PUBLICIDADE
Topo

Após troca de farpas, Ciro e Duvivier vão debater hoje

Ciro Gomes desafiou e Gregorio Duvivier aceitou debater - Montagem
Ciro Gomes desafiou e Gregorio Duvivier aceitou debater Imagem: Montagem

Do UOL, em São Paulo

19/05/2022 18h04

O pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) e o ator e humorista Gregorio Duvivier vão se encontrar em um debate hoje (20), após uma troca de farpas entre os dois. Recentemente, o apresentador fez um episódio de seu programa no qual pediu para os eleitores do pedetista votarem em Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no primeiro turno das eleições presidenciais.

O convite veio logo em seguida, e Gregorio aceitou. A expectativa de Ciro era que o encontro acontecesse na última terça-feira (17), mas o debate não aconteceu imediatamente, como explicado por eles, por questões de agenda.

Durante seu programa transmitido na HBO em 13 de maio, o humorista disse que seria preciso "salvar a democracia" elegendo o petista já no primeiro turno.

E aí sim, a gente vai ter a chance de fazer pressão pra, quem sabe, avançar naquilo que o Ciro tem de melhor, que é o Projeto Nacional de Desenvolvimento. E forçar que Lula comece a fazer o que o PT nunca fez enquanto esteve por mais de 12 anos no poder: taxar grandes fortunas, reindustrializar o Brasil, enfrentar o baronato rentista.
Gregorio Duvivier, apresentador e humorista

A resposta do presidenciável foi publicada no Twitter. Ciro garantiu ter se divertido com as piadas, e convidou Gregório para debater, de "microfone aberto, e com total paridade de armas".

Ciro rebate críticas e diz que Duvivier tem 'síndrome de Zelensky

Esta semana, o pré-candidato fez um vídeo em seu canal no YouTube reagindo ao programa de Gregório. A live durou quase uma hora.

Ciro criticou vários trechos, desmentiu afirmações, e chamou a referência à sua viagem a Paris em 2018 de "cortina de fumaça predileta dos petistas".

Ciro Gomes ainda comparou o humorista ao presidente da Ucrânia, ao dizer que ele está com "síndrome de Zelensky": "Mesmo conhecendo muito bem esse gênero [humor], eu não conheci essa certa variante, aliás, é mais que uma variante, é uma encarnação delirante de personagem, eu vou chamá-la, com respeito, de síndrome de Zelensky", comparou Ciro.

Já Duvivier disse que o pré-candidato o trata como um opositor político, já que "nenhum candidato quis debater com ele."

"Ciro agora me trata como um candidato, e ele precisa fazer isso porque nenhum candidato quis debater com ele. Cansado de falar sozinho, chama pra briga um comediante. É só triste, mesmo", afirmou o humorista ao UOL.