PUBLICIDADE

Topo

Conexão VivaBem

Movimento


Otaviano Costa diz que corpo sente estresse da pandemia: "Acordo cansado"

Do VivaBem, em São Paulo

24/08/2020 11h00

No Conexão VivaBem desta segunda-feira (24), Otaviano Costa revelou que seu corpo anda sentindo o estresse provocado pela pandemia do novo coronavírus. "Eu acordo cansado sem entender por quê", disse. "Só posso resumir ao estresse, a gente não pode sair".

Em dias assim, ele conta que se exercitar ajuda a relaxar. "Hoje acordei muito cansado e a primeira coisa que eu fiz foi descer para academia do condomínio, que está operando em um processo protocolar, por ondas de frequentadores. Então, já me fez bem, já mexi meu corpo, já fiz o que tinha para fazer e voltei melhor".

Durante os meses e isolamento, nem sempre foi assim, de acordo com o apresentador. "No início, não nos preocupamos muito com a gente, relaxamos na comilança, nos exercícios. Tentamos entender primeiro o que estava acontecendo aí fora", disse. Mas nos últimos dois meses, a família estabeleceu uma rotina. "Entendemos que a gente, agora, está no melhor estado possível, comparado ao início da pandemia. Mas foi desafiador e não é fácil, mesmo tendo todos os privilégios do mundo em termos de espaço, financeiro. A psicologia vem e te bate e seu corpo".

Pandemia do sedentarismo

Segundo o doutor em educação física Mauro Guiselini, há duas pandemias em curso: a do coronavírus e a do sedentarismo. Ele disse, entretanto, que o vírus talvez tenha feito com que as pessoas dessem importância ao exercício físico. "Muitas se deram conta, ouviram médicos, fisiologistas sobre a importância da imunidade alta. Elas talvez não davam muita atenção à saúde e ao exercício e passaram a pensar um pouquinho de forma diferente".

Guiselini disse que há um falso conceito de que é preciso treinar todos os dias para ter saúde. "Existe uma falsa ideia de que exercício é para quem é forte, bonito, bumbum na nuca, barriga tanquinho. Mas para quem é sedentário, movimentar-se por 15 ou 30 minutos já vai trazer benefícios", disse.

Segundo ele, apenas 5% da população no Brasil se exercitam regularmente. "É muito pouco. O Brasil tem hoje 20% da sua população de pessoas acima de 60 anos e essas pessoas estão frágeis". Ele salientou que se exercitar três vezes por semana entre 15 a 30 minutos em intensidade moderada trazr benefícios para o corpo e para a saúde.