PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Bem nos grandes daqui, mal nos de lá: top 5 de quem decepcionou em Portugal

Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

05/05/2020 04h00

Como foi possível Gabigol não dar certo no Benfica? Tenho uma notícia: ele está longe de ter sido o único. Sim, Portugal é um destino teoricamente perfeito para brasileiros. Mesmo idioma, compreensão da cultura, inserido no futebol europeu, salários em euros, custo de vida mais baixo, clima e culinária agradáveis. Muitos triunfaram e triunfam no futebol português. Mas chega a ser surpreendente a quantidade de fracassos.

Definir os cinco que mais decepcionaram não foi fácil. Muita gente decepcionou. E aí o critério adotado, como sempre, subjetivo, passa pela expectativa que determinado jogador gerava ao chegar a Portugal. Gabigol, depois de fazer nada na Inter de Milão, já não despertava a mesma expectativa que geravam os caras da lista abaixo.

Caras que jogaram muita bola no Brasil, arrebentando em clubes grandes, como São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Grêmio, Fluminense e, quando vestiram a camisa dos grandes portugueses, não justificaram o investimento. Curioso que, ao saírem, os cinco da lista voltaram a jogar bem e serem os grandes jogadores que foram, uma razão a mais para considerar realmente decepcionante a passagem deles pela terrinha.

Baltazar, o "artilheiro de Deus", chegou ao Porto após a linda história no Grêmio e ser artilheiro na Espanha com as camisas do Celta e do Atlético de Madrid. Era jogador de seleção brasileira. Também decepcionou, poderia estar na lista.

No Benfica, Gabigol deu errado. Mas também deram errado Diego Souza, André Luís (zagueiro), Edcarlos, Keirrison, Alan Kardec, Cortês...

No Porto, deram errado Thiago Silva (ainda jovem, antes de voltar para o Flu), Diego (que só faria mais barulho na Alemanha), Léo Lima, Walter (lá chamado de "bigorna", pelo sobrepeso), Íbson...

No Sporting, Carlos Miguel chegou do Grêmio com status de craque. Mal jogou.

Isso sem contar os clubes menores. A lista é imensa. Mas o meu top 5 de jogadores que mais decepcionaram em Portugal ficou assim:

5- CASAGRANDE

Sou um grande fã de Casão e sua história de vida, mas é inegável que a passagem por Portugal poderia ter sido melhor. Chegou ao Porto após a Copa de 86, levando com ele muita esperança. O Porto seria campeão europeu pela primeira vez naquela mesma temporada, mas Casagrande perdeu muitos jogos por lesão e, anos mais tarde, admitiu que havia ingerido substâncias proibidas (doping) para melhorar o rendimento. A maior mancha de sua carreira, sem dúvida. Ao final da temporada, preferiu sair de Portugal e foi brilhar no Ascoli, da Itália.

roger e casao - Reprodução / TV Globo - Reprodução / TV Globo
Imagem: Reprodução / TV Globo

4- ROGER FLORES

Colega de Casão na TV Globo, Roger foi revelado pelo Fluminense e fez uma grande Copa João Havelange, no ano 2000, sendo convocado para a Olimpíada. O Benfica pagou 6 milhões de dólares por ele - na época, a maior transação para ambos os clubes - e havia alta expectativa pelo talentoso meia. Teve um retorno próximo do zero. À parte um brilhareco aqui e ali, Roger frequentou o departamento médico e transmitiu uma imagem de falta de compromisso. Foi emprestado duas vezes de volta ao Flu e foi reencontrar o futebol de alto nível ao chegar no Corinthians, em 2005.

top5 flops portugal luis fabiano - Etsuo Hara/Getty Images - Etsuo Hara/Getty Images
Imagem: Etsuo Hara/Getty Images

3- LUÍS FABIANO

O Fabuloso meteu gols por onde passou. Menos, no Porto. Depois de explodir no São Paulo e chegar à seleção brasileira, foi comprado pelo Porto em 2004 e fez somente três gols na temporada. Em 2005, iria ao Sevilla, onde se reencontrou e fez gols para todos os gostos. Em Portugal, no entanto, as coisas não funcionaram para Luís, em quem diretoria e torcida depositavam muitas esperanças. Talvez tenha faltado um pouco mais de tempo.

Sporting de Portugal confirma contratação e Elias faz carta de despedida do Corinthians "Eu sou e sempre serei Corinthians", escreveu Elias em seu Instagram - Divulgação/Sporting - Divulgação/Sporting
Imagem: Divulgação/Sporting

2- ELIAS

Entra aqui no alto da lista por ter sido simplesmente a contratação mais cara do Sporting. Aparece com destaque no Corinthians da reconstrução, o time de Tite e Ronaldo, e acaba vendido para o Atlético de Madrid. Não tem minutos e, pouco tempo depois, é contratado pelo Sporting por quase 9 milhões de euros e com uma cláusula de rescisão de 40. Jogou por apenas um ano e meio, não agradou e acabou emprestado para o Flamengo antes de voltar ao Corinthians. Ainda teve uma segunda chance no Sporting antes de desembarcar no Galo. Novamente, não agradou. Para um clube que está sempre correndo atrás de Benfica e Porto, Elias representou um gasto terrível para o que deu em troca.

top5 flops portugal paulo nunes - Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images - Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images
Imagem: Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images

1- PAULO NUNES

Entre os tantos que bateram e voltaram, é, possivelmente, o mais mal visto em Portugal. Paulo Nunes tem a imagem de indisciplinado e está em todas as listas de piores contratações do Benfica. Chegou com status. Afinal, o "diabo louro" havia sido campeão no Grêmio, Bola de Prata e integrante da seleção campeã da Copa América-97. Fez dois gols na estreia e depois mais nada, com direito a confusões extra-campo com colegas de time. Voltaria a se encontrar com Felipão em 98, no Palmeiras. Da dupla que brilhara intensamente no Grêmio, quem levou Jardel (o Porto), se deu bem. Quem levou Paulo Nunes, se deu mal.

Julio Gomes