PUBLICIDADE
Topo

Di Grassi lança mundial de patinetes elétricos visando mobilidade urbana

Do UOL

Em São Paulo (SP)

07/07/2020 17h22

Campeão mundial de Fórmula E, o brasileiro Lucas di Grassi lançou nesta terça-feira uma nova categoria de esporte a motor: um mundial de patinetes elétricos. A iniciativa pretende incentivar a inovação na tecnologia da micromobilidade urbana. A ideia é utilizar equipamentos de alta performance para competir no coração das maiores cidades do mundo.

O "Electric Scooter Championship" correrá em pistas especialmente projetadas, e o primeiro evento está agendado para 2021. Os pilotos usarão patinetes capazes de atingir 100 km/h. O primeiro protótipo deve ser exibido ainda este ano.

A premissa é "oferecer soluções de mobilidade mais seguras, inteligentes e sustentáveis", de acordo com o comunicado do evento.

"Em cada cidade, o campeonato reunirá representantes governamentais, industriais e da sociedade civil para ajudar a definir políticas e práticas visando construir um cenário mais realista do futuro do transporte urbano."

"O calendário composto por diversas cidades mostrará como áreas densamente povoadas podem construir redes de vias protegidas nas quais patinetes e bicicletas comuns e elétricas poderão conviver tranquilamente e vai apresentar à população um cenário no qual as pessoas que geralmente passam horas presas nos congestionamentos urbanos poderão se deslocar mais livremente e com menor custo."

Outro alvo do novo campeonato mundial é tornar o esporte a motor mais acessível e sustentável, o que significa que a categoria poderá contar com uma grande diversidade de competidores, como "pilotos de carro e moto, ciclistas, skatistas, snowboarders e até mesmo pilotos de e-sports".

Além de Di Grassi (sócio e embaixador de sustentabilidade do eSC), estão envolvidos no campeonato o ex-piloto de Fórmula 1 Alexander Wurz (embaixador de segurança do eSC), Hrag Sarkissian (CEO do campeonato) e Khalil Beschir (diretor de operações).

Di Grassi, que também já foi piloto de Fórmula 1, afirmou que "este é o início de um verdadeiro e importante crescimento da micromobilidade dentro do esporte em todo o mundo".

"Como já vimos na Fórmula E, há um espaço considerável para a disrupção estrutural e tecnológica dentro do segmento elétrico - tanto dentro quanto fora da pista. E, na medida em que a micromobilidade avança, o Electric Scooter Championship está perfeitamente preparado para ampliar os benefícios de soluções de transporte limpas e sustentáveis no dia a dia das pessoas."