tivemos, coincidentemente, as bolas sendo descalibradas como aconteceu algumas vezes no Morumbi em jogo do São Paulo do goleiro Rogério Ceni. Lamentável!

Outro treinador que gosta de transferir para a arbitragem o insucesso momentâneo é Mano Menezes, demitido do Palmeiras, por incompetência. Teria sido por culpa do VAR?

As decisões com apoio da tecnologia foram acertadas nos jogos do fim de semana. No jogo Avaí x Fluminense o árbitro Daniel Bins acertou em não marcar pênalti para o Avaí quando a bola tocou no braço, que estava no chão, do zagueiro do Flu.

A marcação do pênalti que possibilitou o empate em 1 a 1 foi correto, e a repetição da cobrança também, já que o goleiro do Flu, Marcos Felipe, avançou com os dois pés. Porém, na segunda cobrança, tivemos invasão da área por jogadores do Avaí, e o árbitro não teve coragem de mandar cobrar de novo. O VAR não pode interferir na invasão.

O Palmeiras perdeu para o Flamengo por 3 a 1 e reclama de um pênalti de Rodolpho em Dudu. O árbitro Ricardo Marques acertou em não marcar. O gol de Arrascaeta, 1 a 0, foi confirmado corretamente pelo VAR.

A tecnologia também precisou intervir, acertadamente, no jogo do Atlético-MG contra o Corinthians, anulando um gol de cada equipe por impedimento.

Lamentável a decisão do árbitro Marcelo Ribeiro em expulsar Vitinho do Atlhetico no jogo contra o Ceará. Ele foi agredido e ainda recebeu o cartão amarelo. Mesmo assim, o Ceará não conseguiu vencer o jogo que terminou empatado em 1 a 1.

Marcelo Ribeiro, Marcelo Ribeiro!

Oscar Roberto Godói