PUBLICIDADE
Topo

Danilo Lavieri

Palmeiras: COF aprova balancetes até junho com déficit de R$ 115 milhões

Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Imagem: Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Danilo Lavieri

Danilo Lavieri começou a carreira em 2008 e trabalha com futebol desde 2010. Já cobriu Copa, Olimpíada, escreveu a biografia do goleiro Marcos (Nunca Fui Santo) e ganhou prêmio de furo do ano da Aceesp em 2019.

Colunista do UOL

31/10/2020 17h56

O COF (Conselho de Orientação e Fiscalização) do Palmeiras aprovou ontem (30), por maioria de votos, os balancetes de maio e junho. O déficit até o meio do ano foi de aproximadamente R$ 115 milhões.

A conta aumentou praticamente R$ 35 milhões em dois meses. Na última reunião do mesmo órgão, os balancetes analisados iam até abril e o negativo estava próximo dos R$ 80 milhões como já havia mostrado o blog.

Por conta da queda de receitas com a pandemia e também por um 2019 com gastos acima do previsto, o Alviverde reestruturou o planejamento financeiro e tem feito mais vendas para poder cobrir esse déficit que só cresce.

Só com vendas do semestre atual o Palmeiras já conseguiu vender praticamente R$ 100 milhões. Essa receita ainda não foi contabilizada nos balancetes analisados pelo COF e só vai entrar nos meses da venda.

Em julho, por exemplo, o balancete poderá indicar uma parcela dos mais de R$ 40 milhões arrecadados com a venda de Dudu para o Al-Duhail.

Além desses números que não são contabilizados, o Palmeiras teve queda de arrecadação em setores importantes por conta da pandemia, como a bilheteria e o Avanti, por exemplo. Mesmo com a redução de 25% da folha salarial durante a paralisação, o déficit segue aumentando. Vale lembrar também que o time paulista não fez corte de funcionários em nenhum departamento durante a crise e não diminuiu salário.

Todos os clubes passam por dificuldades financeiras durante a pandemia. O levantamento feito por esse blog mostra que o prejuízo da Série A antes mesmo do término do primeiro turno já ultrapassa R$ 12 milhões. A bilheteria é uma receita importante para os clubes e ela inexiste neste momento.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.