PUBLICIDADE

Topo

Conexão VivaBem

Movimento


Cicarelli: "Você sentirá dor fazendo esporte ou não, então seja esportista"

Do VivaBem, em São Paulo

07/09/2020 11h00

No Conexão VivaBem desta segunda-feira (7), Daniella Cicarelli disse ser apaixonada por esporte e que, por mais que o exercício possa causar dores, ainda é melhor do que ser sedentário.

"Um monte de gente fala que não consegue correr porque dói o joelho, você tem que achar o esporte que se adapte a você. Há pessoas que não fazem esporte e sentem dor e tem pessoas que fazem esporte e que também sentem. Então, se vai sentir dor sendo esportista ou não, vá ser esportista", disse.

A apresentadora e triatleta contou que o esporte, para ela, é capaz de resolver problemas. "Se estiver com algum problema, vai treinar, caminhar, correr. Acho que o benefício do esporte para a cabeça às vezes é até maior do que para o corpo. É sensacional, às vezes eu estou com uma angústia, ansiosa por alguma coisa, eu treino e a hora que acaba eu falo 'Nossa, que alegria, que orgulho de mim, que sensação boa'".

Dor versus esporte

O ortopedista Pedro Debieux disse que o exercício físico pode ser uma das formas de prevenir e até amenizar as dores articulares, ao invés de ser o causador, como muitos pensam. Segundo ele, um estudo recente mostrou que corredores com sobrepeso têm menos dor articular do que pacientes com peso "normal" sedentários.

"O sedentarismo é o principal fator de risco para a dor articular. A atividade física é benéfica de maneira geral e faz muito mais parte da solução do que do problema", disse ele. Isso porque, quanto melhor for a qualidade, quantidade e a potência muscular, menos carga irá chegar à articulação.

Além do exercício, para preservação articular, controlar alimentação e doenças de base, como diabetes, hipertensão e obesidade, que causam um processo inflamatório, é essencial. Mesmo quando os casos de desgaste das estruturas intra-articulares forem genéticos, o controle dessas variáveis faz com que doenças como artrite e artrose apareçam mais tarde e não impactem tanto a vida do indivíduo.