PUBLICIDADE
Topo

Olhar Olímpico

ANÁLISE

Texto baseado no relato de acontecimentos, mas contextualizado a partir do conhecimento do jornalista sobre o tema; pode incluir interpretações do jornalista sobre os fatos.

Prata olímpica, Adriana Behar será CEO da Confederação de Vôlei

Adriana Behar - Alexandre Castello Branco/COB
Adriana Behar Imagem: Alexandre Castello Branco/COB
Demétrio Vecchioli

Demétrio Vecchioli, jornalista nascido em São Roque (SP), é graduado e pós-graduado pela Faculdade Cásper Líbero. Começou na Rádio Gazeta, foi repórter na Agência Estado e no Estadão. Dedicado à cobertura de esportes olímpicos, escreveu para o UOL, para a revista Istoé 2016, foi colunista da Rádio Estadão e, antes do Olhar Olímpico, manteve o blog Olimpílulas. Neste espaço, olha para os protagonistas e os palcos do esporte olímpico. No Olhar Olímpico têm destaque tanto os grandes atletas quanto as grandes histórias. O olhar também está sobre os agentes públicos e os dirigentes esportivos, fiscalizados com lupa. Se você tem críticas, elogios e principalmente sugestões de pautas, escreva para demetrio.prado@gmail.com

03/02/2021 13h28

Depois do rúgbi, a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) também terá uma mulher no seu mais alto cargo executivo. Hoje (3) a entidade máxima do vôlei brasileiro anunciou que, a partir de 1º de março, a medalhista olímpica Adriana Behar será CEO da confederação, em substituição a Radames Lattari, que agora vai se dedicar ao cargo de vice-presidente, para o qual foi eleito no mês passado.

"Tenho certeza de que tenho pela frente um desafio enorme, para o qual me preparei nos últimos anos. Me sinto pronta para ser um dos vetores de transformação para ajudar o presidente Toroca e o Radamés Lattari no processo de modernização e reestruturação da CBV", disse Adriana Behar em declaração publicada no site da CBV.

Medalhista de prata em Sydney-2000 e Atenas-2004 no vôlei de praia, Behar, que está com 51 anos, construiu carreira sólida na diretoria de esportes do Comitê Olímpico do Brasil (COB) entre 2011 e 2018, chegando a ocupar o cargo de gerente-geral de planejamento esportivo. Ela foi desligada depois que Paulo Wanderley Teixeira chegou à presidência do COB.

Em seu site, a CBV exaltou que Behar é "a primeira ex-atleta e a primeira mulher a ocupar o principal cargo executivo de uma confederação popular no país", ainda que a CBRu, do rúgbi, também tenha uma mulher como CEO.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL