PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Julio Gomes


Os cinco jogadores brasileiros que mais decepcionaram na Espanha

Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa - a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

30/04/2020 04h00

É difícil não criticar jogadores brasileiros que fracassaram no futebol espanhol. E é assim porque "La Liga" é simplesmente o melhor lugar da Europa para quem sai daqui. Clubes que competem em alto nível na Europa, idioma parecido, cultura de "paparico", festas, bom clima - com calor e pouco frio -, imprensa que muito mais cultua do que investiga ou incomoda, salários de primeiro escalão, gastronomia maravilhosa.

É difícil encontrar problemas para jogar bola na Espanha. Não à toa, foi atuando na Liga que quatro brasileiros se consagraram como melhores do mundo, e outros tantos triunfaram em alto nível - o blog já listou o top 5 de brasileiros mais importantes no futebol espanhol. O jogo é taticamente mais tranquilo do que o jogado na Itália, mais forte do que o que se encontra em Portugal e as exigências de comportamento dentro e fora do campo são menores do que na Inglaterra ou Alemanha.

Mas problemas aparecem, e caminhos não são trilhados como esperamos. Houve quem encontrasse pepinos, porque sempre há. E houve também quem descobrisse que talvez não fosse tão bom assim.

Renaldo e Rodrigo Fabri, por exemplo, chegaram à Espanha com números impressionantes no Brasil e após um ótimo Brasileiro-96 por Atlético-MG e Portuguesa, respectivamente. Renaldo foi mal no La Coruña, Rodrigo nem chegou a ter chances no Real Madrid. Ambos perambularam por times menores, ficaram alguns anos no país, mas sem passar nem perto de deixar alguma marca. Luisinho, ex-volante do Vasco e do Corinthians, chegou ao Celta em 1993 como uma estrela, cotado até para ir à Copa-94 com Parreira. Não jogou nada, e o time só perdeu com ele em campo. Roberto Dinamite passou pelo Barcelona rapidamente, sem conseguir ser o artilheiro que sempre foi. Esses são apenas alguns exemplos de nomes mais famosos para o público brasileiro.

Já fiz o top 5 dos que mais decepcionaram no futebol da Itália e na Alemanha. Chegou a hora do top 5 de brasileiros que mais decepcionaram no futebol espanhol.

5- VÍTOR

Na terra em que Roberto Carlos, Marcelo e Daniel Alves destruíram, houve um lateral brasileiro que chegou sob grande expectativa e não conseguiu fazer nada: Vítor. Lembram dele? Multicampeão com o São Paulo de Telê, "obrigou" Cafu a mudar de posição e acabou sendo um fracasso no Real Madrid. Não durou nem seis meses, atuou em apenas três jogos oficiais e voltou ao Brasil para continuar a carreira cheia de títulos com Libertadores por Cruzeiro e Vasco, Copa do Brasil pelo Corinthians.

Top5 flops espanha Viola - Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images - Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images
Imagem: Matthew Ashton/EMPICS via Getty Images

4- VIOLA (E MARCELINHO CARIOCA)

Aqui as histórias são tão parecidas que eu vou usar a licença poética para fazer uma adaptação no top 5. Viola já foi vendido pelo Corinthians ao Valencia a contra gosto. Mas voltar falando que não se adaptou ao "tempero" espanhol é brincadeira de mau gosto. Chegou para a temporada 95/96 com o tetracampeonato na bagagem e saiu da Espanha, rumo ao Palmeiras, reclamando da comida, da imprensa e dos "companheiros" de time. Uma decepção retumbante. Como o Valencia quis insistir no erro, levou Marcelinho Carioca em 97. Foi outro que voltou, mas para o próprio Corinthians, meses depois.

Top5 flops espanha Kaká - Kevork Djansezian/Getty Images - Kevork Djansezian/Getty Images
Imagem: Kevork Djansezian/Getty Images

3- KAKÁ

Kaká é um craque, o último brasileiro melhor do mundo. Mas este top 5 é da Espanha, não leva em conta o que ele fez na Itália, no São Paulo, na seleção... apenas o período de Real Madrid. Ele chega ao clube em 2009 por quase 70 milhões de euros, com o mesmíssimo status de Cristiano Ronaldo. Um galáctico. Quatro anos depois, voltou ao Milan por zero euros. A real é que a carreira de Kaká no Madrid foi marcada por lesões e falta de continuidade. Ele fez 120 jogos pelo clube e não se envolveu em polêmicas ou qualquer coisa do tipo. Mas, pela pompa com que chegou e pelos valores envolvidos, esperava-se de Kaká o futebol de um top mundial - não passou nem perto disso.

Top5 flops espanha Didi - ullstein bild/ullstein bild via Getty Images - ullstein bild/ullstein bild via Getty Images
Imagem: ullstein bild/ullstein bild via Getty Images

2- DIDI

Um dos grandes meio-campistas de nossa história, bicampeão do mundo em 58 e 62, Didi partiu para sua aventura europeia em 1959. Caiu em um super Real Madrid, com gente como Di Stéfano e Puskas e uma penca de títulos. Mal jogou e acusou um boicote por parte das outras estrelas. Este blogueiro entrevistou Di Stéfano antes de sua morte e nós falamos sobre Didi. Para "Don Alfredo", Didi nunca se adaptou ao jogo jogado na Espanha. Disse que não foi boicotado coisa nenhuma, simplesmente não jogou nada no Real Madrid.

Top5 flops Espanha Coutinho - GettyImages - GettyImages
Imagem: GettyImages

1- PHILIPPE COUTINHO

É verdade que, em 2012, Coutinho teve um bom período vestindo a camisa do Espanyol - estava emprestado pela Inter de Milão e acabaria despertando o interesse do Liverpool. Mas, depois da explosão na Inglaterra e de ter forçado a barra de forma antiética para ser vendido ao Barcelona, que pagou 160 milhões de euros, ele caiu. E muito. Coutinho tinha a obrigação de entregar muito mais do que entregou em uma temporada e meia no Barça, jogando ao lado de Messi e Suárez. Agora, virou um engodo. Está emprestado ao Bayern, onde também virou reserva, e vai ser difícil para os catalães recuperarem o investimento. Coutinho ainda pode voltar ao Barça, destruir e sair fora desta lista. Mas, por enquanto, nesta fotografia do momento, é o número um das decepções.

Julio Gomes