PUBLICIDADE

Topo

Benefícios da biotina vão além do cabelo e das unhas; saiba mais

iStock
Imagem: iStock

Danielle Sanches

Colaboração para VivaBem

26/04/2022 04h00

Conhecida por fortalecer as unhas e o cabelo, a biotina também é chamada de vitamina B7 ou vitamina H (este último já não é mais usado atualmente) e é bastante fácil de ser comprada em qualquer farmácia na forma de suplemento alimentar.

De fato, por participar da síntese de queratina, a biotina tem papel importante na construção e manutenção de unhas e cabelo saudáveis. Mas ela também participa de outros processos essenciais do metabolismo, como o armazenamento de energia e na síntese de proteínas.

No entanto, assim como qualquer suplementação, os especialistas recomendam que o consumo deve ser feito apenas sob orientação médica, já que a biotina pode alterar exames de sangue e, quando em excesso, provocar alguns sintomas incômodos como náuseas e diarreia.

A seguir, tire suas dúvidas sobre a biotina.

Biotina: o que é, para que serve e mais

O que é biotina?

A biotina, ou vitamina B7, é uma vitamina hidrossolúvel que integra as vitaminas do complexo B e é considerada essencial para o organismo.

Embora participe de vários processos importantes no corpo, ela é mais conhecida por seu papel fortalecedor de unhas e cabelo.

Para que serve a biotina?

A biotina é essencial para a produção de glicogênio (que é uma forma de reserva de energia produzida e armazenada pelo nosso corpo através da transformação dos carboidratos) e para o funcionamento de enzimas responsáveis pela absorção de gorduras, aminoácidos e da glicose, além de atuar na formação de proteínas.

Também tem importante função na regulação de genes, modificando a atividades de fatores de transcrição; e atua na produção de queratina, o que explica os benefícios para manter a pele e especialmente, unhas e cabelo, saudáveis.

Qual o efeito da biotina no cabelo?

Depende. Se você tem uma deficiência de biotina, a reposição torna os fios mais saudáveis e ajuda a reverter o processo de queda ocasionado pela falta do nutriente.

O mesmo vale para as unhas, já que a suplementação de biotina é capaz de melhorar a espessura delas, reduzindo a quebra.

No entanto, os estudos mostram que pessoas que não apresentam deficiência de biotina não se beneficiam da suplementação.

Ou seja, quem busca suplementos específicos para fazer o cabelo crescer mais rápido ou prevenir a quebra de unhas, por exemplo, não terá retorno do investimento, pois o corpo não irá aproveitar esse nutriente para essa finalidade.

Biotina engorda?

Não. Os suplementos com biotina não possuem calorias significativas para ter algum impacto na balança.

Qual é a quantidade de biotina que se pode ingerir por dia?

De acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), a ingestão diária recomendada de biotina para adultos é de 30 mcg (microgramas).

Quais são os alimentos ricos em biotina?

Como precismos de uma quantidade pequena de biotina por dia, ela é facilmente alcançada por meio de uma alimentação balanceada e variada. Alguns alimentos que possuem boas concentrações de biotina são:

É verdade que a biotina pode alterar o resultado de exames de sangue?

Sim. A biotina pode alterar resultados de exames importantes como o que mede alguns hormônios da tireoide (TSH, T3 e T4 livre); a dosagem de hormônios sexuais e esteroides; o teste indicativo de gravidez (Beta HCG); dosagem de vitamina D; e os exames de metabolismo da glicose (peptídeo-C e insulina), entre outros.

Por isso, a recomendação é suspender o uso do suplemento por pelo menos 72 horas antes de exames laboratoriais. Na dúvida, alguns médicos recomendam a suspensão até uma semana antes da coleta de sangue.

Embora pareça simples, a alteração de resultados pode resultar em um falso diagnóstico positivo de alguma doença ou, pior, um falso resultado de que está tudo bem.

Em 2017, por exemplo, o FDA (Food and Drug Administration), agência responsável pela saúde pública dos EUA, emitiu um alerta sobre um homem que morreu de infarto, pois a biotina havia disfarçado os níveis de troponina —uma proteína que faz parte do processo de contração muscular cardíaco e cujo aumento no sangue indica um ataque do coração— encontrados nos exames realizados.

Por esse motivo, os especialistas recomendam sempre que se converse com um médico de confiança antes de começar a tomar qualquer tipo de vitamina.

Faz mal tomar biotina?

Não. A biotina não causa nenhum mal ao organismo de pessoas saudáveis. Mas, embora a intoxicação seja rara, pessoas com insuficiência renal devem ficar atentas, já que a biotina é excretada pelas fezes e urina.

No entanto, como todos os suplementos, o recomendado pelos especialistas é que ela seja ingerida apenas quando recomendada e sob orientação de um especialista.

Isso porque o uso da biotina pode disfarçar problemas cujos sintomas são justamente a queda de cabelo e as unhas fracas, como a deficiência de ferro —e atrasar um diagnóstico que tem impacto no resto do corpo.

Além disso, mesmo não sendo tóxica, o excesso de biotina no organismo pode provocar sintomas incômodos como náuseas, diarreia, acne, descamação ao redor dos olhos e conjuntivite.

Fontes

Clarissa Hiwatashi Fujiwara, nutricionista, membro do Departamento de Nutrição da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica) e coordenadora de nutrição da Liga de Obesidade Infantil do HC-FMUSP (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo); Marcella Garcez, nutróloga e diretora da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia); Maria Fernanda Barca, endocrinologista, membro da Sbem (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) e da SEE (Sociedade Europeia de Endocrinologia); e Virgínia Fernandes, endocrinologista do Hospital Universitário Walter Cantídio, da UFC (Universidade Federal do Ceará), da Rede Ebserh.